quinta-feira, 31 de outubro de 2013

O Estranho mundo de Jack

21:16 17 Comentários
Um filme que gosto muito é o Estranho Mundo de Jack, de Tim Burton. Na verdade é um stop motion. É tipo assim: a gente mexe o bonequinho, grava um pouco. Mexe outra vez, grava de novo. É quadro a quadro e dá um trabalhão danado. Mas se for bem feito, fica muito legal. Acho que todo mundo deve conhecer.

O desenho onde o Jack aparece sozinho fui eu mesma quem fiz. O outro são linhas que colori e são encontradas aqui: Toad's Nightmare -what's this?

Labirinto: Capítulos 6, 7, 8 e 9

20:31 5 Comentários
Como hoje é dia das bruxas, coloquei quatro capítulos novos e bem assustadores. Não deixem de conferir!

Parece que os monstros do ID vão fazer tipo uma aposta para ver quem apavora mais sua vítima. Então leiam e depois me digam quem foi o mais assustador. Será que foi o Soranin? Ou então o Akanin? Só lendo para saber!

Só um aviso: os dois últimos podem ser bem fortes e desagradáveis para algumas pessoas, então tomem cuidado, viu? Especialmente com o último. Sério, é bem tenso, assustador e também nojento.


Capítulo 6 - Tempestade
Capítulo 7 - Humilhação
Capítulo 8 - Escolhas
Capítulo 9 - Gula



quarta-feira, 30 de outubro de 2013

terça-feira, 29 de outubro de 2013

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

domingo, 27 de outubro de 2013

Fanfic de halloween: Labirinto

21:18 5 Comentários
E aí, pessoal? Hoje estou estreando minha fanfic de halloween: Labirinto. Dessa vez estou tentando criar algo mais psicológico, ainda que igualmente assustador. A turma irá se perder num jogo insano e passar por maus bocados. Será que vão conseguir sair dessa ou afundar de vez? Não vai ser fácil não!


  • Labirinto






















História: Labirinto

Classificação: +16
Gêneros: Ação, Angst, Darkfic, Drama, Fantasia, Horror, Mistério, Terror
Avisos: Mutilação, Tortura, Violência

Sinopse: A vida é como um labirinto...é fácil se perder pelos caminhos errados, é difícil se manter no caminho certo, a não ser que você tenha um mapa.


É um jogo psicológico, que irá testar os nervos da turma até o seu limite e um pouco mais além. Ou eles vencem, ou perdem tudo. Quem está por detrás desse jogo insano? Por quê?

Será que eles conseguirão sair dessa confusão mental? Existe alguma forma de sair da própria loucura? Ou será que eles se perderão na própria inconsciência?


sábado, 26 de outubro de 2013

Quarta capa da TMJ 63

11:13 18 Comentários


Quando eu vi a quarta capa da ed. 63, fiquei bastante surpresa. Normalmente não falo nada dessas capas, mas dessa vez eu gostei bastante. O pessoal está meio confuso porque apesar de a moça se parecer com a Magali, a cor dos olhos está confundindo bastante. Mas eu acho que é ela por causa do rosto e dos cabelos. Legal ela aparecer com os cabelos soltos ao menos uma vez. Quanto a cor diferente dos olhos, podem ser lentes de contato. Ou de repente, ela foi possuída mesmo. Hahaha!

Mas tem um porém... o desenho ficou ótimo, mas a meia lua incompleta do cetro me incomoda. Não reparem, é tipo uma mania de perfeição. Então eu peguei o png do TMJ Wallpapers e completei a meia lua. Acho que o pessoal iria gostar mais de ter um desenho completo. Então, aqui está!


domingo, 20 de outubro de 2013

Alguns png's da ed. 63

09:18 12 Comentários
Hoje eu tenho umas coisinhas legais para vocês. Sabe, uma coisa que eu tinha esquecido de mencionar no post anterior é que a roupa da assombração parece ser de hospital, por isso eu suspeito da Penha e pode ser que o lance de ela estar em coma seja mesmo verdade.

O Emerson já falou que não vai ter romance na história, o que para mim é uma boa notícia. Não que eu não goste de romance, de vez em quando eu gosto sim. O problema é que com a Mônica e o Cebola, tudo vira um maldito dramalhão de novela mexicana. Aí é preferível que não tenha romance nenhum mesmo.

