TMJ#87: Emergência médica - Críticas ~ TMJ do meu jeitoTMJ do Meu Jeito

terça-feira, 17 de novembro de 2015

TMJ#87: Emergência médica - Críticas


E aí? Quem já leu a TMJ 87? Pois é. Foi uma história bem... interessante. Quer dizer, não foi algo que eu amei de paixão, mas também não odiei. Teve umas coisas legais, outras previsíveis, algumas me saíram forçadas... mas vá lá.

A história começa meio parecida com a ed. 55 – meu futuro, onde os alunos são levados a pensarem no que querem fazer um dia. Só que dessa vez o Licurgo mandou cada um listar o que é mais importante e seu computador “ultra-potente-de-última-geração” definiu para onde cada um deveria ir: para o hospital da cidade. Tudo a ver com todos eles, né?

Sei lá, confesso que achei um tanto forçado. Quer dizer, a Mônica até que conseguiu dizer onde as aptidões de cada um (exceto o Cebola) se encaixariam na medicina, mas ainda assim não acho que seja o sonho do Cascão e da Magali seguirem essa carreira.

Magali quer que todos comam melhor, não só os pacientes dos hospitais. E Cascão gosta de praticar esportes, colocar a mão na massa. Não faz parte do jeito dele ficar parado e só dando suporte aos outros atletas. Já a Mônica tem mais perfil para ser médica ou cirurgiã por causa do seu desejo de ajudar as pessoas. Aí sim encaixa bem no perfil dela.

Só faltou ela dizer onde o Cebola encaixava naquilo tudo, mas pelo visto ele pareceu não importar por causa da sua arrogância de achar que só os sonhos dele são grandiosos enquanto os dos outros são medíocres. Sério, achei isso uma total falta de respeito. Não cabe a nós julgar qual é o tamanho e a importância dos sonhos das pessoas. Acho que qualquer dia desses, alguém devia dar nele uma pequena lição de respeito e humildade.

Ah, não podemos esquecer da garota bonitinha de cabelo rosa que o fez, magicamente, passar a adorar estar no hospital e se interessar pela medicina: Nadine. Acho que foi essa a parte que todos esperavam, a hora em que ela ia aparecer e deixar a Mônica se mordendo de ciúme. Só que muita gente deve ter decepcionado quando a Mônica não se descabelou, gritou, chorou, babou e nem rolou no chão. Pois, gente, não se pode ter tudo.

Mas numa coisa a Mônica tem razão: o Cebola não pode mesmo ver mulher. Credo, parece o Titi! Foi só aparecer uma garota bonitinha para ele ficar todo babão! Calma lá, eu não estou achando ruim dele xavecar outra garota porque agora ele não deve satisfação a mais ninguém. Apenas fica a reflexão: se o rolo entre os dois ainda estivesse de pé, o que iria acontecer nessa história? A mesma coisa. O Cebola ia ficar babando pela garota, querendo se mostrar e a Mônica ia sofrer, morrer de ciúme, etc. mas no final acabaria perdoando a mancada dele.

Isso sem falar que ele ainda poderia criticá-la, jogar os defeitos na cara dela e fazer comparações com a Nadine. Só que nada disso aconteceu, ainda bem. Então posso dizer que eu nunca fiquei tão feliz por ela ter desencanado do Cebola quanto ao ler essa história. Sério, foi um alívio muito grande não ter o mesmo mimimi-dramalhão-ridículo-de-novela-mexicana novamente. Até o ar ficou mais leve ao meu redor.

Voltando a história, nós também tivemos a participação daquele médico rabugento paródia do Dr. House. Uma confissão: nunca assisti um único episódio do Dr. House na vida, então não posso falar muita coisa dessa paródia. Mas pelo que me lembro dos comerciais, acho que ficou bem parecido. O cara é chato, mala sem alça e com grande problema em falar com as pessoas. Um médico do qual eu iria querer distância. Se bem que eu quero distância de qualquer médico, mas isso é outra história. A turma logo achou ruim, só Nadine ficou feliz por encarar o chato rabugento.

Apesar de tudo, não tenho assim muita coisa para falar a respeito da história. Só que algumas situações ficaram bem forçadas. A maior delas foi o tal robô super realista que parecia mesmo ter tripas humanas. Quando Nadine falou que o sangue dele poderia até ser usado em transfusões, a primeira coisa que eu pensei foi: “mas por que não usaram um robô desses para conseguir o sangue que o DC precisava”? Aliás, se eles são capazes de fabricar sangue artificial que pode ser usado em humanos, por que não fizeram um bom estoque de tipos raros que podiam ser usados no DC?

Sei, sei, as duas histórias foram feitas por roteiristas diferentes, mas acho que deveria ter ao menos um pouco de coerência entre as edições, uma costura entre elas, entendem? Outra coisa que eu estranhei bastante foi a Mônica ter ficado um tempão no hospital e não ter dado nem uma passadinha no quarto do DC. Tipo assim, será que ele já recebeu alta? Creio que não, caso contrário teria aparecido na sala de aula junto com os outros.

Voltando ao robô, confesso que também achei forçado o hiper-realismo dele, tão real a ponto de simular todas as funções humanas e até desenvolver anticorpos. Mas tudo bem, é uma HQ, então exageros podem ser permitidos.

O Cebola xavecando a Nadine foi clichê e previsível. Claro, ele sempre irá atrás da garota bonitinha. Vou ser sincera: confesso que parte de mim shipou ele com a Sarah. Sim, sei que é doideira, mas imaginei que um dia podia rolar algo entre eles, por que não? Mas acho que o Cebola jamais iria se apaixonar por uma garota fora dos padrões (gordinha, gótica, cabelos azuis e ainda com cicatrizes de queimadura). Alguém como ele, que olha a aparência física antes de tudo, só poderá se sentir atraído por garotas dentro dos padrões. Que pena... Se bem que essa história é do Cassaro, não sabemos se ele tem autonomia para arrumar outra namorada para o Cebola.

Nós sabemos que só a Petra pode mexer no casal Mônica e DC, mas não sabemos se o mesmo se aplica ao Cebola, já que ele faz parte do drama.

O que eu achei da Nadine? Bem... uma personagem plana, um tanto perfeitinha, sei lá. Nada que realmente chamasse a atenção. Parece boa pessoa, que já tem um sonho definido e é apaixonada por ele. É inteligente, já sabe bastante coisa e adora desafios, o que acabou atraindo o Cebola (em segundo lugar depois da aparência). Mas tipo assim... Não foi uma personagem que realmente me intrigou como aconteceu com a Diana.

E também existe a chance de ela nunca mais aparecer no futuro, de ter sido somente aquela personagem que aparece numa única edição para nunca mais voltar. Se bem que o final foi promissor, então quem sabe dessa vez o Cebola desencalha? Pelo menos a garota é humana, então já é um grande avanço.

A história foi bem educativa. Talvez um pouco demais, porque achei que tinha muita informação e pouca ação. E situações bastante inverossímeis como bactéria malucas surgindo do nada e infectando o hospital inteiro em poucos minutos. E mais inverossímil ainda foi um grupo de jovens inexperientes operando um robô-humano para salvar o hospital da bactéria.

Sei lá, um tanto forçado para mim toda aquela cena deles operando o robô para conseguir o sangue dele. Eles não tinham nenhuma experiência e mesmo assim se saíram muito bem, especialmente a Mônica. Eu nunca pensei que ela tivesse uma mão tão firme e ao mesmo tempo delicada capaz de fazer uma cirurgia com tanta precisão sem tremer um milímetro. Sabe, acho que ela daria uma ótima cirurgiã!

Apesar de tudo, confesso que gostei da parte em que o robô ficou doido e começou a soltar tripa e sangue para todo lado. Isso sim foi bem legal, pena que durou pouco. Até falar a criatura falou! Bem sinistro, na verdade. Algo assim poderia até começar a pensar, se tornar mais humano, raciocinar... isso, claro, se ele tiver algo que simule um cérebro.

Outra coisa que estranhei foi o sangue do robô ter sido capaz de curar as pessoas apenas pelo contato com a pele. Mas tranquilo, acho que não teria sido adequado o Cebola aplicar injeção.

Pelo menos tudo terminou (facilmente) bem. A praga foi erradicada, todo mundo foi curado, o Cebola ganhou uma paquera nova e talvez um novo sonho: medicina.

No início, quando vi o Cebola se mostrando tão interessado na medicina, eu logo estranhei bastante e achei muito forçado. Quer dizer, ele decidiu que gosta da área só porque uma garota bonitinha falou algumas coisas? Desafios ele pode ter em qualquer lugar, por que especificamente na área da medicina?
Poréeemmmm... eu me lembrei da ed. 48, a dos zumbots. O que isso tem a ver? Lembram do que o Cebola do futuro criou nessa edição? Os NANITAS. E o que os NANITAS fazem? Curam as pessoas de diversas doenças, algumas consideradas incuráveis. Na época eu estranhei um pouco ele ter criado um produto que atendia a área médica, mas agora isso está fazendo bastante sentido.

Se ele por acaso estudar medicina e se formar, poderá unir esse conhecimento a área de tecnologia e criar os tais NANITAS. Se vai ou não detonar a humanidade é outra história e não vem ao caso. Bem, claro que não sabemos se ele vai continuar interessado em medicina, mas pelo menos tivemos uma costurinha bem pequenininha entre as Ed. 48 e 87. Talvez fique só nisso mesmo, vamos ver o que vem pela frente.

Essa foi minha crítica. No geral gostei da história, mas não foi algo que realmente me empolgou. A atuação do médico rabugento avesso a contato humano foi boa, gostei de ver os quatro trabalhando em equipe, da força que a Mônica deu ao Cebola nos seus momentos de dúvida e, principalmente, no fato de ela vê-lo xavecar a Nadine e não se descabelar de ciúme. Nessa história eles eram apenas amigos, não rolou nenhum clima e o Cebola pareceu ter desencanado, só não sei se é definitivo porque, como falei antes, o roteirista é diferente. Mas espero que continue assim.

Sei que um dia os dois vão voltar, mas acho que por enquanto é melhor que sigam como amigos sem nada de mais no meio. Se querem mesmo que os fãs aceitem a separação deles, o ideal é não criar muitas situações onde pareça ter sentimentos entre os dois ou ninguém nunca vai levar isso a sério.

Essa foi a crítica do mês. Confiram também as críticas do Canal Opinião Turma da Mônica Jovem:

81 comentários:

  1. Também gostei da edição , e achei coerente a Mônica não ficar de ciumeira exagerada , ja que agora ela namora o DC , apesar que teve um leve incomodo com esse interesse amoroso do Cebola , mas tudo bem , uma coisa que também senti nessa história é uma certa ligação do Cebola com Doutor Rause : ambos são arrogantes , geniais , não se interessam muito pelas outras pessoas , se achando superior , e não se interessam fácil por qualquer coisa , tem que ser algo desafiante. Isso faz muito sentido , até mesmo o que ocorreu do Cebola ficar sozinho , foi devido a arrogância , mesma coisa acontecia na série do Doutor ( recomendo muito ver )
    realmente achei muito legal terem de certa forma feito essa ligação com a história do Cebola ir pro futuro , é uma das minhas favoritas , sempre imaginei se teria alguma continuação , pelo menos ja posso ter esperança de que possa ocorrer futuramente.
    E também espero que possa ocorrer algo entre o Cebola e Nadine , mas não me surpreender se não volta mais ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E a Nadine não deve mesmo retornar,ela é daqueles personagens cuja ``vida útil´´ dura apenas uma edição.

      Mas isso só tempo irá dizer se é verdade ou não isso que falei,mas tá com todo o jeito de ser isso mesmo.

      Excluir
    2. Poie é ... uma pena mesmo , mas falando da ediçõa , parece que essa e a 88 será meio filler , só voltando a história "principal" só em janeiro

      Excluir
  2. Enquanto o desenho de todos os personagens fica cada vez mais fantástico, o da Mônica fica mais mal-desenhado e absurdo a cada edição, '-'

    ResponderExcluir
  3. Essa edição do Cassaro na minha opinião merece uma nota 6,5. Não foi de todo o ruim,mas poderia ter sido melhor.

    A Mônica não se descabelou com a babação do Cebola pela Nadine,mas chegou a dar umas cutucadas bem sutis no Cebola a cada investida dele na moçoila,mas nada que se compare as explosões de ciúme dela em outras ocasiões que o lado mulherengo do Cebola aflorava tão logo via uma moça bonita a vista.

