Assuntos que faltam na TMJ ~ TMJ do meu jeitoTMJ do Meu Jeito

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Assuntos que faltam na TMJ

Um texto muito bom que peguei na página Feminismo sem Demagogia, no facebook. Às vezes acho que a TMJ vive excessivamente no mundo da fantasia e ignora os problemas reais. Eu sei que por ser uma revista para crianças, não é possível abordar esses problemas de forma completa e profunda. Tem que se adequar a idade de quem está lendo para que todos compreendam.

Mas a meu ver eles pecam por não tratarem desses assuntos de forma alguma, nem mesmo de leve. Para falar de ecologia eles são ótimos, não vou negar. Mas acho que falta abordar outros assuntos também. Aliás, acho até que a TMJ regrediu um pouco em relação a TM. Pelo menos nos gibis eles falavam sobre síndrome de down, autismo, personagens como Luca e Dorinha apareciam mais... 

Por que eles não tentam fazer histórias que se aproximam mais do leitor? Será que uma criança quer mesmo um mundo perfeito de fantasias ou um personagem com quem pode se identificar?

Eis o texto:

O que significa quando as crianças não estão autorizadas a saber sobre coisas ruins ?

Há uma variedade de assuntos que as crianças são muitas vezes consideradas jovens demais para saber. Por exemplo:

Estupro
Violência
Racismo
Sexismo

O problema é que considerá-las jovens demais para lidar com assuntos que são tidos como "coisas ruins" as impede de compreender o que acontece com outras crianças.

A regra de que as crianças devem ser protegidas dessas coisas tem alguns efeitos muito negativos sobre as crianças que são mais vulneráveis.

Crianças que foram abusadas, passam a ser consideradas, pelos adultos, perigosas para outras crianças se em algum momento falarem sobre isso. Seus colegas não devem saber sobre isso, então eles deveriam simplesmente nunca falar sobre isso, nunca. Isso cria muita vergonha, e viver com esse tipo de vergonha torna ainda mais difícil a vida e a denuncia de abuso por parte das crianças vitimadas. Elas recebem a mensagem esmagadora de todos que as crianças não estão autorizadas a falar sobre estas coisas. Isso faz com que seja difícil dizer aos adultos o que está acontecendo, especialmente se eles não sabem muito bem as palavras certas. Se elas tentarem dizer indiretamente, elas podem até serem silenciadas e ouvirem que ainda é muito jovem para estar pensando neste tipo de coisa.

Crianças negras são muitas vezes obrigadas a aturar racismo ao invés de termos as crianças brancas descobrindo sobre racismo. Porque eles têm idade suficiente para ter que lidar com o racismo, mas seus pares brancos não são considerados com idade suficiente para ouvir falar sobre isso.

Há também os pais que não querem que seus filhos brinquem com as crianças deficientes, porque eles acham que seus filhos são jovens demais para saber sobre deficiências ou doenças graves...

Prevenir crianças de pensar em coisas ruins causa dor a todos os tipos de crianças, todos os tipos de crianças particularmente vulneráveis.

O Bullying torna se apenas uma "brincadeira" quando as crianças não são minimante conscientizadas das diferenças e apoiadas a conviver e respeitá-las.

26 comentários:

  1. Felicidade!!!Estou no top 10 comentaristas!!!E acho que voce tem razão Mallagueta, a tmj devia evoluir nem que fossem discretos a falarem destes assuntos, senão as crianças não caem na real e pensam que a vida é um arco-iris com borboletas e purpurina

    ResponderExcluir
  2. Concordo com você Mallagueta. É possível (e importante) comentar sobre esses assuntos de uma forma acessível às crianças. Um assunto que eu gostaria de ver é o homossexualismo. Até na Luluzinha Teen já tem um casal gay.
    Lembro-me de que antes da revista ser lançada, o Maurício falava que gostaria de tratar de assuntos como drogas e sexo, e até agora o máximo que eu vi foi álcool na festa de 15 anos da Marina, fora aqueles folhetos informativos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eles tem medo de tratar desses assuntos e perder as vendas das revistas. Por isso ficam cheios de dedos.

