TMJ#83: Herdeiros da Terra - Críticas ~ TMJ do meu jeitoTMJ do Meu Jeito

domingo, 19 de julho de 2015

TMJ#83: Herdeiros da Terra - Críticas

E aí, gente? Faz tempo que não atualizo esse blog, né? Foi mal, muito trabalho. Vida de adulto é assim mesmo, um dia vocês vão entender. Foi tanta coisa que nem pude publicar a crítica no dia certo porque só ontem eu li a história.

E que história, hein? Emoção, mistério, aventura, barraco e zueira. Do jeito que o povo gosta! Sem falar de algumas referencias a histórias do gibi.

Quem leu a ed. onde Denise vai causar na roça deve ter entendido melhor. Só que dessa vez quem deu o chilique foi o Nhô Lau ao invés do Chico, mas a cena (muito cômica) foi a mesma. Rachei de rir nessa parte. Isso sem falar quando a Denise vai dar o maior abraço no Chico e do nada a Rosinha aparece querendo brigar, mas no fim elas terminam trocando abraços. Isso também lembra o gibi onde elas tiveram uma tensão inicial e terminaram se dando bem.

A história teve boas doses de humor, ação e mistério. Um pouco menos de humor que a média das histórias do Emerson, mas nesse caso acho que ficou na medida certa. O andamento também foi legal, com as coisas aparecendo num ritmo bom. Tipo, nem muito depressa, nem muito devagar.

Sem falar no grande numero de personagens para ser administrado. Até a Oncivarda apareceu! Bom, ao contrário do que o Emerson falou, não achei que a participação do Zé Lelé tenha sido algo inútil. Claro que qualquer um poderia ter encontrado o ídolo no chão, mas somente ele poderia ter trazido uma onça para participar da ação, né?

Agora, eu gostei bastante da participação do DC que continuou sendo ele mesmo, mas sem parecer um chato mala sem alça. E foi graças a ele que todos decidiram procurar a tal cidade perdida por conta própria, o que em parte me lembrou um pouquinho o filme dos Goonies, grande sucesso na década de 80, onde vários jovens saíram sozinhos em busca de um tesouro. O restante da história ficou algo meio Indiana Jones também pelo lance arqueológico e misterioso.

E quem aqui riu da cara que o DC fez quando todos concordaram com ele? Rapaz, para alguém acostumado a ser do contra, deve ser estranho quando todos começam a concordar com ele.

Quando eles chegaram naquelas cachoeiras, até que me deu vontade de estar lá também. sem falar que Denise e Zeca deram uma boa dupla cômica, com ele tentando xavecar e ela sempre dando uns foras. E a parte do pau de selfie? Confesso que é um troço bem esquisito para mim, sei lá. Meio sem jeito, sem muita utilidade. Mas a tirada deles de todo mundo pensar que eles estavam se divertindo e a Denise falando que adora iludir as pessoas foi hilária. As vezes fico imaginando se não é esse o pensamento de muita gente que tira fotos e bota no face para fazer todo mundo pensar que eles estão ótimos sendo que a realidade pode ser bem outra.

E o DC, todo charmoso (e olha que nem sou fã dele) deu aquele mergulho fantástico no lago da cachoeira. Essa cena já foi incrível, mas o Zeca tentando fazer a mesma coisa e esborrachando todo no meio do caminho foi a cereja do bolo. Dá para ver que o DC é bem atlético e forte também. Os treinamentos ninja estão rendendo, hein?

Saindo da parte cômica/Indiana Jones, agora entramos um pouco na parte mais estranha e misteriosa quando Rosinha descobre que o ídolo não é só um bibelô caro e sim um controle remoto. E esse controle remoto despertou os alienígenas do planeta Tomba, como vocês devem ter percebido. E também despertou muitos problemas, diga-se de passagem.