    Quanto a Nadine,bem até que ela me agradou,mas ela é ao que tudo indica,mais uma daquelas personagens que só surgem em uma única história pra não reaparecer mais.

    ResponderExcluir
  4. E complementando meu comentário anterior: O Cassaro é quem faz o layout de roteiro das histórias da Petra,então imaginei que essa história dele teria alguma ligação ou relação com as edições 85 e 86 que foram da Petra,mas essa edição ficou muito diferente em relação a essas duas e qualquer uma das edições mais recentes dele e da Petra,pois ficou mais que parecendo uma volta ao passado,com os personagens(mais especificamente o Cebola) retomando alguns de seus defeitos,ainda que a Mônica desta vez tenha sido muito mais contida quando o Cebola ficava dando em cima da Nadine.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E olha que a edição 82(que foi do próprio Cassaro),teve um pouco mais de ligação com as edições 80 e 81 que foram da Petra(mais especificamente a retomada da amizade entre a Mônica e o Cebola).

      Excluir
    2. Verdade , ficou uma certa coisa de volta ou como ja disseram "reaproveitou um roteiro antigo" enfim gostaria de ver uma mudança no status quo do Cebola , ficar chorando pela Mônica estar com DC ja ficou muito lamentável

      Excluir
    3. Essa mudança mais especifica no status quo do Cebola creio eu que não deva ocorrer,já que está meio que na vista que ele e a Mônica deverão reatar mais a frente,creio eu.

      Excluir
    4. Também acho que vão reatar , só imagino como fará pra Mônica voltar a gostar do Cebola como antes , agora que fica falando o tempo todo que ama Do Contra , mas acho que ela não ama taaaaanto assim , até por isso acho que ta se cuidando mais por não se importar tanto com o DC como era com Cebola , além de não explicar o por que de ter ficado um bom tempo bolada com o Cebola , mas não acho que explicara isso e nem que futuramente mostra que a Mônica tava confusa ou coisa assim

      Excluir
    5. Só pra esclarecer: o fato de uma mulher se cuidar ou não nada tem a ver com ela amar ou se importar com o homem. É algo mais ligado a auto estima dela.

      A Monica deixava de se cuidar porque vivia estressada, aborrecida e pra baixo por causa do Cebola e isso afetava a auto estima dela e a vontade de se cuidar. De forma alguma essa falta de cuidado pode ser interpretada como amor, da mesma forma como cuidar de si mesma não significa que ela não ame ou se importe com o sujeito.

      Excluir
  5. Acabei de me lembrar da Saga Umbra. Tá, eu sei que faz parte das histórias do Emerson, mas reflitam: Dona Morte disse que quando os Quatro Cavalos aparecerem, o mundo irá acabar. Já foi o da Guerra (Penha) e o da Morte (Berenice). E se os NANITAS forem o Cavalo da Peste? Os Cavalos não apareceram em ordem cronológica. O certo seria o da Guerra, para incendiar os continentes, o da Fome, para devastar a população, o da Peste para acabar com os restantes e então o da Morte para ceifar suas almas. E se o da Fome aparecer primeiro e então o Peste vier. Faz sentido, pois na edição, o mundo foi devastado. Seria questão de tempo até todos morrerem. Então, creio que os NANITAS são o Peste. Acho também que o Fome será a Magali. Ela foi capaz de congelar a região nordeste inteira do Brasil. E se ela congelar TODO o Brasil e destruir os cultivos, as indústrias, tudo? Deixar todos morrendo de fome? Também faz sentido. De todos os jeitos, o Fim dos Tempos está próximo para a Turma da Mônica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Duvido , a história dos roteiristas não casam como um todo , geralmente cada saga se conta por si mesma

      Excluir
  6. Vou postar aqui o mesmo que coloquei lá no blog do Luís e já havia comentado parcialmente na parte de sugestões. Só vou colocar alguns acréscimos e algumas correções.

    Quando li essa história, a PRIMEIRA COISA que me veio à mente é: desenterraram alguma história defunta esquecida na gaveta de algum roteirista e mandaram colocar no prelo com uma alteração mínima ou outra. Praticamente a ÚNICA alteração mesmo foi tirar o ciúme xiliquento da Mônica. O resto, o Cassaro deixou como estava mais ou menos.

    Gente, peloamordê:

    1 - Quando a Mônica vai responder qual é a coisa mais importante na sua vida, ela diz: _ Minha família! Meus amigos! _ CADÊ O DC? Seu namorado não figura na lista das coisas mais importantes na vida dela?

    2 - Na hora de responder qual o seu maior sonho, lá vem o VELHO CEBOLA, aquele que pensa em dominar o mundo e fazê-lo à sua imagem e semelhança. Mas o atual Cebola levou uma merecida rasteira da Mônica e ficou uma certa impressão de que sua ganância não está mais no mesmo nível, exceto nas descrições que o Emerson faz na personalidade dele.

    3 - Tá, vão para o Hospital do Limoeiro. Esse talvez seria o momento de introduzir uma queixa da Mônica: _ Mas tinha que ser logo este! Não podia ser onde o DC está internado? Assim eu podia passar um tempo com ele!

    4 - E aí a Mônica, que tanto quanto se saiba NUNCA FOI FAMOSA POR FAZER RACIOCÍNIOS RÁPIDOS E CONCATENADOS, desfia as possibilidades do que ela e seus amigos podem fazer com seus talentos no ambiente hospitalar. Querem saber duma coisa? Essa era a hora de a Sarah estar ali. Ela sim poderia usar da sua vidência/premonição e indicar aos amigos onde seus talentos pessoais encaixariam.

    5 - Mas em vez dela, aparece aquela ruiva magenta. E a Mônica, que saiu de uma história emocionada por sentir que o Cebola é seu amigo de verdade verdadeira, dá a alfinetada dizendo que o Cebola não podia ver mulher. Eu esperaria que ela fosse mais gentil, tipo: _ Esse é o Cebola, inteligentão e chegado em moça bonita. Você pode dar sorte com ele. _ Exceto pela ausência do ciúme xiliquento da Mônica, TUDO isso é a situação de antes de o Cebola perder a Mônica.

    Eu não sei se o Cassaro e a Petra têm páginas no face onde respondem a questões dos leitores, mas o Emerson tem e aí o questionei se ele entrou em férias sabáticas por não ter aparecido história dele de assombração no mês do dia das bruxas. E aí ele me respondeu que não, mas que tem uma saga que vai pegar três edições e para não atrapalhar a história do Flávio, a saga dele ficou para dez, jan e fev. Assim então a MSP encomendou ao Cassaro uma história fechada para ficar entre a da Petra e do Flávio. Portanto não seria uma história velha e sim nova em folha. Chocante! Agora conta outra:

    A história do Cassaro tem cheiro de mofo pelas características comportamentais do Cebola, inclusive na retomada dos planos infalíveis. Que foi feito daquele juramento de não mais fazer planos? O quebra pau que tive com o Emerson foi por conta do lance dos personagens "oi e tchau". Ou seja, aqueles personagens que aparecem uma única vez e nunca mais. Jurou ele para mim de pés juntos que a Sarah é uma personagem assim. A Petra a inventou só para a sua história e tchau e bênção. Não vai aparecer nem mais na sala de aula. Insistiu comigo também que nenhum outro roteirista poderia pegar um personagem assim, inventado pelo colega e sair usado. Só a Petra teria direito de fazer alguma história com a Sarah. Arre! Como é que a MSP se mantém em pé com uma equipe de roteiristas tão desunida? Era só o Cassaro bater um fio para a Petra sugerindo usá-la na história tapa buraco para dar continuidade com a dela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lembra da ed. campeões da justiça? Pois é. Nessa história a monica raciocinou muito bem, obrigada. Uma pessoa burra e sem capacidade pra fazer "raciocínios concatenados" jamais teria conseguido uma boa resposta pra cada coisa que o Cebola era capaz de dizer. Aliás, ela até descobriu quem era o verdadeiro culpado antes do Cebola. Ele apenas acompanhou o raciocínio que ELA fez primeiro.

      E lembra da ed. do castelo do troll, quando Fabio deixou escapar que o Cebola tinha trocado a morena pela loira e a Monica perguntou como ele sabia que a Irene era loira sendo que ela não tinha falado nada a respeito? Será que isso tb não foi raciocínio rápido? Em várias outras histórias ela já mostrou inteligência tb.

      E ao falar o que cada um tinha a ver com a área de saúde, ela não falou nada de excepcional. Qualquer pessoa poderia ter chegado a mesma conclusão com um pouco mais de raciocínio.

      Excluir
  7. e continuando:

    E se a Nadine é outra personagem "oi e tchau", de que adianta falar em romance? Inclusive por caso amoroso é feudo da Petra. Nenhum outro roteirista pode se meter. A veemência do Emerson em insistir que a Sarah é personagem "oi e tchau" me fez pensar se não é uma jogada de assegurar mistério para mais adiante. Fico na impressão de que o DC ainda pode ficar caidinho por ela.

    Ô, Luís, você achou a Mônica feia, mal desenhada? E pergunto é se o desenhista dela não é o mesmo que desenha a franja do Franja...


    Valeu Cassaro, pela explicação de onde surgem as superdoenças. Os médicos não costumam alertar seus pacientes sobre esses casos, talvez por achar que todos são burros. As receitas que passam... Dizem que quando o Indiana Jones se aposentou de vez, ele passou a ganhar a vida decifrando as receitas dos médicos para os pacientes que nada conseguiam entender do que estava escrito nelas...

    Mas o Cassaro deu uma baita pisada de bola: a chamada doença do sono é causada por um PROTOZOÁRIO, o Trypanosoma brucei, ele não pode ser transmitido pelo ar. E quando os sintomas da doença chegam no nível em que o doente cai na sonolência (na verdade é coma), é porque o cérebro já foi para as cucuias e seus efeitos são IRREVERSÍVEIS (ou seja, só os quatro da turma sairiam vivos daquele hospital).

    Arre! Essa MSP com histórias sem costuras e com roteiristas sem se conversarem só sobrevive da fama. E pior que não tem a quem reclamar... Vi nas edições clássicas que tem um site onde se pode mandar mensagens em comemoração aos 80 anos do Maurício. Vou sugerir para que ele contrate uma costureira que ensine aos roteiristas como é que se costuram histórias entre as diversas edições, ou ao menos uma seguida da outra...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é meio sinistro mesmo , parece até os animes com episódios fillers , enfim acho que é o fator de dar liberdade pra trabalhar como quiser , mas o fato de não explorar personagem criado por um escritor ou coisa assim , complica um pouco as coisas , ai falta coesão mesmo .
      E se for verdade que a Sarah não aparecerá mesmo , vai ser triste , ja que de fato no fim da história ficava sugerido que ainda haveria muito pra desenvolve-la e coisa assim , ai é outra bizarrice de desenvolver um personagem novo pra uma história só ou arco , que também é triste

      Excluir
  8. já tivemos história inspirada em AHS, death note, greys anatomy, etc. a maioria muito boa mas essa eu achei ruim demais, forçada e cheia de furos. pra mim a pior do ano.

    ResponderExcluir
  9. Uma pessoa burra e sem capacidade pra fazer "raciocínios concatenados"

    Ei, Mally, se isso for alguma indireta para mim, vamos deixar claro uma coisa: eu NÃO DISSE que a Mônica é INCAPAZ de fazer raciocínios concatenados. Disse apenas que ela nunca foi FAMOSA por essa capacidade. Lembra-me lá na edição TMJ 64, onde seu espírito troca de corpo com o Cebola, e ela logo sacou a senha para entrar no laptop dele, ela própria achou estranho: _ Peraí, eu nunca decifrei um plano do Cebola assim tão rápido.

    Mas como pode ver pelo meu comentário que deixei no blog do Luís e mais os outros comentários acima, talvez esse seja o menor dos furos nessa história tapa buraco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não foi uma indireta, foi uma resposta mesmo. Ela não é famosa por ter esses raciocínios rápidos porque o Cebola sempre recebeu mais destaque por sua inteligência. Mas sim, há vários exemplos dela sendo inteligente.

