quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Babado quente!

18:21 4 Comentários
Gente, vocês têm que saber! Ai meldels! Eu tô tendo um treco aqui! Enquanto digito esse post, minhas mãos estão tremendo! Eu não acreditoooo! O Emerson Abreu falou de mim no blog dele, citou minhas análises da história! E ele gostou! Ai gsuis!

A postagem completa está aqui: http://emersonabreu.blogspot.com.br/2012/11/sombras-do-passado-parte-1.html

Agora eu vou ficar rindo a toa por uma semana inteira, sério!
Ah, falando nisso, já saíram os teasers. Da edição. Bem... ainda prefiro esperar para ler e depois opinar. Afinal, nem tudo é o que parece. No blog do Emerson vocês vão ver os comentários dele sobre a Ed. 52, não deixem de conferir.
 
 

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

TMJ #52 - Sombras do passado, parte 2: Palpites

16:09 45 Comentários



Quando lançam a capa da edição do mês, eu gosto de dar meus “chutes” (pfff!) sobre o que vai acontecer na história. Só que dessa vez acho que acabei falando tudo em outros textos e não sei se sobrou alguma coisa para falar nesse. Vê se pode?

Sabe... ver o Cebola e a Penha se beijando acabou despertando o instinto assassino de muitas fãs, xingos, insultos, reações extremadas... até eu fui na onda, apesar de ter sido por outras razões. Mas quando a poeira abaixa, a gente se acalma, pensa melhor e começa ter alguns lampejos de lucidez.

Eu ainda não faço a menor idéia do que pode ter acontecido com o Cebola para ele beijar a Penha na frente da Mônica. Só vamos saber quando sair a Ed. 52. Mas... só para não falarem que estou sendo injusta com o carequinha, resolvi dar uma chance para ele. E no fundo eu também não acredito que ele tenha feito aquilo só para magoar a Mônica. Deve ter algo mais ali que a gente ainda não sabe.

Quando vi a cena pela primeira vez, pensei que fosse uma ilusão, uma continuação do pesadelo da Mônica ou então que o Cebola estivesse sendo controlado, por isso nem dei idéia porque nesse caso ele não teria culpa de nada. Só que em seu Twitter, o roteirista da história disse que não era nenhuma ilusão e que o Cebola estava agindo de forma espontânea consciente.

Acho que foi aí que eu comecei a malhar o carequinha.

Então tá. Vamos partir do princípio de que ele NÃO fez aquilo para sacanear, magoar, ferir, dar uma “lição” e nem se vingar da Mônica. Então por que seria? Não creio que ele tenha feito aquilo sem motivo algum só porque achou a Penha bonita. Do contrário, que graça ia ter para o enredo? E o próprio roteirista falou que existe uma razão.

Não sabemos o que acontece depois que a Penha apareceu na porta da casa dele, o que eles conversaram e nem o que ela disse para ele. Muita coisa pode ter acontecido. Ele pode ter sido chantageado. Tipo, ou colaborava com ela, ou algo de muito ruim poderia acontecer a Mônica. Então, para protegê-la, ele acaba aceitando namorar com a Penha para evitar um mal maior.

Partindo do mesmo raciocínio de que não sabemos o que aconteceu entre os dois, pode-se imaginar também que a Penha tenha feito alguma fofoca, intriga ou dito qualquer coisa grave o bastante para fazer o Cebola aceitar ficar com ela.

Mas também existe uma possibilidade, e acho que essa é bem maluca, de o Cebola estar fazendo aquilo para ajudar a Mônica. Quer dizer, ele pode ter percebido que algo de errado estava acontecendo com ela. Ele pode ter sonhado, ter tido visões, sei lá. Afinal, só vimos o lado da Mônica, não o dele. Com isso, para buscar uma forma de ajudá-la, ele deve ter resolvido se infiltrar na área inimiga namorando com a Penha. Isso, claro, supondo que ela também esteja envolvida com o grande vilão que quer se vingar da Mônica.

Pode parecer meio sem sentido, mas considerando a forma como a cabeça do Cebola funciona, ele pode ter seguido a idéia de que para enganar o inimigo, é preciso enganar os amigos também. Se ele fosse muito bonzinho e cheio de dedos com a Mônica, ele não ia conseguir a confiança de quem está por detrás disso tudo. Pode ser que o tal vilão tenha tentado conseguir a ajuda dele para esse plano de vingança contra a Mônica por achar que ele também tinha razoes para querer se vingar dela. Ele pode ter aceitado isso não porque quer se vingar e sim para ajudá-la.

Por que isso não seria um plano dele para se vingar da Mônica? Além de ser meio óbvio, isso poderia prejudicar o entendimento deles no fim da história. E é quase certo que eles vão se entender e fazer as pazes quando tudo isso acabar. Para que isso possa acontecer, ele vai precisar de um motivo muito bom para ter aparecido beijando a Penha na frente da Mônica.