Se bem que pode acontecer de eles brigarem feito cão e gato por um tempo até resolverem entrar em um acordo e trabalhar juntos. De qualquer forma, confio que isso será bem feito e no fim a história será muito boa.

Aqui tem uns pngs que eu fiz para a reforma do blog. Primeiro tem o da Madame Creuzodete. Não sei se acertei nas cores das roupas e dos acessórios. Para os cabelos, me baseei nas imagens dela nos gibis.


Também fiz um da Penha para colocar no cabeçalho, mas depois acabei colocando o da assombração mesmo.



Eu aproveitei os pngs do TMJ Wallpapers e completei o desenho do caveirão e separei o desenho da Mônica e do Cebola, completando as roupas dele. De repente, dá para aproveitar. E para quem quiser, também tem o papel de parede do blog.

sábado, 19 de outubro de 2013

TMJ#63 - Dia das Bruxas: palpites

21:15 32 Comentários


Ah, finalmente vai sair a tão esperada edição de outubro. Eu pelo menos estava esperando ansiosamente e já vi que essa vai ser a melhor edição do ano. Pelo menos vai sair da mesmice das outras histórias que tem andado meio enjoativas ultimamente.

Para falar a verdade, eu não sei bem quais palpites arriscar. As outras são mais ou menos previsíveis, mas essa deve ter muitas surpresas. A sinopse diz que Denise vai dar uma festa para o dia das bruxas, mas uma vingança sobrenatural ameaça as vidas de Magali e Sofia. E enquanto isso, Mônica e Cebola ficam presos numa casa mal assombrada.

Aí vem um monte de perguntas. Tipo... os dois eventos estão ligados ou são separados? Confesso que estou um pouco confusa. No início, eu achei que Agnes fosse voltar, mas o Emerson falou em seu Twitter que ela não vai aparecer. Então por que a tal vingança vai ser para a Magali? Quando vi o nome dela na sinopse, logo lembrei daquela história do sumiço dos passarinhos. A única pessoa que eu imagino que iria se vingar dela é a Agnes.

Se bem que ele pode ter falado isso para nos pegar de surpresa e no fim a Agnes acabe aparecendo, não tem como saber. Viram como dar palpites para essa história está difícil? Mas é assim mesmo que eu gosto, de não saber o que esperar e ter um monte de surpresas. Como já falei antes, prefiro errar todos os palpites e ser surpreendida com uma história excelente.

Quem viu a publicidade da edição logo ficou se perguntando quem é a figura sinistra atrás da Mônica, Cebola e Denise. Uns dizem que é a Bianca, outros votaram na Penha. Houve também quem achasse que é a Agnes, embora não faça sentido porque ela é loira.

A Bianca também não pode ser porque não foi o Emerson quem escreveu a Ed. 39. afinal, por que ela iria querer se vingar da Sofia? Então resta a Penha. Aliás, os cabelos da assombração parecem mais com os da Penha que os da Bianca.

Dizem que o Emerson andou falando que a Penha entrou em coma depois da queda. Se isso for mesmo verdade, talvez explique muitas coisas. Tipo, enquanto está em coma no hospital, o espírito da Penha pode ter resolvido perseguir e se vingar de todo mundo.

Claro que continuo sem saber onde Magali entra nessa história, mas acho que vamos ter uma boa surpresa. Pode até acontecer de a Penha não estar fazendo tudo sozinha, pode ter o dedo de outra entidade na história.

A capa, lógico, ficou o máximo apesar de eu não ter entendido a Mônica aparecendo duas vezes. Mas adorei os zumbis em volta dos dois e o caveirão no fundo. Quem será? Certamente a tal entidade que quer se vingar de todos. Seria a Penha ou outra pessoa? Eu reparei que a mão da caveira não é feita de ossos e sim está usando uma luva. Ou fizeram isso para facilitar o desenho ou então é uma pessoa fantasiada.

E como o Cebola e a Mônica vão parar nessa casa? Aliás, que casa seria essa? A da Agnes? A antiga casa da Bianca? Ou tem outra casa mal assombrada no bairro? O que eles estariam fazendo ali? Será que é o local da festa da Denise? Vão todos ficar juntos ou separados, tipo Mônica e Cebola num lugar e Magali e Sofia em outro. Será que a participação da Denise vai ser tão boa quanto nas edições 51 e 52? E que fim levou a Sofia afinal de contas? Será que voltou para o colégio das Pitangueiras? Ai, ai... tantas perguntas!