      Agora, a senha do laptop do Cebola era óbvia demais, não precisava ser um gênio pra descobrir. O que ela disse sobre parecer mais inteligente por estar no corpo do Cebola foi apenas pra não perder a piada, não porque ela fez algo sobrenatural. Logo, não há furo algum na monica usar a inteligência, uma vez que ela já fez isso em outras edições passadas, em coisas até mais difíceis.

      E vamos lembrar que até plano ela bolou e pelo que sei, todos funcionaram. Isso tb requer inteligência e "raciocínio concatenado".

      Excluir
  10. E sobre os outros furos que vc inventou, tem o seguinte:

    1 - E daí que ela não colocou o DC? Namorados vem e vão, mas o que ficam são os amigos e nossa família. Além do mais, eles estão apens namorando, ainda é muito cedo pro DC ser classificado como a coisa mais importante da vida dela.

    Isso não é um furo. É apenas uma questão de opinião e ponto de vista. Vc acha errado ela não ter mencionado o DC como coisa mais importante, mas é apenas sua opinião, não um furo. Só porque vc não gostou de algo, não quer dizer que esteja errado.

    2 - Sério mesmo que vc ficou chocado quando o Cebola falou que quer dominar o mundo? E ainda inventou que ele queria torná-lo a sua imagem e semelhança sendo que o personagem disse, MUITO CLARAMENTE, que só queria torná-lo um lugar melhor? A ambição dele tá como sempre foi. (e devo dizer que fo PERFEITAMENTE ressaltada pelo Emerson. Sim, o Emerson arrebenta. Aceita que dói menos).

    Ele não desistiu de dominar o mundo só pq levou um fora da monica. E ele tb não parou de fazer planos infalíveis. Ele apenas parou de fazer esses planos com a monica (mais ou menos)

    3 - Na ed. passada, o Dr Rause aparece na história falando sobre a gravidade da situação do DC. Logo, eles estavam sim no mesmo hospital, por isso eu mencionei na minha critica meu estranhamento por ela não ter ido visitar o DC (mas vc deve ter esquecido de ler essa parte, né?)

    4 - Não precisa de nenhum poder sobrenatural pra deduzir onde as habilidades de cada um se encaixariam no hosítal. Basta conhecer bem os amigos e o que eles gostam de fazer. Óbvio que ela conhecia bem a magali e o Cascao. Afinal, são amigos de infancia, eles sempre andam e fazem tudo juntos. Seria uma vergonha se ela não os conhecesse.

    5 - Não vejo nada de mais na alfinetada que ela deu nele por estar sempre babando por garotas bonitinhas. É meio bobo mesmo, a reação dele diante da Nadine estava até meio exagerada. Mas isso não quer dizer que ela tava com ciume. Ela não tinha obrigação nenhuma de ficar exaltando as qualidades dele.

    Olha, sei que é sua opinião, mas elas não são furos na história só porque vc pensa assim. São apenas coisas que vc viu e não concorda/gosta, nada mais. Só isso.

    A história não é uma obra prima, mas nada nela indica que foi algo velho que foi reaproveitado. Soi apenas vc quem viu isso. Sua opinião, seu ponto de vista e nada mais.

    ResponderExcluir
  11. Bem, Mally, se os ROTEIRISTAS dão mais destaque à inteligência do Cebola do que à da Mônica, vá se queixar com eles. Eu só estou indo no ritmo da música. Sinceramente eu acho que quem deveria estar desfiando aquele rosário de competências deveria ser a Sarah e não a Mônica e talvez nem mesmo o Cebola. Talvez devesse ser o rabugento do Ráuse com base em alguma cópia do relatório do Licurgo sobre os que eles disseram...

    Quanto ao resto:
    1 - Se até para um cara da minha idade não é fácil pensar no que seria A coisa mais importante da minha vida, vá imaginar isso para alguém de 15 anos. Refiro-me ao que ela PENSAVA para responder a pergunta. Acho que o DC deveria ter entrado nesta lista...

    2 - O que o Cebola tem é o que em psicologia se chama egocentrismo de adolescente. Sim: o adolescente tem solução para tudo. O que ele apenas não percebe que suas "soluções" não se casam umas com as outras. É por isso mesmo que se diz que se alguém aos 15 anos não é esquerdista, então não tem coração. E alguém com 50 se ainda continua esquerdista, então se tiver vergonha na cara, não tem cérebro. E se tiver cérebro, então não tem vergonha na cara (tá os grandes heróis petistas que não me deixam mentir). Mally, pelamordê! O que é fazer do mundo um lugar melhor senão converter o dito cujo àquilo que pensamos ser o melhor na nossa opinião? O que um jovem de 15 anos que milita no Estado Islâmico acha que seria um mundo melhor? Entendeu o meu raciocínio? Só de se pensar em DOMINAR o mundo, torna contraditório o respeito à liberdade individual das pessoas.
    Ainda que essa ideia lhe passe pela cabeça, a questão dos planos infalíveis fica no vai e vem conforme o roteirista. Nas histórias da Petra fica-me a impressão de que o Cebola está repensando a si próprio, mas nas dos outros...

    3 - Não. Não é que me esqueci de ler essa parte, mas é que a não menção ao DC é estranha de todo o jeito. Eu imaginei que o Cassaro poderia contornar a situação dizendo que o DC estaria em outro hospital e não naquele. Mas acho que pelo menos aqui você admite que houve furo, né?

    4 - Sim, sim, mas também eles deveriam se conhecerem e pensar por si mesmos em suas capacidades antes da Mônica cantar a bola. Mas a meu ver não havia motivo para essas colocações naquele momento. Eles poderiam simplesmente entrar e receberem as dicas do Ráuse, que tem muita experiência em hospital.

    5 - O VELHO Cebola sim ficava babando por garotas bonitinhas, pois achava que podia fazer isso impunemente, já que a Mônica nunca largaria dele. Mas LARGOU... E se ele a quer de volta, teria exatamente de mostrar-se que mudou e que não vai mais fazer coisas que a magoavam. E entre elas, essa aí de ficar de olho comprido para outras moças... Mesmo que a Mônica AGORA QUEIRA ISSO. Sim, pois lá na edição TMJ 85 ela se mostra preocupada de o Cebola ficar de baixo astral quando a via namorando o DC. Agora é provável que ela até se sinta melhor se ver o Cebola arrastando asa para outra, mas sair dizendo logo de cara que ele não pode ver mulher, certamente não seria o melhor elogio que uma candidata em potencial quisesse ouvir.

    E finalmente Mally, NÃO HÁ DEMÉRITO no aproveitamento de alguma história velha que não foi usada por uma razão ou outra. Tudo o que faltou foram os ajustes para o momento. Essa na verdade é a minha queixa. O Emerson disse que o Cassaro teve de fazer a história às pressas por ordem da MSP. E penso que ele pode sim ter razão, pois a dita cuja não está bem feita, sem encaixe com a anterior (bem, isso não é novidade no caso da MSP) e foi mal a escolha da doença, pois a dita doença do sono não funciona como ele colocou.

    É isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo em partes,Marcos.

      Claro que o Cebola é egocêntrico,mas não ao extremo(tipo,colocar o mundo em risco com suas ideias estapafúrdias,como o Emerson tenta fazer crer.) Como disse antes,o máximo que o Cebola consegue com tudo isso é perder o amor de sua vida e nada mais além disso.

      E realmente essa da MSP ordenar ao Cassaro que fizesse a historia as pressas foi um tremendo de um tiro no pé,pois deixou a história totalmente sem pé,nem cabeça. E olha que as histórias do Cassaro costumam ter pontos de ligamento com as da Petra(já que ele faz o layout de roteiro das histórias dela),mas essa não teve nada que ligasse com as edições 85 e 86. Uma maçaroca completa e desconexa.

      Excluir
  12. Eu acredito e assino em baixo, Mali esta certa, nao existe um bicho de cem cabecas, isso nao e a biblia e nem um livro de literatura, são apenas histórias voltadas para o simples e prático entretenimento e para criancas de 10 a 14 anos o que você está fazendo e destruí o divertimento de pessoas que estão apenas se divertindo.
    Se você diz sim existe o pão passado você está reclamando por falta de algo melhor para fazer, claro que existe as vezes coerência ou a falta dela e sim você tem um ponto, porém como todos dizem continuam a repetir isso não é um roteiro da bíblia muito menos um livro de faculdade, seja sincero consigo mesmo e busque um real motivo a ler turma da monica se é para se divertir ou ter o que reclamar, por que mesmo meu pai não pega um gibi para reclamar de cada edição ou a forma como é escrita e sim para rir e se divertir.
    E sua forma de falar da monica e muito machista uma forma de implicar com todos os roteiristas como se você fosse fazer melhor.
    Existe um limite para tudo e você não faz boa crítica apenas busca implicar e criticar toda a hora como se esperasse um resultado apenas para se próprio ego ou quem sabe se você continuar você vai acabar sendo processado por um roteirista como eu vi em outro blog, e outra foi expulsa por que ele trespassou o limite de uma boa critica construtiva para outro nivel ao qual voce esta se dirigindo, mas certa pessoa foi processada por ameacar por que não conseguia ver a diferença.

    ResponderExcluir
  13. Ô minha muito brava bibliotecária...

    Sabe, em todos os modos de entretenimento há a fase de encanto, que é quando a gente se diverte. Sim, eu me divirto com as histórias da TMJ e da série clássica. Mas chega o momento em que passa pela cabeça: "Mas tal coisa ficaria melhor assim..." Este é o momento do fim do encanto. E no meu caso ele chega bem rápido.

    Houve um tempo que via nos balões de gibis da Disney alguma palavra mais de público culto e uma nota de rodapé com os dizeres: _ Procure no dicionário. Gibi é cultura! _ Mas ao que parece no caso da MSP gibi é só diversão e fica por aí. É assim que pensa? Nada contra, sabe.

    Mas o fato de a obra ser majoritariamente destinada ao público cuja faixa etária você se refere, isso não é justificativa para tratá-lo como "burro", desatento, desmerecedor de mais empenho em fazer algo melhor, etc e tal. Fala você que estou destruindo o divertimento de pessoas? Como? Só gente de 10-14 dá as caras por aqui e se alertar que algo está fora do prumo estarei causando um traumático desencanto nesses pobres frequentadores do blog? É isso?

    Meu motivo de ler turma da Mônica? Primeiro porque me divirto. Mas também não deixo de torcer o nariz para coisas mal arranjadas e que poderiam ser FACILMENTE EVITADAS com um pouco mais de cuidado. Se entendi direito, o Emerson disse que ele nem lê a edição impressa das suas histórias para não passar raiva, pois o arte finalista não colocou tal item no cenário, mudou a expressão do personagem, etc e tal... Se fosse eu, antes da coisa ir pro prelo, exigiria ver as provas e se não concordasse com algo, mandava mudar. Isso se chama zelo pelo trabalho.

    Muito machista seria se eu dissesse que a Mônica é INCAPAZ de fazer raciocínios RÁPIDOS E CONCATENADOS. NÃO FOI ISSO QUE EU DISSE. Falei que ela não era famosa por isso e quem a fez assim foram os roteiristas e não eu. Se quiseram fazer o Cebola inteligente para uma coisas e muito burro na hora de lidar com o coração, que tenho eu com isso? Se quiseram fazer a Mônica cheia de muita força, mas não lhe dar tanto intelecto, que tenho eu com isso? Só apontei um fato. Quer conferir? Pegue a TMJ 28 e veja lá na pág. 52.

    Sabe, eu quis entender como é que tantas coisas falhas, histórias sem costuras, etc e tal, que poderiam ser evitadas com mais cuidado, passam de maneira tão frequente. O Emerson foi camarada em me dar as dicas e graças a ele, inclusive, descobri que tenho déficit de atenção moderado. Do jeito que ele me explicou, não me parece uma boa maneira de a MSP administrar a coisa. Mas isso é problema deles. Se me dão espaços nos blogs, faço minhas queixas e se alguém não gosta delas, simplesmente não as leia.

    Ah! Então um roteirista processou um comentarista? Também o que foi que esse comentarista falou? Eu teci minhas críticas quanto ao trabalho feito e não contra a pessoa. Que motivo ele teria para me processar? Se alguma fulana foi além do manda a urbanidade e respeito, então mereceu a expulsão. Mas acho que também não cheguei nem perto deste limite. E ameaçar alguém? Eu? Tenho muito a perder e se brigar, apanho.