Agora, se ele fez tudo isso unicamente por vingança, aí vai ficar até esquisito ela perdoá-lo assim muito fácil. Sei que é apenas uma história em quadrinhos, mas acho que alguma coerência deveria ter. Se bem que eu não duvido nada de no fim das contas ele apenas ter feito aquilo para sacanear e ainda acabar por cima, como aquele que “deu uma lição na dentuça marrenta”. É uma possibilidade também, sei lá. Sem falar que ele pode acabar sendo aquele que no início parece ser o inimigo mas que no fim acaba ajudando a Mônica. Quer dizer, ao namorar a Penha o Cebola vai se voltar contra a Mônica, tratá-la mal, etc. então aparentemente se tornará um “inimigo”.

Se bem que algo também acaba de me ocorrer... será que esse é o Cebola verdadeiro? Tá, tá, sei que estou forçando a amizade, mas como a revista ainda não foi publicada, então creio que existem muitas possibilidades. Quem seria? Nem faço idéia. De repente aquele ali nem deve ser o Cebola. Pode ser alguém que entrou no lugar dele. Talvez ele tivesse recusado a ter qualquer coisa com a Penha e com isso tenha sido seqüestrado e colocaram outro em seu lugar. Uma teoria maluca, mas caso seja isso mesmo, irá aplacar a ira das fãs e no final todos ficarão felizes e contentes.

Claro, essas possibilidades só seriam possíveis no caso de o namoro dele com a Penha ter algo a ver com o tal inimigo da Mônica e sua vingança. Do contrário, se forem eventos distintos e sem relação entre si, nada do que eu falei fará sentido. Mas se alguma delas for verdadeira, vai explicar o fato de o Cebola ter sido tão legal com a Mônica durante a história (estava até gostando da participação dele) e no fim aprontar aquela palhaçada com ela.

Confesso que esse lance foi uma tacada de mestre. Quer dizer, acho que grande parte da ansiedade dos fãs em ler essa história se deve a esse namoro e eu não ficarei nem um pouco surpresa se edição vender mais do que a 50 (que foi uma história meio pão com ovo, diga-se de passagem).

Eu estava olhando novamente as falas da Madame Creuzodete, onde ela diz que nem tudo é o que parece. Ela poderia estar falando do (suposto) namoro entre Cebola e Penha, que no fim pode ser apenas um plano dele para conseguir alguma coisa, seja para ajudar ou para se vingar da Mônica.

As falas dela podem ser pistas para desvendar esse mistério, mas infelizmente tem muitas margens para interpretações. Não sabemos se os dois eventos (o namoro do Cebola e o inimigo da Mônica) estão relacionados ou se não tem nada a ver um com o outro.

Mas ainda assim não sei se acredito que aquele que quer se vingar da Mônica seja o Cebola pelos motivos que falei acima e também porque isso poderia influenciar edições futuras. Afinal, também ficaria estranho os dois terminarem a historia num clima ruim, cheio de mágoas e na próxima edição eles continuarem como se nada tivesse acontecido.

Quanto ao vilão por detrás disso tudo, não tem como saber porque só vai aparecer na próxima edição. Talvez seja aquele personagem novo de quem o roteirista falou e que nunca apareceu nem na TMJ e nem nos gibis. No momento eu não consigo imaginar quem poderia ser e nem por que ele quer se vingar da Mônica.

Quanto ao amigo que vai se tornar inimigo, também não acho que seja alguém da turma. Pode ser ou a Sofia ou alguém que só vai aparecer na Ed. 52. Muita gente fala na Denise, mas também acho que seria meio óbvio. Como falei antes, eu suspeito um pouco da Sofia por causa daquele interesse dela no relacionamento da Mônica com o Cebola e logo depois a penha aparece na porta da casa dele. Pode ser só uma coincidência, mas nunca se sabe, né...

Ah, e também já sabemos que vamos nos surpreender com a reaparição da Agnes. Bem... acho que a única forma de eu ficar surpresa seria se ela não tivesse morrido no fim das contas. Aí sim seria uma surpresa para me deixar de queixo caído.

“Ué, mas a Sofia disse que a Agnes morreu...”

Pois é, só que a gente ainda não sabe qual é a da Sofia, se ela está com a Mônica ou contra ela. Realmente tudo pode acontecer.

E não vamos esquecer da capa, que vai entrar para a história. Como assim Penha e Cebola se agarrando embaixo de uma árvore? Pois é. Como eu não sou fã de Mô x Cê, essa cena não me despertou reações fortes. Para falar a verdade, e só para esclarecer, eu não sou fã de Mônica com nenhum outro garoto, nem mesmo o DC. Acho que considerando as opções existentes, ela está melhor sozinha.

Voltando ao assunto da capa, bem... primeiro eu fiquei confusa com aquele coração escrito “Cascão e Cascuda”. Cara, acho que meu cérebro excessivamente lógico deu um nó por causa daquilo, que me pareceu fora de lugar e propósito. Talvez tenha sido colocado por acaso, ou então de repente aqueles dois são o Cascão e a Cascuda disfarçados. Doideira? Maluquice? Nada a ver? Concordo plenamente, mas também é uma possibilidade e explicaria aquele coração com o nome dos dois.