E de onde virão os zumbis? São de verdade ou uma ilusão? Pensando bem... será que vai ter zumbis de verdade ou eles são só para ilustrar a capa? Nem sempre o que aparece na capa acontece na história, então fica complicado dar algum palpite e fazer previsões.

Engraçado que teve gente achando que o caveirão era a Dona Morte. Será? Ai meldels... se for, eu sou capaz até de sair do jejum e comprar a revista! Mas acho que não é não, é só coincidência. Mas que essa história promete ser boa, promete sim!

Pena que é só um capítulo. Por mim, podia ser cinco que eu nem ia ligar porque sei que seriam capítulos muito bons. Uma pena... teremos uma história excelente e depois voltaremos a mesmice de sempre.

Espero que tenham gostado do visual de halloween do blog. Desde criança, eu sempre quis fazer que nem nos filmes e sair pedindo doces de casa em casa, mas isso nunca foi possível. Eu não importo que seja um feriado americano, gosto de curtir e pronto.

Só não sei se acertei as roupas da Madame Creuzodete, mas se acontecer de ela sair na quarta capa, aí eu conserto.






CBM #2: Confusões na cidade grande - críticas

20:31 3 Comentários
Há um tempo eu estava devendo a crítica do Chico Moço desse mês. O tempo tem andado meio curto e estou mudando o visual do blog para o halloween.

O que eu achei da história? Inicialmente, acho que não vai ter assim muita coisa para falar porque está bem começo. A Ed. passada foi para se despedir da roça e caminhar para uma nova vida. Essa edição foi para apresentar os novos colegas de quarto, as dificuldades de adaptação e como ele conseguiu contornar isso. na próxima, vai falar do seu novo emprego e imagino que a outra falará do seu início na faculdade, onde irá conhecer seus colegas de classe, professores, etc. Acho que vai levar um tempo até que mostrem algo emocionante e novo.

Os colegas dele são engraçados, embora meio estereotipados. Quer dizer, tem o asiático nerd e estudioso, o amalucado sem noção e o gordinho tímido, comilão mas no fundo gente boa.

O choque inicial entre eles foi bem ilustrado, mostrando o estranhamento de ambas as partes. Deles porque não estavam acostumados com um caipira de verdade, de sotaque e tudo. E do Chico porque achou seus colegas muito diferente das pessoas com as quais ele estava acostumado a conviver. Então foi preciso que todos aprendessem a lidar com as diferenças e respeitar a individualidade de cada um. Afinal, ser diferente não é errado.

Ele também conheceu o zelador do parque, um velhinho que parece ser bem rabugento, mas muito caprichoso e apegado ao local de trabalho. Esse vai ser seu futuro patrão e parece que não será nada fácil.

Quando eu estava na faculdade, não precisei morar em república porque dava para ir de ônibus mesmo, mas tive colegas de classe que viviam em outras cidades e por isso precisavam morar nessas repúblicas. Pelo que falavam, costumava ser difícil mesmo porque tudo era bem individualizado, cada um com suas coisas, sua comida, etc. as tarefas tinham que ser bem divididas e já ouvi casos onde os alunos entravam em conflito e se desentendiam feio.

Sem falar a falta de dinheiro, que o Chico sentiu bem na pele. Precisar contar os centavos, economizar, muitas vezes comer porcaria porque não pode gastar mais... e um grupo de jovens reunidos num apartamento, sem a supervisão dos pais, as coisas podem ficar bagunçadas facilmente. Gostei de ver como o Chico foi contornando a situação, propondo aos colegas novas formas de organizar tudo para que eles pudessem viver melhor.

Até a comida melhorou bastante e rachei de rir ao vê-lo fazer comida só para ele e o Jacomo enquanto Lee e Jurandir tiveram que se virar com sanduba e salgadinho. Bem feito para eles! E o truque de jogar pimenta na comida para descobrir o ladrão misterioso foi hilário. Eu teria colocado laxante, mas tudo bem.

Só achei que o Chico foi meio inocente demais ao andar na cidade, já que ele tinha ido visitar o primo várias vezes na infância. Já era para ele ter aprendido algumas coisas, como não deixar bolsas e malas dando sopa por aí para os ladrões pegarem. Se bem que eu dei risadas ao ver as confusões dele, parecia até as histórias dos gibis. Só faltou ele nadar pelado em alguma fonte ou lago, mas acho que isso não ia rolar, né?