Enquanto isso, está todo mundo de boa curtindo a natureza e o Franja até queria usar um drone criado por ele. Daí eu olhei para esse drone e achei ligeiramente familiar. Onde foi mesmo que eu vi isso? Ah, não sei... Vamos fazer assim: primeiro pegamos a imagem da esquerda, colocamos um braço com uma garra-arranca-tripa, outro com um machado-corta-membro, uma cabeça pontuda e voilá!  

Teremos um robô igualzinho a esse que apareceu na ed. 79 no futuro (imagem a direita). Pois é. O bicho vai pegar mesmo!


E por falar em bicho pegando, foi só a Rosinha apertar uns botões para começar o barraco e a gritaria. A terra tremeu, deu aquele clarão que quase matou todo mundo de susto, os aliens acordaram e resolveram esticar as pernas fazendo uns crop circles na plantação mais próxima.

Quem leu histórias dos gibis com os alienígenas do planeta Tomba deve lembrar de como eles eram: baixinhos, redondos e engraçadinhos. Mas estamos na versão jovem, certo? E na história do Emerson. Então agora eles não são mais baixinhos, redondos e muito menos engraçadinhos. Devo dizer que o novo visual deles causou grande impacto, apesar de eu ainda não ter entendido muito bem aquelas patas de, sei lá, jumento? Beleza, gostei mesmo assim porque ficaram bem sinistros e assustadores, para mostrar que a coisa é séria mesmo.E eles também levam um cetro, que é uma arma bem perigosa. Na ed. 3 da TMJ o alien tb levava um, só que esse dava choque ou disparava raios, eu não lembro direito.

E séria foi a luta do DC ( o maluco que quando era para ficar quieto, correu na direção do perigo) para defender a Mônica do alien. Uia, até cara de zangado ele fez na hora de encarar o bicho! Isso mostra que ele pode ter a cabeça zoada, mas quando a coisa aperta ele não corre do perigo. Muito bacana a atuação dele até aqui. Meldels, se continuar assim vou acabar virando doconica!

Confesso que me deu assim um medinho quando os et’s raptaram o DC e a turma precisou ir atrás. Quando finalmente encontraram a criatura, ele disse uma coisa muito interessante sobre a raça dele ter habitado a Terra há uns milhões de anos atrás e agora querem o planeta de volta.

Mas claro que dessa vez o bicho precisou fugir com o rabo entre as pernas graças a Oncivarda (mais uma vez, o Zé Lelé foi útil para alguma coisa).

Bem... eu particularmente adorei a história pelo lance meio Goonies, meio Indiana Jones. Gosto de aventura, mistério, ação, barraco e gritaria. Os personagens em geral foram bem administrados, e gostei do destaque que de certa forma está sendo dado a Rosinha apesar de a participação dela não ter sido muito grande dessa vez, mas parece que na próxima ela vai ser mais explorada. E ainda tem a questão de por que ela ter sido chamada de menina-cor, mas não sei se isso vai ser esclarecido na TMJ 84 ou no gibi do Chico Bento do mês que vem. Parece que ela andou tendo contato com os aliens de alguma forma, mas ainda não dá para saber muita coisa.

Eu também gostei da participação do DC, que se tornou um personagem bem mais explorado e não um simples contrariado sem noção. E ainda assim mantiveram a personalidade dele, só que mais legal.

A participação da Denise não foi tão grande, mas foi muito boa com os foras que ela dava no Zeca e na sua ambição por causa do outro. Foi hilária ela tentando arrancar um pedaço do tesouro com a picareta e depois chorando por ter deixado tudo para trás.

O protagonismo foi bem dividido a meu ver, não dando destaque excessivo a um personagem só e esquecendo os demais. Claro que muita gente deve ter torcido o nariz porque o Cebola não apareceu, mas sejamos sensatos: não consigo imaginar onde ele poderia participar na história.

Mônica viajou acompanhando o Franja e com a intenção de ajudar, mas também foi a passeio. Nada mais lógico do que levar o DC junto ao invés do Cebola. O Cebola só ia sobrecarregar ainda mais a história com personagens. Foi por esse mesmo motivo que Magali e Cascão não apareceram.