Voltando ao casal de... er... “pombinhos”, tenho a impressão de que o beijo é meio fingido. Eles não parecem estar com a boca aberta de verdade. Agora, confesso que eu não gostei muito da cara da Mônica aí não. Ela ficou com uma boca meio esquisita, um troço meio desproporcional ao rosto dela. parece que está prestes a morder um sanduíche tamanho família, não que está boquiaberta de susto ao ver os dois. Eu não vejo tristeza, mágoa e nem decepção no rosto dela. Não vejo nem mesmo surpresa. E o que é aquela coisa na mão esquerda dela? Parece um livro. Seria a tal bíblia que a Agnes sempre leva?

Uma coisa interessante é o relógio do Cebola marcando 18:26. Claro, por ser um relógio, tem que marcar as horas. Só fico pensando se isso também tem algo a ver com a trama ou se foi apenas um número aleatório que puseram para não deixar o relógio vazio.

Tirando isso, a capa ficou bonita. Torço apenas para que, caso seja mesmo um plano do Cebola para machucar a Mônica, que ele pelo menos não termine por cima enquanto a Mônica fica por baixo como a vilã perversa que batia no coitadinho sem razão nenhuma. Ah, tem dó né? Já está dando no saco ver a Mônica sempre correndo atrás, tentando fazer acontecer, se esforçando para ficar bem com o Cebola enquanto ele parece não estar nem aí. Senão, seria melhor que colocassem a Mônica no grupo MADA de uma vez.

E para terminar, eu fiz essa imagem usando uma das cenas da Ed. 51. Eu não diria que a frase é para o Cebola, é algo mais genérico, para os inimigos em geral. A imagem com fundo transparente está na página de png's e eu também fiz uma pequena alteração nos png's da Penha sozinha e dela com o Cebola me baseando nas cores que vi na capa.


sábado, 10 de novembro de 2012

O amor é... é... sei lá!

18:58 13 Comentários


Eu sei que as fãs Mônica x Cebola vão me jurar de morte por causa disso, mas eu não resisti e acabei colorindo a imagem do Cebola beijando a Penha. E na boa, antes do fim da revista, esse lance já terá acabado e o Cebola vai estar numa boa com a Mônica novamente, então para que se preocupar?



E colorir os desenhos da Penha me ajudou a arrumar um jeito melhor de colorir os cabelos. Ela não é tão má quanto a gente pensa, né?

Antes que eu me esqueça, minha fanfic 2012 foi atualizada: http://fanfiction.com.br/historia/279654/2012/capitulo/19
 
A imagem transparente está na página de png’s. Só mais uma coisa... repararam que as roupas do Cebola são iguais as que aparecem na capa da Ed. 34? Pois é. Estranho, não


quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Elas voltaram!

21:40 3 Comentários


É isso aí, pessoal! Fujam para as montanhas que as garotas do bairro das Pitangueiras estão de volta.
Eu me animei um pouco e resolvi colorir o desenho da Penha que aparece na Ed. 51. Foi o mesmo esquema de sempre: refiz as linhas e depois adicionei as cores. As imagens com fundo transparente estão na página de png’s. no desenho da Agnes eu fiz uma pequena alteração para tirar a gaiola da mão dela.  Tem o desenho da Agnes e da Penha separadas e tem as tres juntas para quem quiser usar. O da Sofia eu peguei "emprestado" lá no site TMJ Wallpapers, assim como a imagem das três quando crianças.


quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Agnes, a Tenebrosa

19:25 9 Comentários


Fiz um desenho da Agnes, a Tenebrosa. Bem... a primeira vista, ela não tem nada de tenebrosa, mas por detrás dessa aparência doce e meiga se esconde uma figura realmente... tenebrosa! A imagem com fundo transparente está na página de png’s. Divirtam-se!


domingo, 4 de novembro de 2012

Ed. #51: Qual a trama da história? - mais uns detalhes

19:36 34 Comentários


Tem mais umas coisas que eu fui pensando depois e resolvi abrir outro post que é para o outro não ficar longo demais.

É que também temos outro problema... quando a Penha foi bater a porta do Cebola, ele ficou surpreso ao vê-la. Então fica a dúvida se esse “inimigo” secreto que está bolando planos para derrotar a Mônica é mesmo ele. De repente, ele pode estar sendo manipulado, usado como um peão no plano de alguém que pode estar por detrás de tudo isso. Talvez a Penha também esteja sendo manipulada ou pode ser que ela também saiba do plano, não sei.


Ou de repente os dois eventos não tem nada a ver mesmo e eu tô viajando.E pensando bem, o roteirista da história apontou para essa possibilidade. Então é capaz de não ser nada disso, senão ele não teria falado. Afinal, isso seria um spoiler. Se ele falou, é porque o Cebola pode não estar por detrás de plano nenhum.