Bem... sei que não falei muita coisa, mas vamos esperar pelas próximas edições. Estou curiosa para ver como serão as histórias daqui para frente, porque ele é um jovem ingressando no mundo dos adultos, então as histórias não terão o mesmo foco da TMJ. Só mesmo esperando para ver como elas irão evoluir. 

domingo, 13 de outubro de 2013

TMJ #62: Os campeões da justiça - críticas

21:49 28 Comentários
Pois é... dessa vez demorei muito para publicar a crítica. Mas como falei antes, tenho andado sem tempo e inspiração para escrever. E também vou confessar uma coisa: Por acaso já aconteceu de vocês chuparem uma bala doce e de repente ela ficar azeda?

Foi essa a sensação que eu tive ao ler a TMJ desse mês. Tá, sei que pode parecer chatice minha, mas foi exatamente assim como eu me senti. No início, eu estava rachando de rir com a história e bem satisfeita. “Puxa, a história desse mês está boa mesmo!”, eu pensei enquanto lia.

Mas aí a bala ficou azeda quando transformaram tudo, mais uma vez, na eterna pendenga entre a Mônica com o Cebola. Me pegaram de surpresa porque eu pensei que dessa vez os dois fossem trabalhar juntos para resolverem o mistério, entendem? Mas não. Outra vez aquele papo maçante, repetido ad nauseam, de derrotar a Mônica.

Sem falar que meu estômago embrulhou terrivelmente quando o Cebola falou que a Mônica não sabia pensar por si mesma. Quer dizer, ele acha ruim quando ela o subestima, mas ele pode subestimá-la? Ridículo e de virar o estômago. Vocês acham ruim de eu não gostar do Cebola, mas caramba! A Petra bem que podia colaborar um pouco, né? Um pouco de simpatia não faz mal a ninguém.

Pelo menos eles colocaram a Mônica usando bem o cérebro, mostrando que tem até boas noções de direito a ponto de poder responder todas as perguntas e rebater as criticas e argumentos do Cebola. Até alguns termos jurídicos ela soube usar.

Adorei ver como ela conseguia rebater cada argumento do Cebola, cada “prova” que ele fornecia e até foi capaz de desmentir o testemunho furado da Denise Creuza Maria (kkkkk!). Para falar a verdade, foi a parte mais engraçada da história com a Denise viajando legal na maionese e no fim sendo desmascarada pela Mônica. Sem falar que foi muito bom ver o Cebola se achando por cima em alguns momentos para no fim ser derrubado pela Mônica. Isso compensou qualquer crítica negativa que eu tenho contra a história.  

Claro, não posso esquecer também a participação do Licurgo. Está certo que ele pisou na bola acusando o Toni injustamente, mas que foi hilário foi. Eu sempre gosto quando ele participa das histórias. No fundo ele não fez por maldade, já que não pretendia punir o Toni severamente. Só queria disfarçar para não pagar um mico horroroso. E pensando bem, seria uma tremenda vergonha ele venerar tanto a estátua para acabar arrancando a cabeça dela depois. Eu também ficaria sem saber onde enfiar a cara.

Surpresa mesmo foi saber que ele é o diretor do colégio. Quando ele fez a “grande” revelação, logo de cara eu lembrei daquela animação da TMJ, onde a diretora do colégio era uma mulher. Por isso achei estranho, mas tranqüilo. A tal animação não deve fazer parte da TMJ oficialmente, foi só para uma campanha.

Outra coisa que me causou estranhamento foi que na sinopse da história, falaram que a Mônica teria que provar a inocência de alguém enquanto o Cebola deveria encontrar o culpado. Até aí tudo bem. Ou não? Quer dizer, a Mônica conseguiu provar a inocência do Toni. Mas o Cebola não encontrou o culpado, quem encontrou foi a Mônica. Ela teve o insight primeiro e ele apenas acompanhou depois de pensar um pouco. Seja como for, ela pensou primeiro.

Confesso que decepcionei um pouco porque imaginei os dois trabalhando juntos e ao invés disso, tive que aturar o Cebola mais preocupado em derrotar a Mônica e satisfazer seu ego do que em descobrir a verdade.

Mas tirando isso, eu admito que gostei muito da história porque mostrou bem que a Mônica tem vocação para ser advogada. Talvez seja uma prévia ou dica da profissão que ela seguirá no futuro. Afinal, ela mesma disse que quer defender os inocentes e ajudar as pessoas. Como advogada, ela poderia ajudar e proteger muitas pessoas e acho que fica bem na personalidade dela.

