Nostalgia: Ed. 15 - Monstros do ID parte 1 ~ TMJ do meu jeitoTMJ do Meu Jeito

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Nostalgia: Ed. 15 - Monstros do ID parte 1






Título: Monstros do ID – Parte 1

Lançamento: Outubro de 2009

Roteiro: Maurício de Souza, Marina Takaeda e Souza e Marcelo Cassaro

Sinopse: Uma nova saga vai começar! Não é no espaço! Nem em dimensões mágicas! Desta vez o perigo nasce no lugar mais misterioso do universo - a mente humana. Quando os monstros internos das pessoas começam a atacar o mundo real, a galera precisa enfrentar seus próprios defeitos. E vão precisar da ajuda de um certo professor muito experiente em loucura...

Finalmente a tão prometida crítica da saga dos monstros do ID! Nessa primeira crítica, vou falar da Ed. 15, começo de uma das sagas preferidas dos fãs. Tanto que muitos até pedem pela volta desses monstros.

Ah, as grandes sagas, belas histórias... bons tempos...

A história começa mostrando um lugar não muito amigável, cheio de monstros horrorosos e é onde nasce todo o mal. Só que não fica em nenhum lugar físico e sim dentro de nós, no nosso inconsciente. Assustador, não? Sim, muito assustador. É por isso que a grande maioria evita se aventurar por essa parte da mente. Nem sempre há coisas agradáveis para se ver.

Todos nós temos ID, embora ele não tenha a forma de um monstro bizarro. Mas podem sim tomar conta das nossas vidas se não tivermos consciência disso. O ID é a parte mais primitiva da nossa personalidade, porque busca somente o prazer e evita qualquer coisa que seja diferente disso.

Essa parte de nós não conhece certo e errado, juízo ou lógica. Não segue nenhum valor ou moral. Busca apenas o prazer e a solução imediata para os problemas sem fazer nenhum planejamento ou reflexão. O ID é impulsivo, cego, irracional, antissocial e egoísta.

Muitos dizem que é nosso lado escuro e destrutivo, guarda nosso demônio interior e atração pelo mal. Assustador, não?

Nessa introdução, aparece o ID da Mônica, o Akanin. Ele ouve alguém lhe chamando e resolve emergir, interagir com o mundo dos humanos. Além dele, também aparece outro monstro que parece mais inteligente e ardiloso, pois tem consciência maior do que estava para acontecer.

Eles conseguiram dar um ar sombrio e desolado ao mundo dos IDs, embora fosse bom se tivesse um pouco mais de detalhes. Mas para o objetivo da revista, acho que serviu bem porque não pode ficar assustador demais por causa da classificação.

Essa edição tem como foco os defeitos da Mônica, seu temperamento impulsivo e tendência a resolver tudo na pancadaria. Em contraste, vemos uma Magali controlada, sensata, inteligente e a beira da perfeição que lhe aconselha a ter cuidado com seus impulsos e não acreditar em tudo o que vê na internet.

Isso foi porque a Mônica viu postagens desaforadas do Cebola em sua comunidade do Yogurt (referencia ao moribundo Orkut) e pretendia dar uns petelecos nele como fazia antigamente.

Então ela entende que não pode mais resolver as coisas com o punho, pois cresceu e precisa mostrar amadurecimento.

Só que as coisas não parecem muito boas para o Cebola, que foi obrigado a segurar uma placa dizendo que pagava pau para a Mônica. Aparentemente, ele estava sendo ameaçado por ela, mas ainda assim não quis falar nada para ninguém para protegê-la. Sim, pessoal... essa edição foi de um tempo em que ele ainda era legal apesar de tudo. Pena que regrediu tanto...

Voltando ao assunto, apesar do que o Cascão disse, ele ainda preferiu não fazer nada porque tinha medo que Mônica revelasse seus segredos. Nessa hora também aparece o Licurgo, o antigo louco dos gibis que sempre pegava no pé do Cebolinha. Ele deu a entender que estava em processo de terapia, mas ainda continuava aloprado como sempre.