      Excluir
  3. Por que não temos um Gay ou Lésbica na revista?
    Por exemplo uma criança Gay, não quer se assumir,pois para elas Gays é uma coisa errada. Algumas famílias e religiões falam muito mal de Gays, então o parente Gay se esconde...
    Vcs já viram as piadas que fazem de gays? Tiramos pela novela "Amor a Vida", Felix sempre com aquelas piadinhas, tipo no capítulo de ontem, vcs viram a roupa que colocaram ele para vende Hot Dog...
    Pelo menos na novela mostra a dificuldades de um casal Gay para adotar uma criança e tal... Mas tenho certeza que só colocaram eles para dar uma abaixada em que eles não tem nada contra Gays... Mas fico muito triste em saber que o escritor está zoando ele mesmo,já que ele também é Gay...
    Na CBM ainda acredito que podemos ter esses assuntos, "POLÊMICOS" para alguns e para mim "NECESSÁRIO"...
    Creio que na CBM,poderá tratar disso, pq algumas "CRIANÇAS", que para mim já tem idades suficiente para encarar alguns assuntos,mas a CBM,tem mais tema jovem e realidade, acho que a maioria das crianças podem não se interessar, por não ter muito mundo "MAGICO"...
    Li CBM 3, sério acho que o primo do Chico pode se encaixar direitinho para um personagem Gay... Nada contra os Gays,mas seria muito legal algum personagem que a maioria conhece ser gay...poque acho que não precisa trazer um personagem novo para a revista...
    Concorda Mallagueta?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas o Zeca mesmo não disse que ele chamou o Chico só pra impressionar garotas? Então como ele pode se encaixar num personagem gay? o.O

      Excluir
    2. O assunto da homossexualidade é um tabu porque poucos se dispõe a falar dele de forma séria. Ou é com preconceito e ódio, ou é sob a forma de piadinhas.

      Agora, pegar um personagem existente e colocá-lo como gay pode ser meio complicado. Talvez o melhor seja fazer como na LT, onde eles colocaram um personagem novo e o resultado ficou bom.

      No caso do Chico moço, que ainda tem poucos personagens, não há problemas em colocar um que seja novo. Ele está em outro ambiente, então é normal que conheça pessoas novas. É aí que eles poderiam aproveitar pra colocar um personagem homossexual. Mas vamos ficar só na vontade porque a MSP tem medo de não vender revistas e pelo visto é só o que importa pra eles.

      Excluir
    3. Pedro ele poderia apenas fazer aquilo para surprender o pais deles, ou as vezes para não ser motivo de chacota...Mallagueta também concordo com vc mas um personagem do clássico seria uma opção bem interessante ;)

      Excluir
    4. Então no caso da TMJ, poderia ser um que ainda não reapareceu, como o Humberto.

      Excluir
    5. Mallgueta a petra disse no ask que ele vai aparecer!!!!!
      Olha no blog do meu amigo:http://tmjnainternet.blogspot.com.br/2013/12/tmj-65-novidades.html

      Excluir
    6. Na Tina tem um personagem gay - o Caio. Ele estuda Jornalismo junto com ela e já apareceu em algumas edições, principalmente na 4.

      Excluir
    7. Quer dizer, não é explícito que ele é gay, mas a gente sabe e qualquer edição eles devem abordar isso. :D

      Excluir
  4. Não acho que são temas que faltam na tmj , acho que são temas que não se encaixam na tmj.Dimensões Mágicas, aventuras cósmicas , monstros psíquicos , Bruxas ,fantasmas , casas mal assombradas ,tudo isso ,faz parte do estilo da tmj e é isso que dá a graça pra revista. Você pode procurar o quanto quiser , mas nunca vai enco trar histórias tão legais (e loucas) como as da tmj.Sem falar que, temas como esses já são muito abordados nas revistas , TV , nas escolas (Quem disser que nunca foi a uma palestra na escola ,sobre drogas ,consciência negra e tals ,tá mentindo!!).E também ,chega uma hora que fica chato , todo lugar que você vai tem alguma mensaguem tipo , Não use drogas , A vida é melhor sem drogas e etc.Mas enfim ,é o que eu acho!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sobre não achar histórias tão legais quanto as da TMJ... acho que isso depende do gosto de cada um. Mas voltando ao assunto, a TMJ já está abordando assuntos como bullying, anorexia e questões ambientais. Logo, isso também faz parte da revista.

      Quanto as aventuras cosmicas, nem isso a gente está tendo mais. Só no mes que vem é que vai rolar uma história desse genero. Devem ter percebido que tá todo mundo de saco cheio de tanto mimimi de adolescente.

      Pode me chamar de mentirosa se quiser, mas eu nunca fui a uma palestra sobre consciencia negra na escola. Sobre droga já falaram algumas coisas, mas racismo, estupro, etc. nunca. Educação sexual só tivemos o básico.

      A TMJ é uma revista pros jovens, então tem que abordar assuntos dos jovens de forma um pouco mais realista e menos fantasiosa, como se todos vivessem em bolhas cor-de-rosa.

      Na lulu teen já tem um personagem homossexual assumido, com namorado e tudo. Por que na TMJ não pode nem mesmo tocar nesse assunto?

      Excluir
    2. A TMJ não não é uma revista só pra jovens , então por isso eles tem cuidado com esses assuntos , pra não tratar de forma indelicada ou essas baboseiras de politicamente correto,E é como vc mesma disse , nem essas aventuras que antes tinham nas revistas estamos tendo . De veeeeeez em quando aparece uma ou outra , não ésse mundo cor-de-rosa que vem falando que é . As histórias de agora estão , mais focadas no dia a dia dos personagens. E também malagueta , não vamos confundir as revistas !!Lulu teen é lulu teen, tmj é tmj , cada um é um só. Mas o fato de não terem personagens gays , bom , talvez não seja o momento , ou simplesmente os roteiristas não querem colocar 9 ou se esqueceram de fazer isso . Mas talvez tenha dedo do maurício nisso aí. Mas enfim, minha opinião. Cada um com a sua.