Outra coisa de que gostei bastante foi do mistério criado. E será mesmo que a espécie humana é a única inteligente que pisou nesse planeta? A Terra tem uns 4 bilhões de anos, é muito tempo para um planeta ficar desocupado. Dizem que se a idade da terra fosse 24 horas, os primeiros Homo Sapiens teriam surgido às 23 horas, 59 minutos e 57 segundos. A história do homem, portanto, seria de meros 3 segundos. E no tempo restante? Será que o planeta ficou mesmo vazio?

Acho que se passar um tempo suficientemente grande, tipo milhões de anos como fala na história, é possível que quaisquer traços de civilização se apaguem e ninguém veja nada. Claro que são apenas hipóteses e teorias que não podemos confirmar. Mas não vejo nada de impossível nisso.

Sim, a vida pode ter sido impossível aos humanos milhões de anos atrás, mas talvez não para outra espécie. Enfim, são só hipóteses porque ainda temos outras perguntas para serem respondidas.

O ET fugiu no foguete de ouro (nível de ostentação: máximo intergalático) e deixou todo mundo com cara de pastel, especialmente a pobre Denise que viu seus sonhos de riqueza indo literalmente para o espaço. Mas é claro que a treta não acabou, porque o bicho disse que o povo dele ia voltar porque queriam o planeta de volta.

Ah, sim... aquela velha questão de quem é dono da Terra. Nós achamos que é a raça humana. Bem, estamos aqui agora, mas outra civilização pode ter estado no passado e também pensou a mesma coisa, como o alienígena certamente pensou. No fim, dá tudo no mesmo. Nós pensamos que somos donos, eles também pensam porque estiveram aqui primeiro (hum... será mesmo? Mistéeeerio!)

Afinal, quem seria o dono de verdade? Será que eles tem mesmo o direito de querer acabar com a raça humana e tomar o planeta de volta? Afinal, o tempo deles aqui terminou. Algo aconteceu e eles tiveram que ir embora. Caso contrário, ainda estariam aqui.

Claro que é tentador pensar que não temos o direito de viver na Terra porque no fim das contas somos apenas parasitas que só sabem fazer sujeira, destruir o ambiente ao redor e não damos nada de bom em troca. Mas vá lá, somos seres vivos, inteligentes, temos sentimentos e nem todos são realmente uma praga. A grande maioria é assim porque não conhece outro caminho e não tem ninguém para orientar, só sugar e explorar e depois abandonar no descaso.

Talvez cada espécie tenha seu tempo na Terra. Os dos aliens do planeta Tomba passou, o nosso vai passar um dia e no futuro será a vez de outra espécie. Acho que um não tem o direito de querer aniquilar o outro só por se achar dono do planeta. Bem... não sei se os aliens vão entender isso, mas é uma reflexão interessante.

Ainda tenho outras questões e coisas para falar, mas vamos deixar para os palpites da ed. 84. A capa deve sair por esses dias, então vamos esperar. enquanto isso, temos png’s e quebra-cabeça. O Dc ficou super estiloso nessa edição, não ficou? E o Chico sem camisa? Meldels... tive até que colocar tarja preta para não dar rolo. Espero que tenham gostado! Se der, vou fazer mais png’s. 




Só mais uma coisa: quem não gosta das histórias do Emerson e quer ficar sem ler até chegar as da Petra ou do Cassaro, sorry, mas vocês não sabem o que estão perdendo. E gente, pelamordedeus, relaxa! Já pensou se eu resolvesse ter um ataque de birra e parar de ler as histórias da Petra ou do Cassaro e dizer que só quero as do Emerson? Ia ficar vários meses sem ler a TMJ!
 