Sei que vocês devem ter estranhado ela ter acreditado na inocência do Toni assim logo de cara, mas eu não vi nada de absurdo nisso. Foi em parte uma questão de lógica. Estragar a estátua não fazia parte do perfil do Toni e não ia trazer nenhum benefício a ele. Em parte, foi intuição também. Se até grandes homens de negócio e cientistas usam a intuição, por que a Mônica também não podia usar?

Não subestimem o poder da intuição. Quando aprendemos a usar, ela pode ser uma poderosa ferramenta. É graças a intuição que nossa mente sai da caixa e foge do senso comum. Com ela, vemos além das aparências. Seguir a intuição não tem nada de vergonhoso, muito pelo contrário. Vergonhoso é se deixar levar por dogmas e aparências, aceitando tudo passivamente ao invés de pensar por conta própria.  

LT #53: A invasão das aranhas gigantes - críticas

20:54 4 Comentários
Sei que demorei demais para atualizar o blog e postar as críticas. Acontece que além da falta de tempo, tenho andado sem inspiração para escrever também. Mas vou ver se consigo soltar alguma coisa hoje.

Gostaria de falar da LT desse mês, que foi sobre a invasão de aranhas mutantes enormes que caçavam pessoas.

Bem... eu vou ser sincera. Confesso que esperava mais dessa história. Acho que ter menos páginas que a TMJ prejudicou bastante porque ficou corrido e não teve o devido suspense que uma história desse gênero deveria ter.

Logo de cara vimos que tinha aranhas gigantes na cidade, que apareceram quase de uma vez e em massa. Algo assim deveria evoluir um pouco mais de vagar, com uma pista de cada vez até culminar na invasão das aranhas enormes.

Outra coisa que ficou chata é que eles não explicaram o porquê daqueles insetos terem ficado tão grandes. Falaram qualquer coisa sobre poluição, mas não ficou claro.  

Tirando isso, a história teve um humor legal e tocaram no namoro da Lulu com o Bola na medida certa, nem demais e nem de menos. Mas na boa... quando é que a banda Loki vai conseguir fazer seu show sem dar uma zica? parece que eles estão numa urucubaca daquelas.

Normalmente deveria ser assustador, mas também ri quando o coitado do Careca foi pego por uma aranha. Só achei que isso deveria ter ficado tipo um mistério, com as pessoas sem saber por um tempo quem ou o que estava raptando as pessoas. Como falei antes, o mistério foi rápido demais.

Os jovens tiveram uma participação boa na solução da crise e gostei de ver Lulu e Bola trabalhando juntos. A história teve ação, movimento e deu até um pouco de ansiedade. Disso não posso reclamar. A idéia da bolha foi genial e ajudou muito na luta contra as aranhas. Essa é uma das coisas que gosto na Lulu, ela usa bem o cérebro e tem boas idéias.

O problema foi resolvido, os insetos ficaram presos e certamente o exercito deve ter dado um jeito depois. A cena da Lulu beijando o Bola no fim foi a cereja do bolo. Romântico sem ser meloso. O dia nascendo, o sol iluminando tudo, os dois dentro de uma bolha no meio do lago... não deixa de ser diferente e inusitado.

No geral, eu gostei da história, só achei que faltou mais desenvolvimento. Mas entendo que é o reduzido número de páginas que torna a LT mais barata que a TMJ, então nem vou criticar muito nessa parte.

Eles ainda deixaram em aberto o assunto da Rosa, mas tudo bem. Não podem revelar tudo de uma vez, senão perde a graça.

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Sucesso no Limoeiro

20:27 18 Comentários
E se o Chico fizesse uma visita ao bairro do Limoeiro? O que as garotas iam achar dele? Quando refiz o desenho dele, logo pensei em colocar como fundo as garotas da capa dos monstros do ID, mas quando tentei remover o Cebola, ficou uma caca. Então acabei refazendo o desenho delas também, completando com as partes que faltavam. Não ficou perfeito, mas acho que serve para fazer outras montagens também.Os desenhos da Aninha e Marina eu tive que completar, então esses não ficaram exatamente iguais aos da revista.

Como eu sempre disponibilizo os png's dos desenhos, então vou liberar esse também.

Sei que o blog não anda lá muito atualizado, é que ultimamente tenho andado muito atolada em trabalho. Não é mole não, crianças!