Porém, manipulado ou não, ele aceitou namorar com a Penha por livre e espontânea vontade mesmo sabendo que isso vai magoar a Mônica. Então culpa no cartório ele tem também. Ele pode até não ser o cérebro por detrás de tudo, mas ainda assim está mostrando ter pouco caráter ao aceitar fazer parte disso.


Só espero que ele quebre bastante a cara, que receba uma merecida lição. A não ser, é claro, que a Penha tenha dito alguma coisa para o Cebola, algo de muito grave que o fez aceitar engatar o namoro assim tão rápido.


Pode ser uma intriga, uma fofoca ou mentira. Ainda assim, o Cebola não agiu certo porque foi logo acreditando sem nem ao menos dar a Mônica uma chance de defesa. Ou então, como falei, ele pode ter sido chantageado. Aí só lendo para saber.


É bem provável que eu vá ficar na vontade mesmo, que no final a Mônica dê uma de tonta e acabe perdoando tudo numa boa enquanto o Cebola seguirá sem o menor peso na consciência e achando que não fez nada de errado. Bem, sonhar não custa nada, né?


Eu só fico pensando em quem seria a pessoa que parece ser inimiga mas acaba se mostrando amiga e ajudando no final. Na capa da Ed. 51, Sofia aparece junto com a Mônica em posição de luta. Pode ser ela quem irá ajudar a Mônica. Ainda assim, há outras possibilidades como a Agnes ou, sei lá, a Penha. A Madame Creuzodete falou inimiga, então temos que focar nos antagonistas da história. De repente, essa pessoa só vai aparecer na Ed. 52, então não dá para saber quem é. Aliás, outros personagens irão aparecer na ed. 52, então pode ser também que o grande inimigo não tenha aparecido ainda e só vai aparecer depois. Apesar das minhas especulações, pode acontecer de o Cebola não ter nada a ver com a trama.


A vidente também falou que para derrotar esse inimigo, a Mônica vai ter que lutar com as mesmas armas que ele. Que armas seriam essas? Manipulação? Jogar os erros na cara da pessoa? Fiquei bem curiosa com isso.


No Twitter, Emerson Abreu disse que iremos amar a Denise, nos emocionar com a Mônica, odiar o Cebola e querer matar a Penha. Bom, eu já odeio o Cebola, então ¼ do caminho já foi percorrido. Quanto a matar a Penha, eu não sei. Por pior que ela seja, o Cebola aceitou namorar com ela porque quis. A não ser que ele tenha sido gravemente chantageado, ele entrou nessa por livre e espontânea vontade.


Agora, tem uma coisa aqui que eu não estou gostando nem um pouco. O Cebola beijou a Monique na Ed. 48 e agora beijou a Penha (e eles já foram namorados na infância). E a Mônica? será que vai ficar eternamente pura e casta só esperando pelo Cebola? será que agora ele vai poder sair namorando todo mundo, beijando quem aparecer na frente enquanto ela fica sem ficar com mais ninguém? Por que isso? hum... estou sentindo cheiro de machismo rançoso. Será por causa do “homem pode, mas mulher não porque é ‘diferente’”?


Hellowww! Século 21 chamando! Não estou falando que é para a Mônica rodar na mão de todo mundo, mas por que o Cebola pode experimentar outras alternativas e ela não? Por que ele pode fazer o que quiser, mas ela tem que ficar eternamente esperando por ele sem nem ao menos se interessar por ninguém?

 

Ed. #51: Qual a trama da história?

17:31 14 Comentários


Todo mundo deve estar de cabelo em pé por causa do namoro da Penha com o Cebola que vai rolar na Ed. 52. Mas heim? Como? Por que? O que tá pegando? Pois é. Agora o povo quer saber, mas vai ter que esperar até o mês que vem para entender tudo.

Sabe, nessa história tem dois mistérios: quem está perseguindo a Mônica e por que o Cebola está namorando a Penha. E agora, um terceiro mistério: as duas coisas estão relacionadas ou são eventos distintos? Quer dizer, pode ser que a pessoa por detrás de tudo não tenha nada a ver com o Cebola namorando a Penha. Ou tem? Eis a grande questão. É por isso que eu estou tocando nos dois assuntos ao mesmo tempo, já que uma coisa pode até acabar levando a outra.

Gostaria de começar a divagação com uma coisa que, acho eu, poucos prestam atenção porque fica no fim da revista. É aquela parte do “Fala Maurício”. Quando lançaram o preview da edição, eu resolvi dar uma olhada nessa parte e não sei porque, mas a primeira coisa que me veio a cabeça foi o Cebola. Afinal, é ele quem tem problemas emocionais porque não consegue esquecer o passado e as brigas com a Mônica. E parece que essa mágoa é tão grande que até influenciou o termino do namoro dos dois e agora dificulta a reconciliação (mas ainda insistem em dizer que o problema é a Mônica, aff!)

A medida que fui lendo a história, eu acabei imaginando que estavam falando de outra pessoa ou talvez da própria Mônica. Mas pensando bem...

Analisando a consulta da Mônica com a Madame Creuzodete, tem algumas coisas interessantes na fala da vidente quando ela consulta sua bola de cristal.