Mas não, eu aprecio todos os roteiristas, cada um com seu estilo. Não vou ficar de birrinha com um ou outro só porque não gosto de algumas coisas das histórias deles. Se eu fosse ficar de pirraça com as histórias da Petra por causa das mancadas do Cebola (que me irritavam muito), teria parado de ler por vários meses a fio. Mas não, eu li e apreciei cada uma de um jeito, mas apreciei. Então que tal relaxarmos um pouco e tentar viver a vida mais leve? Fica a dica.

19 comentários:

  1. gostei! sua opinião não é que nem da outras pessoas. ela é mais esclarecida, com mais detalhes e tals....Adorei

    ResponderExcluir
  2. Como diz o Emerson, “melior review”! o/

    ResponderExcluir
  3. Isso sim é uma crítica muito boa! Parabéns Mally, não deixou passar nenhum detalhe.

    ResponderExcluir
  4. Arrasando nas críticas como sempre Mally. Eu particularmente amei a história, as referencias e a atuação de todos. Também achei a participação do Ze Lele super válida...
    Sou Cebonica, e ameiiiii a atuação do DC, além de ele e a Mo estarem super fofos juntos, exploraram super bem o personagem, ele se mostrou corajoso e cheio de atitude... E sim ele estava lindooo... Agora o Chicooo... Nuss sem comentários hahaha
    Chorei de rir com o Zeca rolando barranco abaixo, ri muito com o humor em volta da Denise.
    Muita treta esta por vir, achei a edição ótima...

    ResponderExcluir
  5. A cena q eu mais gostei foi qdo a monica disse : To morta na pacoca kk Bom acho q o Emerson se preocupou tanto em fzer uma historia espetacular q ela acabou ficando chata! N gostei teve horas q eu ate fikei cm preguica de ler mas o pior foi o fim! N fikei cm aquele gosinho de qero mais mais nem estou ansioso pela 84! Outra coisa: qria q o emerson parasse de colocar macho sem camisa nas historias parece obssessao! Fora q o chico n eh dakele jeito nas CBM ele parece um jovem comum q nao se importa cm os "esteriotipos esteticos ditados pela sociedade" dsnecessario coloca uma folha inteira cm ele pelado... Bom tenho certeza q o zeca ainda vai dar um selinho na denise sla coisas desse naipe sempre ocorrem nos enredos do Emerson a tal "emocao do momento cmo diz a prfta denise" escreve o q eu to t flando! Outra coisa q eu ODEIO no Emerson eh qdo ta numa cena de suspense e ele recheia o quadrinho cm akele DOOM cara eh ridiculo akilo dstroi o clima #semsal... Bom srta Pepper espero q responda meu comentario eh isso..

    ResponderExcluir
  6. No hora que eu vi aquele drone do franja so me lembrei : TMJ #79
    E a parte do zeca rolando o barranco foi muito(MUITO) engraçada!!!
    O ermesom abreu è doido mas, se garante nos roteiros

    ResponderExcluir
  7. Não precisava ter colocado a tarja preta, ele é homem :P

    Ah, sobre esse negócio das pessoas ficarem com birra do Emerson: vi um post em que a menina arrancou as páginas da edição porque ficou com muita raiva do Do Contra e das histórias do Emerson, e disse que a esperança dos Cebônicos estava acabada. Tem cada sujeito que só vendo, umas meninas até queriam que a Mônica terminasse com o DC, mas quando ela voltasse pro Cebola, ele não aceitasse ela! Não acredito que tem alguém que pensa assim!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc esta coberta e transbordante de razao!!!

      Excluir
    2. Mas ele estava um tanto sensual e os pais de alguns leitores poderiam achar ruim. E eu tb lembro desse caso da garota que rasgou a revista e pensei que foi uma grande falta de respeito com o trabalho do Emerson e tb com os pais dela, que deram o dinheiro pra comprar a revista. Mas a gente dá um desconto pq ainda é criança. Terrível é um adulto ficar dando ataque de birra por causa das histórias dele.