    É isso.

    ResponderExcluir
  14. Sejamos sinceros, se não gosta e acha que esta sendo enganado, por que voce le?
    Para ter algo a reclamar? Se apara divertir,como voce disse, pelo que sei como Mali disse, apenas voce ve esses erros, nao vejo mais ninguem tratando turma da monica jovem como um livro que voce pega na faculdade, afinal livros voltados em artes como na unicsul de sao miguel, isso sao obras de arte que devem ser estudas e analisadas,,que para mim nao faz diferenca, afinal se ver melhor obras de arte valem milhoes, quem realmente consegue fazer algo com tanta coerencia, e ainda assim a quem reclame, afinal Turma da monica nao deve ter coerencia, um gibi que trata de realidade alternatica, dinossauros nos dias de hoje uma garota com dentes enormes de coelho e super forca, onde voce ve isso em gibis do x-men batman um homem vestido de morcego, apenas em eventos do ccxp, e um gibi de pura e simples ficcão nada mais, se quer algo com coerencia e concatenado, simplesmente procure outra coisa que valha a pena procurar erros, nao historias de criancas simplesmente por que e voltada para criancas,, por que tanta reclamação, que tal achar algo que o deixe mais antenado para algo em sua idade, afinal para quem fez faculdade de sao carlos em bioquimica, ufscar e serio isso,m sua faculdade nao o torna o genio de qualquer coisa, apenas um diploma que para mim, nao significa nada,apena sem seu emprego, que voce pode ir em qualquer lugar e reclamar como o dono da verdade,ache algo para se entreter melhor, se tivesse feito letras eu levaria a serio,, mas bioquimica? voce publicou algo que nao seja sobre espiritualidae do mundo o racional ou nao nao existe racionalidade em religiao e historias como turma da monica, tenha dó, a unica coisa que faz voce ter conhecimento e em que? Em falar de um gibi que ao qual voce entender de algo reciclado, sem concatenacao, sem coerencia? sem fatos veridicos, sem o fato desde quanto um homem mal encarado e sem nocao vai se tornar medico na vida real, seja sinsero e reclame por exemplo do fato em que se nao se apoisentou so vai se aposentar quando a Dilma parar de roubar,
    Por que nao se junta a multidao de desocupados ou simplemente reivindica seus direitos como um aposentado ou ate mesmo, a algo que valha a pena e seri arranje o que fazer.
    quem sabe ache realmente algo a que valha a pena reclamar, seu tempo de bons costumes onde voce e o unico a reclamar,

    ResponderExcluir
  15. Ah... Bibliotecária furiosa, antes de eu responder será que poderia me fazer um favor? Reescrever o seu texto acima usando as regras de Winston Churchill? Eram estas: das frases, a mais curta; das palavras, a menor. Você escreveu uma única frase com 15 linhas. Fica dificil acompanhar seu raciocínio assim. E preste um pouco de atenção à ortografia (apesar de a Mally ficar muito p da vida quando eu falo disso).

    Mais uma coisa: eu fiz minha graduação e pós graduação no Instituto de Biociências na USP, em São Paulo. Sou doutor em Botânica e não bioquímico. Em 1995 ingressei na UFSCar, no Departamento de Botânica onde estou até agora. Mesmo pelas novas regras eu poderia me aposentar em 2018, quando completo 60 anos e já terei 37 anos de contribuição. Porém, se as condições permitirem, minha saúde também (tenho dançarinas do Diabo no corpo), e não estiverem me enchendo tanto o saco, eu posso continuar até ir pras cucuias. Ah! Minha ideia é ter o cadáver picado, guardado em formol e servir como material didático. Não seria uma boa? Mesmo depois de morto, ainda vou continuar ensinando.

    Agora eu quero deixar um aviso a você e a outros queixosos por aqui contra o meu jeito de pensar que é o seguinte. O nosso país está uma (censurado para a Mally não reclamar) exatamente por essa exigência cobrada direta ou indiretamente sobre nós desde o jardim da infância: se a coisa está errada, não é problema seu e sim de "algum responsável". São muito mal vistos os "caguetas". Tanto assim que os "grandes advogados do Brasil" estão muito revoltados contra essa tal delação premiada, pois o crime é uma atividade pautada pela ética e é anti-ético um membro da quadrilha dedar os outros em troca de uma redução de pena...

    Vivemos uma prática nefanda no momento atual que chama Politicamente Correto. O Islã é uma religião que prega a violência, mas o Obama, em nome do politicamente correto e para não criar mais problemas, fala que o Islã é uma religião de paz... Bem, políticos nunca foram famosos por serem sinceros. Estou falando nisso, pois outra coisa que se fala é que a grande maioria dos islâmicos são pessoas pacíficas e só uns gatos pingados é que são violentos. E daí? O Martin Luther King Jr pôs o dedo na ferida com relação a tal semelhante argumento:
    _ O que me assusta não é a maldade dos maus e sim o silêncio dos bons.
    Pois é! De que adianta a grande maioria dos muçulmanos serem bons e pacíficos se são omissos diante dos irmãos de fé violentos e assassinos e defensores da Sharia? De que adianta a grande maioria dos brasileiros serem bons e (quase) honestos, mas se calam diante da roubalheira e votam em políticos já sabidamente suspeitos de corrupção?

    Pois bem, Bibliotecária, ao invés de ficar no oba-oba, eu me sinto no direito de apontar erros e falhas de coerência e falta de costuras entre histórias que vejo na TMJ pelo fato de serem MUITO FREQUENTES. Se fosse só um ou outro ocasional, nem diria nada pois herrar é omano. Mas eles são uma constante. Mas vejo em você a miniatura do universo que é o nosso país. Veja por exemplo o caso lá da barragem rompida em Minas. A empresa diz que tinha um "plano aprovado para situações de emergência", mas ninguém acha o dito plano. O órgão que deveria examinar o dito plano e aprová-lo ou rejeitá-lo diz que não fez por falta de recursos e pessoal. Diz a empresa que a Defesa Civil tinha sido alertada, mas a dita Defesa Civil diz que só atua quando o desastre já chegou na altura da bunda... Então, minha cara, isso é o que chamos de OMISSÃO. E infelizmente o nosso povo e nosso modo de vida tem muito disso.

    Compreendo, portanto, que eu, ao me queixar de coisas erradas, seja tão criticado por isso, mas vou em frente enquanto me permitirem.

    ResponderExcluir
  16. Vou contar uma velha historia chamada vida que segue e educação despenca.
    Na linguagem da internet ao qual voce nao entende e nao faz parte, seria muito trabalhoso e demoraria mais colocar acentos e virgulas, as pessoas que ficam conversando na internet abreviam muitas palavras, por que iria demorar mais colocar as ideias em dia e iria demorar em escrever, se eu falo com pessoas que sao mais versadas na internet e mais tempo de conversa, elas nao se importam com falta de virgulas, na verdade nao se importam, somente voce com sua falta de conhecimento da internet.
    Na sua epoca e no comeco da criacao dos computadores, existiam o ms dosa uma das primeiras versoes de sistema operacional, e por ai vai, nessa epoca, por exemplo e diferente de agora, como o ensino era melhor, e as pessoas nao tinham tudo tao facilitado, como o agora, a propria internet foi criada com o unico objetivo da guerra fria espionagem e invasao criada nos EUA, era e espionagem.
    Nas epocas aureas as pessoas iam a bibilioteca que poucos agora vao, ja que existe a internet o que criou a chamada preguica mental e a facilidade com que tudo vem as maos. e a falta de provas sem consulta, hoje e proibido repetir um aluno, antigamente a dez anos atras repetia, mas o governo nao ganha dinheiro por repetente,o proprio ensino era melhor, nao existiam provas a base de consulta, as pessoas tinham que aprender na lada e os proprios pais ficavam em cima dos filhos nao jogavam ao mundo como plantassem batatas, tinham sede de conhecimento e nao preguica mental, e as proprias empresas vinham a porta buscar o empregado, hoje e diferente.
    Mas no comeco dos anos 90 a mulecada regada a mamao com acuca e leite com ovomaldine nao estuda e nao busca informacao e a maioria nao ira para a faculdade, que esta muita cara e as pessoas sao empurradas por que e proibido repetir, mesmo a informacao estando a sua frente e placas gigantes para todos verem, eles nao irao buscar informacao, e nao irao ler, nao buscam conhecimento, poucos o fazem e poucos vam a faculdade, sua propria informacao e seu ensino nao mudará muito e nao fara diferenca, seja sinsero e aceite que doi menos que tem mais ignorantes do que pessoas inteligentes e ou preguicosos.

    ResponderExcluir
  17. continuando,
    no caso da juventude perdida que nao consegue manter a atencao por muito tempo em uma mesma coisa, focada em algo especifico, tanto e que as novelas e seriados sao mais curtos menos episodios tanto que algumas seres sao regadas no maximo a 10 e ou doze capitulos por vez, antes de uma nova saga ou indo para a segunda temporada, antes de por muito tempo, a midia esta dando a ela o que ela quer, por exemplo sao gibis e mega sagas que a cada cinco numeros mudam buscando entreter e chamar a atencao de jovens que nao conseguem e ou nao querem ficar em uma mesma coisa, de toda as formas, a marvel que rebota seu universo a cada seis meses em busca de um meio de entretenimento e novos leitores ele acaba criando uma revista numero 1 a cada seis a sete meses e vende para a geracao perdida, que compra e isso vende, por exemplo imagine que a turma da monica classica rebota a cada cem numeros, que e isso que esta acontecendo, e isso e normal afinal estao expert em numero 1, para chamar atencao de uma juventude que busca entretenimento e novas, ideias, se voce nao inventar e nao inovar e reciclar velhas ideias que nao existem a vinte anos atras os novos nao terao interesse, e tambem nao se importam, afinal eles dao a eles o que procuram, que aconteceu a vinte anos atras porque nao nasceram na sua epoca e nao se importam, entao e nova para eles, mesmo que a informacao esteja na sua frente e esteja na internet nem todos irao se preocupar, se voce seguir uma cronologia batida eles nao irao acompanhar e nao irao comprar, por que afinal nao daria para colocar tantas informacoes em 30 a 40 paginas, e nao e atrativo ou ninguem busca informacao, mesmo estando a sua frente, sao a preguica mental, nao e a toa que existem tanto s filmes dublados e nao legendados, e ou procurar por essa se voce ver isso informacao, a fuculdade ensina que tudo nao vem de forma facil, o preguicoso apanha e descobre que tudo nao vem de forma beijada ja que a nova geracao faz tudo a base de consulta e nao como a vinte anos atras o politicamente correto torna o mundo virado de cabeca para baixo.
    entao mesmo que voce ensine depois de morto vai ensinar para poucos e poucos mesmo, e somente aqueles que se preocupam ja que existem muitas cabecas de vento e eu propria nao me incluo ja que meu proprio ramo e de artes visuais e literatura.
    num ponto voce esta certo, o fato do politicamente correto e simplesmente uma moda passageira como outras tantas, simplesmente por que temos Barac Obama ele nao e nada mais que um presidente covarde que lida apenas com administracao e nada mais, nao fique dessa maneiras depois que Trump entrar no poder a moda vira e entra o politicamente incorreto.
    no caso o proprio presidente atual e moda como tudo que ha nos estados unidos, ele nao mudou nada nao acabou com os crimes e nao fez nada mais exitem tudo que pode ser errado e mais taxativo.
    muitos alunos do ensino publico ainda no ensino medio e fundamental, ao contrario de nos eles nao tem ideia e nao se improtam com a nossa historia tal como a revolucao industrial e quem foi tiradentes, so para voce ter ideia, entao mesmo que voce queria ensinar vai ser para poucos tamanha a preguica mental e a falta de interesse se toda a atencao seja voltada unica e exclusivamente para o teor sexual, ja que a primeira coisa que aprendem e a respeito do sexo, entao voce esta perdido.