“Eu vejo perigo... traição... decepção...”, “Um grande plano para te derrotar esse tempo todo... era tudo um plano!” peraí! Quando vocês lêem a palavra plano nas revistas da TMJ, qual é o primeiro personagem que vem a cabeça? O Cebola.

Aí a vidente continua: “É uma espécie de vingança por tudo o que você fez.” Eu não li todos os gibis lançados da turma da Mônica, mas acho que li o suficiente para saber que o personagem que mais se encaixa nisso é o Cebola. Quer dizer, pelo que a Creuzodete falou, Mônica deve ter feito algo a essa pessoa mais de uma vez, repetidas vezes. Mais uma vez, só consigo encaixar o Cebola nessa descrição.

E cá entre nós, o Cebola sempre fez planos contra a Mônica sem pensar se ia ou não magoá-la. Porque dessa vez seria diferente? Só porque ele cresceu? Pois existe um fato interessante sobre os seres humanos: Existem aqueles que crescem e viram adultos. Outros apenas aumentam de tamanho e ficam mais velhos, mas a mentalidade continua a mesma. Parece que o Cebola se encaixa no segundo grupo.

Só que agora temos uma intrigante e instigante pergunta: existe relação entre o Cebola e Agnes? Quando Mônica perguntou se o tal inimigo de quem Creuzodete estava falando era a sombra, ela disse que não sabia e tentou olhar mais fundo, mas não pode porque foi atacada pela sombra. Pode parecer uma passagem sem importância, mas ela deixou a dúvida sobre a relação entre os dois eventos.

E pensando bem... como o Cebola iria invocar o espírito da Agnes? Por que ele tentaria fazê-la perseguir a Mônica? Só se for para mostrá-la que ela não é tão forte quanto pensa, para vê-la fracassar e ficar arrasada. Mas ainda assim tem muitas lacunas não preenchidas. Acontece que mexer com esse tipo de coisa, invocar espíritos, não é o estilo dele. Tá, quando crianças ele e o Cascão fingiram de fantasmas, ETs, etc. mas não me lembro de ele ter tentado ir para o lado negro da força e invocar um espírito de verdade. Se bem que o roteirista que escreveu essa história está seguindo um estilo diferente da TMJ. O fato de ele ter colocado a Agnes como morta prova que o estilo dele é diferente, então tudo pode acontecer.

Quer dizer, se a Mônica for derrotada pelo fantasma de Agnes e ainda sofrer ao ver Cebola namorando a Penha, isso certamente a destruiria por dentro. Talvez seja isso que ele quer, vê-la não somente derrotada, como totalmente arrasada e destruída. Faz sentido.

Como vocês sabem, ele tem problemas emocionais. Nunca conseguiu aceitar o fato de ter apanhado da Mônica na infância e seus planos nunca terem funcionados. Então essa necessidade que ele tem de derrotá-la não é somente para fazê-lo se sentir a altura dela, é também uma forma de vingança, de compensação emocional pelos anos de planos frustrados que ele teve. Bem típico das pessoas medíocres e insignificantes. Como não conseguem se elevar, acham que precisam rebaixar e humilhar o outro para se sentirem melhores. Então é bem capaz de, no mínimo, o namoro dele com a Penha seja apenas um plano para derrotar a Mônica.

Mas tem algo interessante também quando a Mônica confronta o fantasma de Agnes. É na parte em que ela ironiza o comportamento dela, de sempre querer salvar todo mundo. Ela até debocha dela falando sobre “complexo de messias” e sua disposição para se sacrificar pelos outros.

É esse pedaço que me deixa na duvida se os dois eventos estão ou não relacionados. A princípio eu penso que não, mas quando releio essa parte, aí fico balançando. Pensando bem, acho que não houve exatamente muita interação da Agnes com a Mônica. Na revista onde ela e Magali vão para o bairro das pitangueiras, chega um ponto em que Penha manda Agnes e Sofia colocarem as duas para correr. Mas Agnes confronta a Magali, não a Mônica. Ela até foge apavorada quando vê que tem pelo de gato nas roupas da Magali.

Também tem a história o sumiço dos passarinhos, que eu não pude ler mas pela capa, ela aparece na revista da Magali também. Quer dizer, se Agnes fosse ter alguma treta com alguém da turma, seria com a Magali, não com a Mônica. Para rival da Mônica, a Penha faria mais sentido. Mas o atrito entre elas foi tão pouco que eu não sei se realmente faria sentido ela guardar tanta mágoa a ponto de tramar toda aquela vingança.

Só que o monstro vai é atrás da Mônica a ponto de fazê-la ter pesadelos e também deixar um dos porcos fugir só para levá-la até a casa dele. Relembrando a história do sumiço dos passarinhos, foi a Magali quem foi até a casa da Agnes para libertar os pássaros que ela tinha prendido, não a Mônica. É aí que a coisa tá ficando confusa.