      Excluir
    3. Se bem que se dependesse do Emerson,a Monica iria acabar mesmo com o do contra,já que ele deu mais um milhão de amostras de ser muito fã do personagem.

      Quanto ao caso da garota que rasgou a revista,bem não sei o que dizer. Mas é criança então passa,fica só o azar dos pais por terem gastado oito reais a toa.

      Eu como todos sabem,não gosto das histórias do Emerson e do dc(da tmj,o da turma clássica,eu adoro),mas nem por isso vou ficar gastando grana só pra rasgar as edições dele. Simplesmente não compro é muito menos dou uma olhada nas revistas. Simples.

      Excluir
  8. Como sempre, suas críticas estão espetaculares e bem detalhadas, parabéns!!! A propósito, quando vc vai postar os palpites para a TMJ #84 e as críticas de CBM #22?

    ResponderExcluir
  9. Pelo visto fiz muito bem em não ler essa edição e farei muito bem novamente em não ler a edição 84.

    ResponderExcluir
  10. É cada um que faça aquilo que achar melhor quando as edições da TMJ.

    Se elas quiserem não ler as edições do Emerson e esperar pelas da Petra e do Cassaro e vice-versa,direito delas,mesmo que isso pra alguns possa parecer birra.

    Eu por exemplo,já li as edições do Emerson e não gostei,e como sei a linha dele,me reservo no direito de não ler elas e esperar pelas edições da Petra e do Cassaro cuja linha são de minha predileção.

    Alguns podem não gostar disso,é achar que é birra ou infantilidade mas é a minha escolha e ninguém é obrigado a concordar ou não nisso. Cada um que faça a escolha que lhe for a mais apropriada. Afinal estamos em um regime democrático,não?

    ResponderExcluir
  11. "Acho que se passar um tempo suficientemente grande, tipo milhões de anos como fala na história, é possível que quaisquer traços de civilização se apaguem e ninguém veja nada. Claro que são apenas hipóteses e teorias que não podemos confirmar. Mas não vejo nada de impossível nisso"

    Eu vi um documentário sobre o que aconteceria se a raça humana sumi-se do mapa , e falaram que a natureza tomaria conta de tudo e em 200 anos , não teria NENHUM vestigio humano ! imagina durante milhões de anos ! enfim adorei a história , foi bem equilibrado e os personagens tiveram bons pontos , até o Zé Lele , não sabia que a Denise era tão fissurada por ouro , mas normal nos padrões superficias e materialista dela , e ela desdenhando muito do Zecão ... "quem desdenha ... "
    O DC foi ponto forte mostrou as habilidades , até mais que a Mônica , acho que ela ficou devendo em força ...
    o Franja realmente foi bem util afinal ele é o cientista ...
    e um questionamento : será que como os habitantes do Tomba foram mais antigos , seria o caso do Cascão ser descendente deles ? e até mesmo o Capitão Feio , ja que é tio dele , poderia justificar os poderes e o futuro do Cascão ...
    no mais adorei a critica , e adoro as sagas do Emerson tambem , ele é bom no que faz

    ResponderExcluir
  12. Parabéns sua opinião foi otima e me esclareceu algumas questões que me deixavam na dúvida.... Mas ainda sim tenho duvida do por que da Marina não ter aparecido já que ela é a namorada do Franja.... E acho que o DC conseguiu entender a lígua dos aliens porque foi ele que inventou o docontres falar de tras para frente quando era criança...

    ResponderExcluir
  13. Só pra saber: mais alguém percebeu a(s) referência(s), além de "A Divina Comédia" de Dante Alighieri, também a H.P. Lovecraft?
    Especificamente, a entidade da página 99 identifica-se como "Shub-Sogoth". No mythos de Cthulhu, há dois Great Old Ones semi-homônimos, Yog-Sothoth e Shub-Niggurath.
    https://en.wikipedia.org/wiki/Yog-Sothoth & https://en.wikipedia.org/wiki/Shub-Niggurath

    ResponderExcluir