      Excluir
    3. Sei que TMJ e LT são revistas separadas, mas eu cito a LT pra mostrar que é possível colocar um personagem gay sem que isso exploda todo o universo. Os roteiristas não colocam por conservadorismo do proprio Mauricio mesmo. Não creio que todo esse cuidado seja apenas medo do que a sociedade vai pensar. As pessoas até esperneiam no início, mas com o tempo aprendem a aceitar. Com a Denise foi assim. No começo, ela era chamada até de mini p***. Hoje tem uma legião de fãs.

      Tudo bem ter cuidado ao abordar determinado assunto, já que tem crianças lendo as revistas. Mas eles não estão abordando de jeito nenhum.

      Excluir
  5. Bom, há algumas histórias em quadrinhos e mangás cujo objetivo é mais fazer a pessoa esquecer um pouco dos problemas da vida e descontrair, se desligar um pouco.
    Mas como na TMJ já foram tratados vários assuntos sérios não vejo problema em tratar desses que você falou.
    Vários mangás também tratam sobre ética e valores sem deixar a coisa chata e infantil, eles poderiam tentar.
    Eu acho preconceito algo ridículo, é reprimir uma pessoa de ser ela mesma. O mundo está tão acostumado com mentiras que agora não sabem distinguir sinceridade de arrogância.
    E é impressão minha ou o Humberto nunca apareceu na TMJ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com vc. Não precisa abordar assunto sérios o tempo inteiro, mas a TMJ poderia ser um instrumento muito valioso pra conscientizar os jovens se fosse bem usado.

      Excluir
  6. Eles podem falar destes assuntos na tmj, mas se a MSP quer ser conservadora que eles falem de uma forma cuidadosa, porque até a turminha parece é mais realista do que a tmj

    ResponderExcluir
  7. Poderiam criar uma história em que a Mônica faz sexo com o cebola e ela resolve filmar, aí roubam o celular dela é colocam as fotos na internet. É um tema atual e também sairia das mesmice de adolescentes que não bebem e não fazem sexo...

    ResponderExcluir
  8. Não considero sexo como se fosse um tabu, hoje em dia é difcil ver uma menina com 14 a 16 anos que nunca tenha feito sexo; Não entendo porque ter vergonha disso.

    ResponderExcluir
  9. Poderiam também criar um personagem ateu, ou algum travesti e mostrar como essas pessoas sofrem preconceito na atualidade. Alguém envolvido com drogas ou com a bandidagem, sei lá... A revista poderia sair dessa linha de malhação e seguir uma linha mais velha. Afinal a novela da globo e os filmes fazem o mesmo e não vejo essa preocupação com as crianças.

    ResponderExcluir
  10. Poderia colocar também uma garota que fosse um pouco mais liberal e namorasse ou fizesse sexo com vários garotos sem ser tachada de "vagabunda", odiei a revista 54 onde retratou a Amanda de forma Machista, como só porque ela gostava de dar em cima de vários garotos era vazia e etc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas se fosse assim, a MSP teria de aumentar a classificação etária da revista, perderiam muitos fãs e seria uma polêmica das grandes.Eles podem falar destes assuntos com cuidado para que todos possam ler a revista a vontade.

      Excluir
  11. Vou contar um lance que aconteceu com uma prima minha, que foi professora e diretora de uma escola de ensino básico na periferia de São Paulo.
    Havia duas classes de sexta série e aí chegou o dia para a aula sobre sexo (eu diria biologia de reprodução humana...). Logo de cara já deu zebra: a outra professora chegou para ela dizendo:
    _ Eu sou evangélica! Uma serva do Senhor! Não posso ficar falando dessas coisas obscenas! Recuso-me a dar essa aula!
    Bem, a minha prima analisou a situação: ambas as aulas iam ser no mesmo horário e assim ela podia juntar as duas classes. Com essa reação da professora tão cristã, minha prima achou mais prudente mandar uma carta aos pais dos alunos, falando da aula, da ementa e dos temas que poderiam ser discutidos. Se algum deles não concordasse que os filhos assistissem à aula, então deveriam avisar e os alunos teriam a presença anotada e deixariam a sala. A maioria dos pais respondeu que elogiava a aula e a temática. No dia da aula, seis alunas foram chamadas, tiveram suas presenças registradas e saíram: seus pais, testemunhas de jeová, não aceitavam que elas tivessem uma aula sobre obscenidades...

    Acho que é de gente como essa que a Panini tem medo...

    ResponderExcluir