Mas também tem outra coisa que me deixou com a pulga atrás da orelha. Depois que as meninas passearam com a Sofia e ela foi embora, Magali falou para a Mônica que Sofia a adorava tanto que parecia até sua fã número um. Ela tinha se mostrado tão interessada que queria até saber sobre a vida dela e o seu relacionamento com o Cebola. Hã... pode ser paranóia minha, mas tô achando que tem gato nessa tumba! Quer dizer, a Sofia se interessar pela vida da Mônica, seus gostos, etc. ainda vá lá, mas por que ela iria querer saber do relacionamento dela com o Cebola?

A não ser que alguém mais estivesse interessado nessas informações e tivesse colocado a Sofia para saber de tudo. Madame Creuzodete fala de uma pessoa que se faz de amiga, mas que no final pode se tornar inimiga. Bem... Sofia se mostrava muito interessada em fazer amizade, então pode ser ela a pessoa que irá se voltar contra a Mônica. Claro, pode ser também que a Penha tenha só usado ela para alcançar seu objetivo, mas tudo leva a crer que, por trairagem ou não, Sofia pode ter contado a ela toda a conversa que teve com Magali sobre a Mônica, lhe falando tudo inclusive o seu relacionamento com o Cebola.

De certa forma foi coincidência Magali ter dado tantas informações a Sofia e logo depois a Penha aparecer na porta da casa do Cebola. Pode ser essa a amiga traíra de quem Creuzodete estava falando, apesar de o Cebola também estar na lista de suspeitos.

Afinal, ao fazer aquele plano, ele também se voltou contra a Mônica, dando-lhe uma facada nas costas. Sim, foi de certa forma traição porque apesar de os dois não estarem namorando, havia uma espécie de compromisso entre eles. Cebola pediu a Mônica que o esperasse a derrotá-la. E pediu também para ela confiar nele.

Então ele apronta uma dessas, traindo a confiança que ela tinha depositado nele. Eles podem não ser namorados, mas quando uma pessoa pede para você confiar nela e depois faz algo que quebra sua confiança, então foi traição do mesmo jeito.

O Cebola fez aquilo com o claro intuito de machucar a Mônica. Ora, ele pode ser o que for, mas burro com certeza não é. Ele é inteligente o suficiente para saber como a Mônica ficaria se o visse beijando outra garota. Então tudo aquilo foi armado exatamente para ela ver e ficar machucada. Não importa se foi ou não um plano para derrotá-la e no fim namorar com ela. Esse tipo de coisa não tem justificativa. Ele ficou tão obcecado em derrotá-la que acabou passando dos limites a ponto de ferir os sentimentos dela para conseguir seu objetivo.

E mesmo que não fosse um plano, mesmo que ele tivesse realmente apaixonado pela Penha, ainda assim foi muita sacanagem da parte dele fazer toda aquela palhaçada na frente de todos. Tudo bem que ele tem o direito de ficar com quem quiser, ninguém tem que ficar amarrado a ninguém, mas ele pelo menos deveria ter tido a decência de chegar perto da Mônica e ter uma conversa franca com ela, não deveria? Se não havia mais amor, pelo menos deveria haver ao menos um pingo de consideração, coisa que ele não teve.

Nesse caso, eu fiquei até com dó da Penha. Muita gente estranhou isso, mas vejam bem: se o Cebola fez o que fez com a Mônica, com quem ele tem uma longa história junto, então imaginem o que ele seria capaz de fazer com a Penha ou com qualquer outra garota! Cruzes! Não quero nem pensar! Se ele não teve respeito pela Mônica, não esperem que ele trate melhor outras garotas.

É por isso que a Mônica nem deveria ter ficado tão triste assim por causa da traição dele. Sendo ou não um plano, tudo isso apenas mostra a porcaria de caráter que ele tem e que ele não se importa nem um pouco em passar por cima dos sentimentos dela para conseguir o que quer. Na boa? Se uma pessoa assim sair da minha vida, eu sou capaz até de soltar foguete! E ainda jogo sal grosso que é para ela não voltar nunca mais!

Ficar livre de alguém assim é benção, não maldição. É motivo para comemorar. Sem falar que o amor que ele tem por ela não vale nada. Na mesma historia o Cebola falou que ama, mas em um único dia ele esqueceu dela para namorar outra garota? Um lixo de amor assim eu dispenso.

Meninas, aqui fica um aviso: falar “eu te amo” não significa nada se essa frase não vier acompanhada com atitudes. Falar até papagaio bem treinado fala, mas demonstrar isso já são outros quinhentos.

Que o relacionamento deles não sirva de exemplo para ninguém. Quem ama pode até pisar na bola e as vezes magoar o outro, mas nunca é proposital e a pessoa acaba pedindo desculpa. Quem ama não toma deliberadamente atitudes sabendo que irá machucar o outro como o Cebola fez. Gravem bem isso para não ficarem decepcionadas no futuro.

Bem, por hoje é só, pessoal. Acho que já escrevi demais. Agora só nos resta esperar a Ed. 52 para saber o que vai acontecer de verdade. O resto é mera especulação. Agora, eu realmente espero que não transformem a Mônica em mocinha de novela mexicana, aquela que é sacaneada pelo sujeito, pisada, humilhada, traída, maltratada mas que ainda continua rastejando atrás do cara, se humilhando e sempre perdoando suas sacanagens. Senão, talvez fosse melhor mandarem a Mônica para o grupo MADA. 