    ResponderExcluir
  18. E sejamos sinceros as faculdades nao sao 100 % presenciais o que era antigamente, a falta de tempo dificulta isso a internet tomou conta, e na maioria nem todos conseguem se ater a cronologias e nem todos compram todos os numeros de uma mesma revista, como era antigamente, as novelas tinham mais de 50 episodios, o que hoje o que vale mais a audiencia, cada episodio e reescrito sempre que o publico nao gosta, hoje nao chega a mais de 30 episodios sem mudar personagem, e ficam sempre o mesmo de ideias recicladas, as seres e filmes de antigamente eram extensas sagas enormes e hoje esta cheio de novas versoes reformulacoes e reboot, no momentos seguintes dessa nova geracao os classicos estao sendo reescritos e relancados, com novas formas de ler para a nova geracao, e isso que voce esta vendo o mais do mesmo.reciclados.
    E para saber quando turma da monica jovem chegar ao numero 100 ela tambem ira ser rebootada, uma crise nos infinitos bairros, para ter ideia, e ira surgir um novo numero 1.
    E isso e normal, afinal, algumas pessoas irao parar de ler e outras irao continuar e assim surgirao mais leitores de gostos diferentes, ele tentam inovas tal como os grafic novels da msp, isso e em busca de dinheiro e entretenimento.
    No fim da mega saga surgem numeros novos e novas historias e esse e objetivo.

    ResponderExcluir
  19. Sabe, Bibliotecária furiosa, eu estou com receio de continuar nosso papo por aqui, pois já estamos fugindo do escopo do blog e estou até surpreso de a Mally já não ter passado um sabão em nós dois. Daqui um pouco ela apaga os nossos posts...

    Só sendo curto e grosso:
    1 - Num bate-papo direto, eu até entendo os seus argumentos, mas aqui escrevemos primeiro e postamos depois e daí dá muito tempo para se conferir ortografia, pontuação e tamanho de frases.
    2 - Há alguns anos legalizei a cola nas minhas provas: os alunos podiam consultar livros, apostilas, apontamentos, etc e tal. Hoje já usam laptops, tablets, celular. De imediato não notei mudanças no nível das notas no antes e depois. Creio que este ano estou recebendo a primeira turma toda dessa que foi aprovada por decreto. Mesmo com consulta, as notas foram as mais baixas que já dei para turmas inteiras. Nem com consulta essa gente sabe fazer uma prova. Mas comigo não tem choro de pedagogo. Não adianta vir essa gente dizer que reprová-los vai desestimulá-los e os levar a abandonar a universidade. Tô pouco me lixando. Comigo passa sabendo, ao menos sabendo como e onde procurar informações.
    3 - E como já disse, o meu problema aí com a TMJ não tem a ver com tamanho ou coisas antigas e sim com sequência e coerência.

    É isso.

    ResponderExcluir
  20. Acredito que esteja certo, na verdade nossa coversa e ou debate e de outro canto, que tal um site e ou blog voltado ao ensino, existe local hora e blog certo para discutir a incompetencia de politicos e as provas, aqui e blog que fala da turma da monica, que tal falarmos e debatermos em outro se passar o endereco e ou site e ou blog, nos poderemos desforrar a bota e ter outro linguaja menos culto, e ate chingar os politicos e o departamento do politicamente correto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então faça o seguinte: tem um blog Religião é Veneno (http://religiaoeveneno.org/categories/rv) ou (rv.cnt.org) e se quiser continuar este papo é só procurar sobre o Paulo Freire. Eu apareço lá sob o nick Botanico.

      Excluir
  21. Marcos, a Bibliotecária tá certa. TMJ não é revista pra ser lida com rigor excessivo. É entretenimento e apenas isso. Não precisa ser uma obra prima da literatura.

    O problema não é vc criticar, eu tb faço isso. O problema é que vc tá rígido demais, levando tudo a ferro e fogo. nem eu sou assim e olha que tb costumo ser chata em muitas coisas.

    Eu critico, falo o que gosto e o que não gosto. Há elogios nas minhas críticas tb. Eu leio porque gosto, não pra caçar defeitos. Sua postura parece muito com um site chamado "falha nossa", onde eles se dedicam a encontrar falhas nos filmes.

    É interessante até certo ponto. O problema é que eles chegam a um ponto onde um simples objeto mudar de posição entre uma cena e outra é visto como falha. Em alguns filmes grande parte das falhas são desse tipo. Num deles, pra vc ter uma idéia, eles apontaram a seguinte falha:

    Na cena X, a mulher aparece com duas mãos no parapeito da varanda. Na cena seguinte, ela aparece com uma mão só e na outra cena ela aparece com as duas de novo.

    Basicamente, é isto que vc tá fazendo. Vc destrincha demais, procura falhas insignificantes e age como se fossem coisas monstruosas sendo que somente vc enxerga assim. A grande maioria nem importa.

    Vc aponta coisas com as quais não concordam e age como se esse ponto de vista fosse absoluto. Tipo, se vc falha na revista, é porque tem e ponto final. Mas não, é apenas sua opinião, entende?

    No mais, concordo com o que a Bibliotecária falou. Se vc só lê pra procurar defeitos, sugiro procurar outra coisa pra fazer. Eu leio pra me divertir, entreter. Meu blog é entretenimento, diversão. Se algum dia TMJ se tornar fonte de estresse pra mim, paro de ler e fecho o blog. Não vou ficar me martirizando por algo que não posso mudar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mally é o seguinte:

      A revista é dedicada ao entretenimento, mas isso não é desculpa para trabalho mal feito. As crianças e jovens merecem o empenho e o melhor trabalho de uma empresa que os têm justamente a como mercado consumidor.

      Se o problema fosse só duas mãos numa janela, uma mão no quadro seguinte, duas mãos no quadro terceiro, eu nem repararia nisso. Mas a coisa é mais séria: as histórias não têm costura, personagens não têm continuidade de caráter (a Denise do Emerson é heroína; a da Petra é safadinha), as cores de olhos e cabelos variam nas capas, o Nimbus e DC têm traços orientais na série clássica, então um dos pais pelo menos deveria ser oriental. Mas na TMJ ambos são caucasianos…

      A minha queixa é: ESSES ERROS SÃO FREQUENTES DEMAIS. Não são coisa ocasional. Do que o Emerson me respondeu, a minha impressão é que a MSP não está sabendo como organizar o trabalho da turma. Não há porque me martirizar por isso, mas também não vejo porque devo fazer de conta que não vi a lambança.

      Imaginei que um leitor queixoso falando diretamente a alguém da equipe ao menos daria um toque pra essa gente, mas já vi que sou uma andorinha que não faz nem vislumbre de verão.

      Não leio só para procurar defeitos (que aliás gostaria de nem encontrá-los), mas porque há histórias boas, o que inclusive me motivou a comprar toda a série. Mas que poderiam ser melhores ainda se fossem mais pensadas, mais ideias trocadas, mas cuidado com as revisões, melhor encaixe sequencial, mudanças feitas mesmo em cima da hora para garantir isso, etc e tal.

      Sou uma pessoa de formação científica e daí vem o meu rigorosismo. Sei que ele não a agrada, mas fico ressabiado com a justificativa de que com isso estou destruindo o encanto das crianças. As péssimas notas que meus alunos tiraram este ano é um reflexo justamente da incapacidade de pensar que nos legou essa aprovação por decreto.

      É isso.

      Excluir
    2. Mally é o seguinte:

      A revista é dedicada ao entretenimento, mas isso não é desculpa para trabalho mal feito. As crianças e jovens merecem o empenho e o melhor trabalho de uma empresa que os têm justamente como mercado consumidor.

      Se o problema fosse só duas mãos numa janela, uma mão no quadro seguinte, duas mãos no quadro terceiro, eu nem repararia nisso. Mas a coisa é mais séria: as histórias não têm costura, personagens não têm continuidade de caráter (a Denise do Emerson é heroína; a da Petra é safadinha), as cores de olhos e cabelos variam nas capas, o Nimbus e DC têm traços orientais na série clássica, então um dos pais pelo menos deveria ser oriental. Mas na TMJ ambos são caucasianos…

      A minha queixa é: ESSES ERROS SÃO FREQUENTES DEMAIS. Não são coisa ocasional. Do que o Emerson me respondeu, a minha impressão é que a MSP não está sabendo como organizar o trabalho da turma. Uma pena.

      Imaginei que um leitor queixoso falando diretamente a alguém da equipe ao menos daria um toque pra essa gente, mas já vi que sou uma andorinha que não faz nem vislumbre de verão.

      Não leio só para procurar defeitos (que aliás gostaria de nem encontrá-los), mas porque há histórias boas, o que inclusive me motivou a comprar toda a série. Mas que poderiam ser melhores ainda se fossem mais pensadas, mais ideias trocadas, mas cuidado com as revisões, melhor encaixe sequencial, mudanças feitas mesmo em cima da hora para garantir isso, etc e tal.

      Sou uma pessoa de formação científica e daí vem o meu rigorosismo. Sei que ele não a agrada, mas fico ressabiado com a justificativa de que com isso estou destruindo o encanto das crianças. As péssimas notas que meus alunos tiraram este ano é um reflexo justamente da incapacidade de pensar que nos legou essa aprovação por decreto.

      É isso.

      Excluir
    3. É só vc quem enxerga trabalho mal feito. Esse é o problema.

      Excluir
  22. 1 - Vc apenas acha. Cada um tem suas prioridades e não há nada de errado nisso. Não cabe a vc questionar as prioridades de uma pessoa, nem dizer que ela deveria dar importancia a isso ou aquilo. Essa decisão cabe somente a ela.

    2 - Vc sabe que o Cebola é adolescente, certo? Adolescentes são sem noção, não tem maturidade. Sonham alto, muitas vezes coisas absurdas. Seu raciocínio estaria correto se o Cebola fosse um homem adulto, amadurecido e com condições de refletir melhor.

    3 - Não disse que era um furo. Eu apenas estranhei a Mônica não ter ido visitar o DC, mas pode ser que o Cassaro tenha decidido não fazer assim porque ia ocupar espaço na revista, desviar do assunto.

    4 - Só porque uma pessoa se conhece, não quer dizer que vai saber o tempo inteiro onde suas habilidades podem se encaixar. Isso não significa que não saibam pensar por si mesmas, apenas que não perceberam algumas coisas. Não dá pra ser onipotente o tempo inteiro, saca?

    E o Rause jamais teria sido capaz de fazer isso por duas razões simples:

    a - Ele não conhece a turma e suas habilidades. Ele não sabe que Magali adora nutrição e que Cascão é doido com esporte. Logo, jamais teria sido capaz de deduzir onde essas habilidades se encaixariam no hospital.

    b - Ele detesta se relacionar com as pessoas. Alguém assim jamais seria capaz de conhecer bem os amigos (talvez nem tivesse amigos) e dizer onde as habilidades dele se encaixariam no hospital.

    5 - Esta história é do Cassaro e parece que na versão dele o Cebola não é mais tão apaixonado pela Mônica como antes. Além do mais, ele pode muito bem estar desencanando, se conformando e seguindo em frente. Sabe, ele não pode ficar atrás dela pelo resto da vida. Um dia ele terá que seguir em frente. Sendo assim, ele não pode deixar de paquerar outras garotas só por causa do que a Monica pode pensar porque ela já está em outra e nem pensa em voltar pra ele.

    Dizer que o Cebola não pode ver mulher pode ter sido uma alfinetada, mas ela não falou mentira nenhuma. Vc nunca saberá o que é isso pq é homem, mas mulheres costumam ficar desconfortáveis quando o sujeito encara muito, baba demais, fica todo alterado. É chato, a gente fica sem saber o que fazer e o que a Monica disse meio que serviu pra desfazer um pouco a tensão. Foi como se ela quisesse tranquilizar a Nadine pra ela ver que apesar de tudo, o Cebola não ia morder e nem atacar. Era uma reação natural dele sem grandes consequências.

    Agora me fala uma coisa: como vc sabe que foi uma história velha reaproveitada? o Cassaro te falou isso? Tá escrito em algum lugar? Não? Então não faça conjecturas sobre algo que vc não sabe. Se o Cassaro falar que reaproveitou uma história velha, aí sim a coisa muda. Mas por enquanto temos apenas sua opinião. Pode ser suficiente pra vc, mas pra mim não.

    A doença não funciona como ele colocou? E daí? A cura de bactérias tb não acontece esfregando paninhos com sangue no rosto, mas as vezes é necessário fugir um pouco da realidade. Isso é uma história, não um documentário do Discovery Channel, nem uma aula de medicina.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1) Mally, esses personagens, e você sabe muito bem disso, NÃO TEM EXISTÊNCIA REAL. Eles não são pessoas. São aquilo que os roteiristas decidem ser (e pelo jeito não se entendem bem quanto a isso…). A Mônica tinha que colocar no papel aquilo que ela achava ser A MAIS IMPORTANTE e daí seus pensamentos. Só que no momento atual, o DC DEVERIA figurar entre esses pensamentos. Fosse eu o roteirista, é o que eu faria.