TMJ#51 - Sombras do passado: críticas

11:51 7 Comentários

Pois é, cá estou eu de novo para dar minhas opiniões da Ed. Desse mês. Eu demorei um pouco porque queria publicar a crítica junto com o desenho, mas se for esperar o desenho ficar pronto, vai demorar mais ainda. Depois eu publico o desenho então.

E também tem outra razão por eu ter demorado: quem leu, já deve ter visto a cena em que o Cebola aparece beijando a Penha. Isso deu o que falar, a repercussão foi imediata. Só que eu fiquei meio que cautelosa na hora porque ainda não sabia do que se tratava. Então, lendo aqui e ali e também fuçando o Twitter do roteirista da história acho que dá para ter uma opinião melhor.

Bom, a princípio a história não tinha me impressionado muito. Foi preciso ler uma segunda vez e com mais calma para poder apreciar melhor. Uma coisa estranha sobre mim: se eu ler uma vez só e escrever minha opinião, vou achar que a história foi, na melhor das hipóteses, mediana. A primeira impressão geralmente não é das boas, então preciso ler uma segunda vez.

A história já começa com um clima de suspense mostrando a Mônica fugindo de criaturas estranhas que aparecem em seus sonhos. A primeira impressão que todo mundo deve ter tido era a de que essas criaturas queriam ferir a Mônica. Pelo menos eu pensei assim e fiquei surpresa ao ver que eram apenas aqueles porcos alados pedindo ajuda.

Outra coisa interessante foi a Denise aparecer mais na história, mostrando melhor sua personalidade. Ficou engraçado, não nego, mas confesso que é meio chatinho conversar uma pessoa que te alfineta e debocha em quatro de cinco frases. Mas sabendo levar na brincadeira dá para ficar numa boa. E no momento certo, ela até soube demonstrar certo heroísmo tentando resgatar os porcos alados ao invés de sair correndo para salvar a própria pele. Isso mostra que coração pelo menos ela tem. Tirando isso, a participação dela não me chamou lá muita atenção.

Surpresa mesmo foi a hostilidade da Mônica contra a Sofia. Confesso que até fiquei com antipatia dela. Claro, apesar das picuinhas de infância, a Sofia não estava fazendo nada de errado para ser tratada daquele jeito. Se ela tivesse chegado brigando, tratando todo mundo mal e dando tapas, aí seria outra história. Mas com o tempo, a Mônica percebe que estava errada e se desculpa.

Sabe, não vou negar que às vezes a Mônica é pé no saco mesmo. Entre os 4 ela é minha personagem preferida, mas isso não quer dizer que eu não enxergue os defeitos dela. Só que uma coisa a gente não pode negar: quando reconhece que está errada, ela volta atrás e pede desculpa. Mesmo sendo birrenta, cabeça dura e orgulhosa, ela sabe dar o braço a torcer também. Está aí uma coisa que admiro nela porque eu mesma tenho dificuldade nisso de vez em quando.

Só que, engraçado... parece que os roteiristas da MSP gostam muito de focar nos defeitos da Mônica e no seu lado ruim. Toda hora ela tinha que repetir “meu passado me condena”. Sei lá, isso dá a impressão que entre os quatro, só ela tem defeitos enquanto os outros são exemplos e modelos de perfeição.

É aí que eu acho que eles estão sendo injustos com ela. A Mônica batia nos outros? Batia. Mas fazia isso a toa? Será que ela era do tipo de valentona que saia distribuindo tapas só por diversão? Em determinados momentos ela batia sim para se impor, para ter algo do seu jeito. Não vou negar isso.

Só que na maioria das vezes ela batia porque se sentia provocada, mesmo que essa provocação não fosse real. Ela mesma se pergunta na história o porquê de ter uma postura tão defensiva. Bem, qualquer pessoa que ouvia provocações o tempo inteiro, piadinhas e alfinetadas também teria essa mesma postura.

Não quero dar uma de traumatizada que não consegue lidar com os problemas do passado, nem vem! Mas vou falar um fato de quando era criança. Eu sofria provocações na escola e tinha até uns garotos que passavam a mão na bunda das meninas. E eu também sofria com essa brincadeira boba. Teve um dia que os alunos estavam descendo as escadas e um desses garotos passou a mão em mim. De raiva, eu dei um tapa nas costas do moleque e ele caiu na escada. Nada de grave aconteceu, eram poucos degraus e ele saiu andando numa boa.

Só que por causa disso eu levei uma tremenda bronca. Ninguém perguntou o que aconteceu, porque eu fiz aquilo e nem quis saber da minha versão da história. Eu fiquei como a bruta que sai batendo em todo mundo sem razão nenhuma.

E é basicamente isso que estão fazendo com a Mônica. Ninguém está levando em consideração que aquela atitude agressiva dela era apenas uma defesa por causa das provocações. Nenhum adulto interferia naquelas provocações e tudo corria solto. Os pais do Cebola não chamavam a atenção dele e os pais da Mônica não ensinaram a filha a lidar com aquilo de outro jeito. As crianças ficaram por conta própria e quando isso acontece, elas podem se machucar mutuamente.

O que eu quero dizer é que a Mônica fez aquilo que sabia, se defendeu do jeito que pode, mas nada disso é levado em consideração. Eles só mostram a garota estúpida e agressiva que saia distribuindo tapas para todo lado, mas não mostram as razões por trás desse comportamento. Só tem uma versão da história que condena, mas não tem a que defende. 

Bom, continuando, me chamou a atenção eles abordarem um tema que eu ainda não tinha visto nos mangás: a morte. É a primeira vez que um dos personagens morre de verdade. Meio sinistro considerando o mangá da TMJ.

Outra surpresa foi a aparição da Madame Creuzodete. E devo dizer que eles capricharam no look dela, viu? Ficou bem bonitona. É na tenda dela que a gente pode pescar a maior parte das dicas sobre a razão de toda aquele pesadelo que a Mônica tá sofrendo. Vou falar sobre isso mais tarde, senão fica longo demais.

Eles capricharam na atmosfera de mistério, mostrando que Creuzodete, apesar do nome tosco, tem poderes de verdade. Eu quase levei um susto quando o monstro saiu da bola de cristal dela. Só mesmo uma boa e velha coelhada para resolver esse problema.

Depois disso, a história segue bem, com a Mônica fazendo as pazes com a Sofia e acabando com sua picuinha com ela. Afinal, se a Mônica foi capaz de fazer as pazes com a Irene, por que não conseguiria a mesma coisa com a Sofia?

Depois disso não aconteceu muita coisa assim de surpreendente a não ser descobrir que aquelas coisas nos sonhos da Mônica eram os porcos alados pedindo ajuda e que um deles tinha ido parar no quarto dela. E, claro, descobrir que a tal sombra era a Agnes. Isso sim surpreendeu, mas o resto foi mais ou menos previsível.

Mônica arrastou Denise até a casa da Agnes para salvar os porcos alados e apesar do susto que levaram, tudo ficou bem e elas conseguiram salvar a todos. E devo dizer que adorei o visual da Agnes. Mesmo sendo um fantasma, ninguém ficaria com medo de uma garota com um visual tão meigo como aquele. Deve ter sido um choque para as duas quando ela se transformou naquele bicho horroroso.



Ainda sobre a Agnes, só uma pequena observação. Pelas histórias que eu tinha lido dela e também pela postura do monstro quando os porcos alados foram para cima dele, acho que ela não tem hipocondria e sim nosofobia, que é o medo mórbido de ficar doente.

Hipocondria é quando a pessoa acha que está sempre doente, ou tem mania de doenças. Ela fica sempre se examinando e qualquer sintoma como dor ou mal estar, ela já acha que está doente. Agora nosofobia é o medo de ficar doente. A pessoa tem medo de germes, micróbios, etc. pode até acontecer de a pessoa não querer mais cumprimentar apertando a mão, vive limpando a casa, as roupas, lavando as mãos toda hora... Acho que esse era mais o caso da Agnes pelo comportamento dela de estar sempre coberta e se protegendo.
 
Então, a bomba: Penha aparece na porta da casa do Cebola e no dia seguinte, os dois estão se agarrando na frente do colégio para todo mundo ver. É isso que deixou os fãs de cabelo em pé.

Na hora eu até que não senti nada. Primeiro porque eu não sou uma torcedora pró Mônica X Cebola. Eles ficarem juntos ou não ficar para mim dá no mesmo. E segundo porque eu imaginei que aquilo seria um pesadelo ou uma ilusão.

Já vi histórias onde o personagem tem um pesadelo horroroso, acorda e fica aliviado. Então ele descobre que ainda está no sonho e que o pesadelo não acabou. Mais ou menos isso, então pensei que era esse o caso. E, se era apenas uma ilusão, o Cebola verdadeiro não teria culpa de nada, certo?

E mesmo que não fosse sonho, também pensei na hipótese de ele estar hipnotizado, não podendo agir por si mesmo. Eu odeio o Cebola, não nego, mas resolvi ser um pouco mais justa com ele e só esculachá-lo depois de saber dos fatos.

Mas... pelo que o roteirista da historia diz no seu Twitter, aquilo não foi uma ilusão da cabeça da Mônica. Foi algo que aconteceu realmente e ele não estava hipnotizado. Ele fazia tudo de forma consciente e espontânea. Aí tudo muda de figura. Olha, se eu escrever aqui, vou acabar fazendo um livro, então vou deixar esse assunto para outro post, beleza?

No geral, a história foi muito boa e deixou todo mundo morrendo de curiosidade. E na boa, tô achando que a Ed. 52 vai vender até mais do que a 50 só por causa desse grande mistério. O pessoal da MSP sabe mesmo o que faz.