      2) Foi o que falei da questão do egocentrismo de adolescente. Concordarei com você, pois sabemos que estes personagens vivem um eterno presente. Eles têm 15-16 anos e não vão envelhecer.

      3) Por isso sugeri: _ Pô! Mas não podia ser no hospital onde o DC está internado? _ Ia ocupar só um quadro, sem prejuízo para os outros.

      4) Sei e por isso achei que a Sarah seria melhor neste trecho.
      O Rause aparece desde a edição 11 e quase sempre é o médico que atende a essa turma. Tempo o bastante para conhecer alguma coisa, certo? E obviamente 5 jovens não iriam entrando num hospital sem mais aquela se a direção do mesmo não houvesse sido informada pela escola dos motivos. Mas tudo bem, vou deixar como está, apenas insistindo que aquele devia ter sido o momento da Sarah.

      5) Como digo nas minhas queixas: falta de encaixe. O Cebola ainda ama a Mônica ou não? Ele a quer de volta ou não? Nas histórias da Petra ele oferece ajuda para decifrar código morse (mas aí chega o DC…), quer fazer dupla com ela no trabalho que o Rubens mandou, ou seja: ele quer ficar junto da Mônica no momento atual. Mas aparece uma linda ruiva magenta e ele fica de queixo caído e a Mônica dá a alfinetada. Independente de não ter sido mentira, eu achei estranha essa atitude para a pessoa que salvou a vida do namorado dela.

      Bem, o Emerson tem uma página onde a gente pode trocar ideias, mas não sei se a Petra ou o Cassaro tem algo parecido. Sou amigo na página dele, mas não sei exatamente se posso perguntar coisas das histórias lá. Seria questão de tentar. Disse o Emerson que a história não é velha e sim uma tapa buraco emergencial nova em folha. Achei ser uma história velha exatamente por conta do modo de como os personagens se relacionam. O jeito de Mônica e Cebola é tal como antes da ruptura entre eles. A única diferença é que a Mônica não teve chilique de ciúmes. O Cebola é o mesmo ardiloso de sempre, com suas ambições e planos infalíveis. Enfim o modo velho de se relacionarem é o indicativo de história velha. Mas quer tirar a dúvida? Pergunte ao Cassaro.

      Outra história velha (ou talvez não tão velha, mas deslocada do momento) é a do Chico Bento moço 12. Era tudo como antes da ruptura entre a Mônica e Cebola. O único quadrinho alterado na minha opinião foi a reação meio brava da Mônica ao beijinho do Cebola… Só esqueceram de tirar o coraçãozinho voando da cabeça dela.

      Pois é. Algumas revistas dizem ter consultoria científica para ajudar nos seus artigos, mas ou estão mentindo ou simples mudam tudo o que o cientista dizem, pois acham que o público é burro demais para entender. Já viu a reportagem da Veja sobre o Boimate?

      Excluir
    2. 1 - O roteirista tem direito de achar o que deve ou não ser prioridade do personagem. Ele não tem obrigação nenhuma de colocar algo só pq vc considera importante.

      4 - A Sarah não tinha nada pra fazer ali.

      5- Não, ele não teve tempo pra conhecer a turma pq não conversa com eles, não tem intimidade, não se preocupou em conhecê-los. Como um médico que mal fala com os pacientes pra fazer o diagnóstico vai ter interesse em conhecer 4 adolescentes?

      Sim, ele sabia por que eles estavam ali (mais ou menos, pq ele não se interessa por pessoas) e só. Não tinha como saber o que cada um gostava e queria fazer na vida.

      6 - Amor não é sentimento que pode ser ligado/desligado como uma lâmpada. Leva tempo pra acontecer e o mais um tempo pra acabar. O Cebola não vai deixar de amar a Monica de um dia pro outro. Não se esquece assim tão facilmente alguém com quem se teve uma história de muitos anos. Então é bem provável que em alguns momentos vamos vê-lo tentando reconquistá-la e em outros o veremos mais conformado.

      E qual é a novidade do Cebola babar por qq garota bonita que aparece na frente dele? Isso não é novidade nenhuma. E mais uma vez: vc tá fazendo um grande drama por causa de uma alfinetada boba que não teve nenhuma consequencia. Sim, foi coisa pequena, mas vc tá aumentando como se a Monica tivesse cometido um crime hediondo sendo que foi só uma alfinetada que ele logo esqueceu depois.

      A história do chico é algo a parte, pois não sabemos como ela se localiza na cronologia da turma. Ela foi feita por outro roteirista, que tem uma visão diferente da Petra.

      A TMJ não é revista científica, não precisa que tudo seja exato e perfeito. E eu não leio a Veja.

      Excluir
  23. Agora, deixa eu te falar uma coisinha: se vc falar novamente que esquerdista não tem cérebro, vou perder a esportiva e te mandar tomar onde o sol não bate, valeu? Ofender as pessoas que seguem determinada ideologia não é debate. É idiotice.

    Mais uma vez vc adota a postura "se não tá do jeito que eu acho certo, então é errado". Isso mostra que vc não sabe conviver com as diferenças e tende a desrespeitar as pessoas que seguem ideias diferente das suas. Se for pra ser assim, prefiro que não frequente mais o meu blog pq eu não vou mudar minha ideologia só pra te agradar e não vou aceitar ser insultada por causa disso. Vou continuar de esquerda até os 50 anos e além. Se pra vc isso é falta de cérebro ou vergonha na cara, problema seu, a intolerância é sua, não minha.

    Tudo aquilo que vc conjecturar a meu respeito irá dizer muito mais sobre quem vc é do que sobre quem eu sou.

    E vamos encerrar essa questão direita/esquerda porque não é o objetivo do meu blog e não quero espantar meus leitores com discussão política. Só aprenda a ser mais respeitoso e tolerante com os que pensam diferente de vc. Por mais enérgica que eu seja, nunca vou considerar burra, sem cérebro ou falta de vergonha na cara uma pessoa que segue ideias diferentes das minhas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KKKKK!

      Ô Mally! Eu não sou intolerante e nem me acho dono da verdade. É que a velhice nos faz ver coisas que a gente quando é jovem não percebe. Sabe, eu também achava que a esquerda tinha boas ideias, pois pensavam na gente pobre e “oprimida”. Eu estava na USP nos anos 1980 e vi o PT nascer. Era o fim da Ditadura e só então as pataquadas esquerdistas podiam ganhar as páginas, os banners, a mídia…

      Mas o tempo passa e a verdade aparece. Os ideais esquerdistas FALHARAM EM TUDO. Seu último refúgio são a faculdades de cultura absolutamente inútil. Em TODOS os países onde os ditos ideais foram postos em prática, o povo se ferrou bonito. A única igualdade que esses ideais alcançaram foi o nivelamento pela miséria.

      Você falou do lugar onde o sol não bate? Pois é: o grande símbolo do Socialismo do Século XXI é a bunda suja. O pobre do cidadão venezuelano não tem nem o Gramma para servir de papel higiênico. Se TUDO no Socialismo deu errado, mas um cara com 50 anos ainda continua socialista, ele não deve ter cérebro (essa frase não é minha, viu).

      O PT falou que ia ser o partido que fazia, não roubava e não deixaria ninguém roubar. Bem, agora sabemos que roubou para si e para seus aliados. Alguma dúvida? E no congresso do partido para a juventude, lá estavam os grandes heróis do povo brasileiro figurando no banner: Zé Dirceu, Delúbio Soares, José Genoino, Vaccari, João Paulo Cunha… Todos condenados pela Justiça. Entendeu agora o que falei de falta de vergonha na cara?

      Tá, admito ter sido mais duro que o necessário ao incluir todos os esquerdistas no mesmo saco. Mas lhe dou um conselho. Analise bem esses ideais, veja como funcionaram (ou não funcionaram) na prática e como se comportaram aqueles comprometidos com eles quando adquiriam poder de mando. Você está embarcando numa canoa furada.

      Excluir
    2. Os direitistas governaram nosso país há décadas e tb falharam em tudo. E não preciso que vc me diga o que seguir ou não, eu sou capaz de pensar por mim mesma e é minha escolha, não sua, abandonar e continuar com uma ideia.

      Mais uma vez: uma coisa não é errada só pq vc discorda. Deu pra entender? Vamos repetir novamente: UMA COISA NÃO É ERRADA, RUIM OU MAL FEITA SÓ PQ VC NÃO GOSTA OU CONCORDA. Grave bem, escreva na sua mão, na agenda, onde vc quiser.

      E uma pequena dica: o comunismo nunca foi colocado em prática em país nenhum, nem na China. O que vemos lá é meramente capitalismo de estado. Tem diferença.

      O PT mentiu? Meldels, que novidade! Todos os partidos mentem! Ou vc acha que os políticos de direita só falam a verdade, não roubam nada e pensam no povo? Acha mesmo isso? Sabe de nada, inocente...

      Se os políticos fazem burrada, é culpa deles, não da ideologia. São os politicos que roubam, não a filosofia de direita ou esquerda. São os políticos que mentem, enganam, agem em benefício próprio.

      Fica a dica. Político de direita tb faz burrada. Político de direita tb rouba, promete e não cumpre. Eles já prometeram fazer muito pelo país e não fizeram nada. Não se iluda achando que a direita é boazinha, humana e pensa no país pq isso não é verdade.

      Outra dica: presidente ou partido político não conserta país nenhum. Por maior que seja a boa vontade, existem interesses econômicos, tem o capitalismo, grandes empresas. Jamais o governo vai passar por cima dos interesses dessa turma, não importa qual ideologia eles sigam.

      Além dos interesses das empresas, tb tem dos outros partidos, outros políticos. Os juízes que ganham salários enormes por acaso são do PT? Foi o PT quem determinou salários e pensões absurdas pra sustentar esse povo? Foi o PT quem criou essas mordomias tipo auxílio terno e moradia? Não. Mas se tentassem acabar com isso, com certeza seriam pisados. Na terra encantada da maravilha, tudo é simples e fácil. Mas no mundo real não.

      No mundo real, pessoas fazem de tudo pra defender seus interesses. Podem até matar. Vide o que os EUA fizeram com Saddan Hussein porque não conseguiram dobrá-lo pra servir aos seus interesses. Todo aquele que vai contra o capitalismo e tenta fazer algo de bom, amanhece com a boca cheia de formigas.

      Essa é a dura e triste realidade. Sorry.

      Excluir
    3. Mas como disse antes, prefiro encerrar o assunto porque:

      1 - Não tenho tempo.
      2 - Não tenho interesse em mudar sua opinião. O que vc pensa ou deixa de pensar não afeta minha vida em nada. Se eu ao menos fosse ganhar um bom premio por mudar seu pensamento, até poderia pensar no caso. Mas se não vou ganhar nada, não vou gastar tempo e energia inutilmente.
      3 - Isso não é um blog político e não quero espantar meus leitores com essas discussões. Aqui é lugar pra divertir, descontrair. Não é lugar pra ficar se descabelando por qualquer coisinha na história que não saiu como esperado.

      Não me leve a mal, mas eu nem sei se vou ler as próximas respostas. Como disse, o tempo é escasso e prefiro usar em coisas mais proveitosas pra mim.

      Fim.

      Excluir
    4. 1 - É... Eu também não tenho muito não. Antes ficava quebrando o pau em blogs de fé, mas a TMJ pareceu-me mais divertida enfim.

      2 - Nem eu a sua. Opinião se muda quando se aprende a pensar, a analisar as coisas, comparar, etc e tal, ou seja, fundir a cuca. Foi o que eu fiz ao longo da minha vida. O dia que fizer isso, vai perceber que esquerdismo é fisiologicamente uma religião de verdades feitas (como você demonstrou no que escreveu acima) e o capitalismo é o que faz a economia funcionar. Esquerdismo e Direitismo é como aquela música do Guilherme Arantes: _ Bandido... Mocinho... É tudo... farinha do mesmo saco.

      3 - Fim do papo político. Se algum outro leitor daqui quiser mais, entrem lá no blog Religião é Veneno.

      Excluir
  24. Acredito que Mali tem razão e que o ponto central do gibi da Turma da Monica Jovem foi o ponto da ficção, Realidades alternativa é o Maurício deixou bem claro, e o seguinte, fantasias e as vezes apelar ao surealismo, sem se prezar a focar na realidade que existe fora do universo dos quadrinhos, sejamos franco isso é fantasia, ninguém irá crescer envelhecer e ou as vezes tratar do dia a dia com seriedade e ou focar no ponto de se ater ao presente e ou qualquer coisa da vida real, sem falar de magia futuro, realidade alternativas, vampiros, lobisomens, bruxos e etc.
    O gibis nunca deveria apenas se focar num mesmo roteiro num mesmo ponto ou um relacionamento de ninguém, nunca foi o ponto central, apenas parte de um roteiro, e não faz parte da história, nem todos querem ficar sabendo ou relendo o namoro e ou a falta dela, não faz parte, e isso não é relevante, eu por exemplo cono outras pessoas não estão lendo tmj apenas para saber drama adolescente e ou namoro, algumas vezes a parte da fantasia e mais importante, a história não gira ao redor de namoro e drama.
    Nem todos nós acompanhamos todos os número de tmj as vezes algumas pessoas conhecem e começam a ler pela primeira vez o gibi, então eu concordo com o ponto de não fica preso a a única cronologia e um roteirista, e certo dar li era de afinal se você continuou de onde parou como irá ficar o leitor novo que não comprou os números anteriores, acredito que ficará perdido e não irá acompanhar o desenrolar e o processo da historia e não terá vontade de comprar, outros leitores nao colecionam todos os numeros, comos todos somos livres e com gosto diferentes, nem todos nós temos tempo livre de ficar procurando números anteriores e acompanhar o desenrolar de uma trama enorme seguindo desde o começo,.
    Sim existe a internet para pesquisar, mas existem poucos blogues e sites que disponibilizam todos os números, porém, vira e me che o Maurício ameaça um ou outro de processo, caso ele não pare de publicar, claro eles voltam, mas são poucos, afinal nos somo o ganhá pão do Maurício então você deve ser racional e menos crítico, por que nem todos os números e histórias se presas a coerência.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bibliotecária, agora pouco respondi ao Emerson, que me disse que a MSP e a Panini não curtem esse negócio de histórias costuradas por causa justamente dessa questão aí de o leitor novo ficar perdido por não ter lido as histórias anteriores. Expliquei-lhe que não é disso que estou falando. Não é que a história que vai sair em dezembro tenha de sair colada a partir do final da que saiu em novembro.

      A minha queixa é contra essa descontinuidade de eventos, situações, relacionamentos entre as histórias antigas e novas, as diferenças entre como os roteiristas retratam as personalidades dos personagens, fora as tão frequentes falhas de revisão. É quanto a isso que eu torço o nariz.

      Tais cuidados, tais costuras bem ajustadas EM NADA atrapalhariam o leitor novo que comprasse sua primeira TMJ, pois não se tratam de histórias emendadas e sim de situações continuadas.

      Claro, existem lendas, fadas, duendes, fantasmas, ETs, monstros etc e tal aqui nessa TMJ. E os roteiristas fazem histórias com essas figuras. E é claro que nenhum é sabido de tudo e nem sempre tem tempo o necessário para pesquisar sobre um assunto para fazer a coisa mais dentro do que "se é sabido".

      Cada um faz o que pode. Veja o meu caso. Eu tenho um romance quase pronto e pretendo mandá-lo para editora agora em dezembro, assim que meus assuntos estiverem concluídos. Como sou biólogo, descrevi num capítulo que o espermatozoide uniu-se ao ovócito. Isso está tecnicamente correto. Um não versado em biologia poderia dizer que o espermatozoide uniu-se ao óvulo, mas isso está tecnicamente errado. Em ambos os casos, a grande maioria dos leitores nem notaria nada de estranho.
      Tratei também nesse romance de um entrevero judicial e o meu irmão que é escrivão de polícia disse: "_ Mas o processo não seria tão rápido assim". _ Certamente que não seria. Mas Direito não é a minha praia e o propósito da minha obra não é ensinar isso. Não iria cansar o leitor descrevendo minuciosamente como andaria o processo passo a passo. Por isso fui sumário em sua descrição, além de estar premido pelo número de páginas disponíveis.

      No lugar do Cassaro, eu teria inventado uma bactéria mutante do tétano que produziria uma toxina paralisante em vez de doença do sono, que é causada por protozoário e quando chega nesta fase, já era: o doente não tem mais salvação.

      É isso.

      Excluir
  25. Mali, novamente você está certa, o blog e voltado única e exclusivamente a turma da monics jovem e seu entretenimento, nao a politica ou qualquer coisa relacionada, mas temos um problema, que envolve o quesito idade.
    Eu acredito que Marcos não consegue mais ser tolerante e nem simpático porquue sofreu muito na vida e precisa urgentemente de um psicólogo como a maioria de soldados de guerra.
    Na verdade isso me faz pensar em certas situações efeitos colaterais do sofrimento e o fato dele ser da época do fim da ditadura.
    Sejamos francos, meu pai antes de morrer ele lia gibis comigo mas ele nasceu da década de quarenta bem, ele viveu na época da ditadura, o sofrimento e a intolerância e toda a uma gama de fatores e uma epoca tanto com meus avos e bisavos que fugir da guerra que se alastrou pelo mundo e chegou a italia, foi um momento ruim para eles, tanto quanto os sirios hoje, chegou a um momento que eles tinha uma decisao se juntar e lutar e ou fugir para um lugar para encontrar paz, o comeco da primeira guerra em 1914 e assim meus pais nasceram aqui a dor o sofrimento transforma uma pessoa, somente iremos entender quem conviveu ou passou por isso, acredito que Arduin perdeu fé e esperança na humanidade e se transformou em uma pessoa rancoroso.
    Aqui não é lugar para falar da atrocidades da guerra muito menos de intolerância e do sofrimento alheio e o sofrimento causado e seus efeitos colaterais chega a um momento que o sifrimento transforma e traumatiza destrói a ponto de não conseguir juntar pedaços.
    Um velho homem da época do meu avós ao fim da ditadura com rancor e odio disse a mesma coisa em seu pior momento de infelicidade antes de morrer morte e corrupção daqueles que foram exilados voltaram para roubar, melhor ter do e piedade do que rancor

    ResponderExcluir
  26. Marcos Arduin, concordo com você!

    É claro que a revista é feita para ser divertida, mas só isso não basta.
    Dizer que por causa do público alvo TEM QUE SER assim é pura mentira. E também é uma ofensa aos adolescentes sugerir que apenas por serem adolescentes eles seriam burros, incapazes de pensar e criticar ou mesmo entender um roteiro mais elaborado.

    Ora essa, se reclamamos que a MSP foca muito em Mônica-Cebola-DC, é lógico que queremos ver outros personagens tendo destaque, como seria o caso da Sarah.

    Da mesma forma, temos que reclamar sim quando vemos erros grosseiros de personalidade e arte dos personagens, porque afinal de contas, ninguém nos dá a revista de graça. Nós pagamos por ela e temos todo o direito de exigir que seja bem roteirizada, desenhada, revista, arte-finalizada...

    E se a MSP não quer perder clientes fiéis, tem que ouvir e melhorar muito. Eles tem concorrentes e tem de ter noção de que podemos e vamos sim migrar para coisas melhores se quisermos. Eles fazem a revista para atender a nossa demanda e se não nos satisfizerem vamos parar de consumir e eles vão ter prejuízo.
    É assim que funciona o capitalismo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O pessoal chia muito comigo porque acha que estou destruindo sonhos infantis. Sacomé: inventaram essa tal de aprovação por decreto pois a reprovação desestimula e faz a criança abandonar a escola (o buraco é mais embaixo, mas aí é coisa de política: não se pode falar aqui).

      Expliquei há pouco ao Emerson que não estou exigindo que as histórias sejam coladas umas às outras, mas que as situações de relacionamento sejam mantidas ou mudadas sob uma justificativa lógica.
      A título de exemplo, na TMJ 73 começa com o Cebola ligando para a mãe da Mônica, tentando conseguir dela uma oportunidade para ele conversar em particular com a moça. A Mônica não atendia aos telefonemas dele, não lhe respondia aos torpedos, o desconsiderava por completo. Mas a resposta da D. Luísa foi uma recusa redonda, pois se a filha não queria mais falar com ele, tinha os seus motivos e ela achava que não devia se intrometer. E terminou com este arremate:
      _ Eu gosto de você, Cebola, mas a felicidade da Mônica vem primeiro. E ela está mais feliz SEM VOCÊ!
      Da mesma forma, nenhum dos amigos quis ajudá-lo quanto a isso. Enfim, refletia-se uma situação de ruptura TOTAL. Mônica não queria mais saber dele e fim de papo.

      Aí veio a saga Umbra (que prefiro chamar de Lambança na Umbra - veja o que comentei por aqui neste blog mesmo), ocupando as edições 74, 75 e 76. E o relacionamento dava o maior cavalo de pau: Mônica conversa com o Cebola, toda feliz e sorridente, numa boa e tava ela lá de bandeja para ele dizer tudo o que queria e não pôde na edição 73. A desculpa do Emerson foi que ele escreveu essa saga antes do evento da ruptura e aí teve de fazer uns ajustes... Mas praticamente o único ajuste foi tirar os quadros em que Mônica e Cebola trocavam beijinhos.
      É de coisas assim que eu me queixo entre outras falhas, como trocas de cores de olhos e cabelos e personagens duplicados num mesmo quadro, etc e tal.

      Excluir
    2. Não. O pessoal chia pq vc é chato mesmo.

      Excluir
    3. Pelo menos os chatos e críticos são vistos. Veja só o Quim... Tão bonzinho, tão meigo, tão apagado... Nem personagem quaternário ele é.

      Excluir
  27. Concordo com o Arduin e a Betty. Não é porque a revista é voltada para um público mais jovem que teoricamente não perceberia as falhas grotescas, que as mesmas devam continuar. Distorções de personalidade, confusão com as idades e a falta de costura entre as histórias demonstram que os roteiristas não acompanham o trabalho um do outro, mas o que me incomoda mesmo é maneira como o povo baixa a lenha num ou noutro roteirista sendo que a dupla de revisores de texto, que é a mesma desde o início da tmj, é que permitem toda essa bagunça! EU NÃO ACREDITO QUE ELES NÃO PERCEBAM ESSAS FALHAS! O trabalho deles não é justamente evitar isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dupla de revisores? Desde o início da TMJ? Quem são essas figuras? Se forem filhos do Maurício, então tá explicado!

      Excluir
    2. Desculpe meu erro. Na verdade são supervisores de roteiro, o que pra mim dá na mesma. Quem são eles? Maurício de Sousa e Marina Takeda.

      Excluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    4. A Mally chiou horrores aqui contra o Capitalismo, mas podemos ver que a MSP é essencialmente capitalista. Se está vendendo e só uns gatos pingados reclamam, então deixa como está. Em time que está ganhando, não se mexe.

      Nas minhas conversas com o Emerson, parece que a coisa está tão boa quanto é para os professores e o governo de São Paulo e os outros. Tá podem até fazer greve por salários, mas tem certas coisas que o corporativismo não admite mexer. Uma delas é fazer avaliação da qualidade dos ditos professores. E pelo que o Emerson me disse, ele e os colegas fazem os roteiros, entregam e o Maurício & Cia Bela decidem o resto à revelia deles. Nem mexem em nada e por isso a coisa está neste pé.

      Questionei o Emerson sobre a tal costura, que não se tratava de emendar história seguinte a partir do ponto em que a anterior terminou. O que eu falava é da continuidade da personalidade, dos relacionamentos, dos eventos, etc e tal. E o que ele me respondeu fez meu mundo cair: os roteiristas NÃO CONVERSAM ENTRE SI. Cada um faz seu roteiro independente dos outros e é por isso que dá esse rolo estranho de as coisas não se casarem. E a desculpa que ele me deu, ah! Me desculpe, mas minhas cachorras até dariam desculpas melhores: falta de tempo. Estão tão atarefados em montar os ditos roteiros que não têm tempo para trocar papos uns com os outros. Ele disse que no máximo conversa um pouco com a Petra. É, minha gente. A solução para isso é um dia arrumarem um capitão para o time.

      Excluir
    5. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    6. Eu até concordo com você em alguns pontos, só acho que você é radical demais em suas exigências. Na boa, todo dia a gente sofre com os serviços públicos de péssima qualidade, reclamamos e nada muda. Reclamar da qualidade na tmj é coisa muito mixa. Se ela não piorar, vou continuar lendo. Pra mim ainda é uma boa opção de lazer.

      Excluir
    7. Sabe, Mariana, eu não acho que estou sendo radical demais, porque imagino que não estou pedindo muito: apenas mais atenção quanto a falhas grosseiras (tipo mudança de cores de cabelos e olhos, personagem ter só dois braços e não três, não estar duplicado num mesmo quadro, não aparecer um personagem no lugar de outro, etc e tal). E também planejamento a um prazo mais longo, os roteiristas terem um padrão de comportamento e personalidade para cada personagem, etc e tal, de forma a evitar mudanças estranhas nos relacionamentos entre eles. São coisas que uma equipe bem azeitada faria. Mas está bem, diante a inutilidade das queixas, vou parar de fazê-las.

      Excluir
  28. Finalmente parece que apareceu um amor para o Cebola, tava enjoada de ver o Cebola com aquela cara de morto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também espero que o Cebola dê o rumo , ja que a Mônica está cada dia mais apaixonada pelo DC , e ele continuar insistindo em voltar com ela só vai afastar ainda mais e fazendo ela ficar cada vez mais apaixonada pelo DC

      Excluir
    2. Ágatha e Vitor, tenho uma triste notícia para os dois: NÃO VAI HAVER NOVO AMOR ALGUM PARA O CEBOLA.
      O Emerson jurou para mim de pés juntos que tanto a Sarah, como a Nadine, são personagens do tipo "oi e tchau", ou seja, elas só apareceram nessas histórias recentes, mas é só. Portanto o Cebola vai ter de continuar sua cara de sunga munga, de picolé de chuchu, de cão abandonado, alimentando a esperança de que um dia o DC pise feio na bola com a Mônica e ela se desencane dele. Só fica a dúvida se volta para o Cebola ou se a fila dos interessados nela anda.

      Excluir
    3. Bom então só resta a possibilidade de Cebola voltar pra Mônica , o que me faz pensar em como será o rompimento da a Mônica com o DC

      Excluir
    4. Fica até difícil imaginar já que as histórias não se combinam entre si pelo fato de os roteiristas ficarem cada um no seu quadrado.

      Excluir
  29. Oi, Mally. Desculpe a falta de educação. Entrei no seu blog sem dirigir a primeira palavra à você. Quero te parabenizar pelas críticas que faz da tmj, que são sempre muito bem feitas e que já acompanho há um bom tempo. Só me manifestei agora porque não aguentava mais ver o povo baixando a lenha nos roteiristas da tmj, pois como já disse, não acho que eles sejam os verdadeiros culpados. O Marcos Arduin é um velho encrenqueiro, mala que dói, mas até que tem suas razões. Você também tem as tuas, eu tenho as minhas... Enfim, o mundo seria muito chato se todos pensassem igual, não é mesmo? Eu sei, eu sei, devemos respeitar as opiniões que são diferentes das nossas, sem deixar que isso vire embates fervorosos, pra não dizer algo pior. Bom, se a humanidade EVOLUIR a este ponto, aí a gente comemora. Passe muito bem, tchau!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu respeito as opiniões do Marcos (se não respeitasse, nem deixaria postar aqui. Apagaria tudo e pronto). Só não gosto dessa postura arrogante dele de achar que é dono da verdade, tá sempre certo e quem pensa diferente tá errado.

      Se algo não estiver do jeito que ele quer/acha certo/espera, automaticamente ele considera como errado, lixo, lambança, etc. Sem falar que é muito deprimente ler os posts dele pq só vejo críticas, defeitos, etc. Na maioria das vezes, eu nem me animo a ler.

      Excluir
    2. Sabe, Mally, durante a campanha do Serra, numa ocasião de corpo a corpo com eleitores na rua, uma delas foi incisiva com ele:
      _ O senhor fala muito eu acho. Isso não é bom. Não passa segurança.
      E o Serra ficou com cara de tacho. Também já ouvi esse tipo de conselho. Pode parecer um modo humilde de expressar nossos pensamentos começando com eu acho, eu penso, eu acredito, eu suponho... Mas como disse aquela eleitora, isso passa a impressão de que a pessoa não tem firmeza naquilo que pensa.

      Daí então dar a impressão de arrogância em dispensar esse modo de começar uma frase. Porém, Mally, eu não sou dono da verdade. Admito estou pouco informado sobre o funcionamento da MSP e pelo que o Emerson me passou, não é o melhor jeito de uma empresa trabalhar. A coisa poderia ser melhor e não custaria tanto.

      Excluir
  30. Marcos Arduin, você não deve entender que és arrogante ao expressar suas opiniões. Deve, sim, entender que és arrogante ao escolher as palavras que usa para expressá-las. A Mally, e outros comentaristas do blog sentiram-se intimamente atingidos pelas palavras inadequadas que você usou. Essa sua mania de usar mal as palavras deve fazer de você persona non grata em muitos lugares. E você parece gostar disso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Intimamente atingida"? Não. Gosto da TMJ, mas nunca vou levar pro lado pessoal as criticas feitas à revista.

      Se uma pessoa adota a postura de achar que algo é errado/mal feito/lambança só porque ela não gosta ou não concorda, então sim. É uma atitude arrogante. Eu faço minhas críticas, mas de forma alguma eu as trato como verdade absoluta. Se eu não gosto de algo na revista, entendo perfeitamente que é só minha opinião e nada mais.

      Uma coisa não é boa só pq gosto e nem ruim só pq não gosto. That's it.

      Excluir
    2. Sabe, Mariana, eu passei a vida fazendo e escrevendo textos científicos envolvendo assuntos botânicos e onde não se discute com os outros picuinhas sem importância. E nunca fui uma pessoa de muita conversa direta. Talvez isso seja o fator principal de eu não escolher bem as palavras a serem usadas.

      Aqui em conversas na internet, fiquei levando muitas pedradas diretas e isso também pode ter influenciado o meu jeito de me expressar. A título de exemplo, sendo eu espírita, uma vez no bate papo do Terra, falei do cientista inglês William Crookes, que durante quatro anos fez experimentos com médiuns. A isso respondeu-me um interlocutor:
      _ Crookes podia ser um cientista que entendia de física e química, mas NADA entendia de artes mágicas!
      E concluiu a meu respeito:
      _ Tolo!
      Achei que nem valia a pena continuar o papo com tal pessoa. Em outro blog, falei de um mentor espiritual que se apresentou sob o nome João. E um dos participantes debochava de mim:
      _ João, aquele que comeu o seu cuzão.
      Bem, a minha postura foi simplesmente desconsiderar todos os posts que esse cara fazia, mesmo quando se dirigia a mim diretamente. Sinto que não sou um cara que se ofende facilmente e isso muita vez me faz esquecer que outros não são assim.

      Aí no caso da Mally, ela acha arrogância minha eu achar que algo está mal feito. Mais ainda julga que isso decorre apenas do fato de eu não gostar ou não concordar. Nada a ver. Não se trata de desgosto ou de discordância, mas de falta de coerência no conjunto. E também não sei porquê ela acha que trato minha argumentação como verdade absoluta. Prefiro ser direto ao dizer a coisa e não ficar com um monte de "ses" e "mas" temendo desagradar a alguém.

      É isso.

      Excluir
    3. Desculpa, Mally. Eu realmente achei q as palavras do Arduin te atingiram em algum ponto que não tem nada a ver com a tmj.

      Excluir
    4. Arduin, seu comentário me fez lembrar de quando eu era adolescente. Achava que sabia mais que todo mundo (pelo menos da minha idade ou mais novos q eu), e sempre tinha alguém pra me responder grosseiramente tal qual as pessoas que você citou. Daí fui amadurecendo e notando a complexidade da mente humana e como várias pessoas podem interpretar de maneira particular o que é dito por outra. Isso porque as pessoas tendem a pensar e reagir baseadas naquilo em que acreditam e não naquilo que sabem.
      E aí, quem é que está errado? Quem fala ou quem interpreta mal o que é dito? O saber e o acreditar são coisas muito relativas, mudam de pessoa para pessoa, então, nenhum dos dois está errado. Será?

      "SÓ SEI QUE NADA SEI".

      Excluir
    5. Tranquilo, não precisa pedir desculpas. Mas saiba que em momento algum eu o respondi grosseiramente, só mesmo quando ele foi grosso primeiro e mesmo assim não xinguei em momento algum.

      E só pra esclarecer, não acho que seja arrogância falar que algo saiu mal feito. Arrogância é achar que algo realmente saiu mal feito só porque ele pensa assim. Parece a mesma coisa, mas tem diferença.

      Exemplificando pra ficar bem simples:

      Normal: eu não gostar do tempero de determinado prato.

      Arrogância: dizer que o prato ficou horrível, lambança, foi feito errado e a pessoa não sabe cozinhar só porque eu não gostei do tempero. Talvez tenha sido erro da pessoa, mas tb pode ser apenas minha opinião pessoal. Outras pessoas podem provar o mesmo prato e achar saboroso. Nesse momento, o prato é a TMJ.


      É isso. Vamos ver se agora o povo entende.

      E em momento algum eu interpretei errado o que ele falou, sempre entendi muito bem. Apenas dei minha opinião, assim como ele deu a dele.

      Excluir
    6. E pra finalizar: ele causa tumultuo no meu blog e eu não gosto disso, mas tolero pq sei que todos tem direito a opinião. Mas vou ser sincera... o próximo comentário diminuindo, insultando ou debochando das pessoas que acreditam na ideologia de esquerda será deletado sem dó. Já é a segunda vez que ele faz isso e não vou tolerar uma terceira.

      Excluir
    7. Você foi incoerente. Primeiro você disse " EM MOMENTO ALGUM eu o respondi grosseiramente", e logo depois "só mesmo quando ele foi grosso primeiro". Ou você foi ou não foi, mas deixa pra lá.
      Quando eu falei de responder grosseiramente, não me referi a você. Eu apenas comparei as pessoas que eu conheci com as que o Arduin citou (não me pareceu que você foi incluída no comentário dele).
      Outra coisa. A sua explicação sobre arrogância foi pra mim? Sério, eu não entendi.
      Eu disse q arrogância está na maneira como se usa as palavras.
      Fiquei com a impressão de que você tomou pra ti as coisas que eu falei pro Arduin.
      Parece que também estou tumultuando seu blog, então vou me abster dos comentários.
      Desculpa qualquer coisa!

      Excluir
    8. 1 - Em momento algum falei que vc está tumultuando meu blog. Falei que ELE tá fazendo isto. Tem diferença.
      2 - Não existe contradição quando uma pessoa explica que abriu exceção em determinada circunstancia. Contradição seria se eu disesse que nunca fui grossa com ele e vc achasse um post meu provando o contrário. Mas não, isso não aconteceu. Eu A-VI-SEI que esse tipo de situação aconteceu e expliquei por que aconteceu.

      3 - A explicação sobre arrogância foi sobre o Marcos Audin, que discorda de certas coisas na revista e acha que são defeitos só porque ele discordou. Quantas vezes mais vou ter que explicar isto?

      4 - Eu só mandaria alguém embora do meu blog se essa pessoa se comportasse muito mal. Vc não se encaixa nisto, nunca te pedi pra sair, nunca falei que vc tá tumultuando meu blog. Mas peço desculpas caso tenha entendido errado o que vc escreveu.

      Excluir
    9. E pelamor, vamos encerrar este assunto que tá ficando chato, desgastante e pode até desencorajar outros leitores de comentarem no blog. Isso aqui é lugar de entretenimento, não de estresse.

      Todo mundo (inclusive o Marcos, já que ele fala coisas interessantes tb) é bem vindo pra comentar e opinar, mas prefiro que se mantenham dentro do assunto TMJ ou CBM.

      Aliás, quem vai se abster de comentar sou eu, já que toda vez que respondo o comentário de alguém acaba gerando polêmica e confusão. Vou deixar os comentários só pros leitores e comentar apenas se alguém me fizer uma pergunta ou pedir opinião sobre o que escreveu. Será melhor assim.

      Excluir