Enquanto isso, todos estavam achando que a Mônica estava mesmo intimidando o Cebola e a coisa piora quando ela começa a achar que isso é um plano maluco dele, sendo que não era. Alguém estava aprontando com ele, mas ela é que levava a culpa.

O pior é que todos ficaram contra ela sem nem ao menos entender seu lado. Um tanto injusto, devo dizer. Quando ele aprontava, fazia planos, pichava muros com caricaturas dela, ninguém ia atrás dele para dar bronca. Mas quando ela supostamente aprontou, aí todo mundo quis dar uma de justiceiro.

Isso, claro, causou sofrimento não só entre ela e Cebola, como no resto da turma também pois todos acharam essa atitude muito cruel. A partir daí, ela começa a ser confrontada pelo seu lado ruim, porque de certa forma, sentia como se tivesse feito aquelas coisas com o Cebola apesar de conscientemente saber que não tinha feito nada. Bom, uma parte dela tinha feito. Nossos ID’s fazem parte do nosso inconsciente e além de guardar nossos instintos básicos, também guardam desejos reprimidos e/ou inconscientes.

A nível consciente, Mônica não quis bater no Cebola por causa daquelas mensagens porque não queria mais agir daquela forma. Mas a nível inconsciente, queria sim dar uma boa lição nele. O Akanin é essa parte ruim dela que se manifestou no mundo físico.

Para algo tão psicológico assim, ninguém melhor que o Licurgo para ajudar. Então ele aparece e impede que Mônica saia no tapa com o seu ID, mas Akanin resolve ir atrás de quem estava lhe irritando nos últimos dias: Cebola. Para evitar um desastre, ela precisa criar coragem para domar seu monstro interior.

O ID dela se mostrou bem impressionante, pois tinha capacidade para ficar enorme e ainda soltava uns bichos doidos que perseguiam as pessoas. De certa forma, combinou com ela: exagerado, dramático, grande, forte e de personalidade agressiva. Um monstro bem poderoso para uma personagem poderosa. Não podia ficar por menos.

Ao tentar enfrentá-lo, ela acaba sendo aprisionada por ele e no início tem dificuldades, pois ele tenta dominá-la pela intimidação.
Em determinado momento, Akanin fala que é ele quem define a pessoa que a Mônica é. Nessa parte, ele diz que seus defeitos são a identidade dela e sem eles, quem ela seria?
Freqüentemente caímos nesse erro de achar que essa parte de nós é nossa verdadeira identidade, sendo que é só uma parte que precisa ser colocada sob controle.

Como foi falado na história, o ID é mais forte na criança porque até certa idade, ela vê a si mesma como o centro do mundo. Ela não faz distinção entre ela e os outros e por isso acha que tudo gira ao seu redor. Por isso uma criança muito nova não entende a necessidade do adulto de dormir, quando ela mesma está acordada. Ela parte do pressuposto de que o resto do mundo existe porque ela existe.

Com o tempo isso muda a medida que vamos crescendo que tomando consciência de que as pessoas e o mundo existem independente de nós. Só que isso leva anos. E pelo que tenho visto por aí, nunca chega a acontecer porque muita gente age como se tudo girasse ao redor do seu umbigo. Essas pessoas certamente não domaram seus ID’s.

Mas em geral, as crianças vão domando seu ID a medida que crescem, como é o caso da Mônica. Claro que esse ID não é suprimido totalmente, mas pelo menos é colocado sob controle a maior parte do tempo. Quando isso não acontece, costuma ser um desastre.

Apesar do que Akanin falou, ela sabia que ele não era sua identidade, por isso foi capaz de vencê-lo. Apesar de admitir seus defeitos, ela sabia que também tinha qualidades e era uma boa pessoa, caso contrário não teria nenhum amigo. Mas ela tem vários amigos apesar do seu gênio ruim.

Foi assim que ela conseguiu vencer, tomando consciência de si mesma e não aceitando que o ID fosse sua identidade.

Agora, confesso que foram um pouco injustos com ela ao falar dos seus defeitos. Quer dizer, ela foi colocada como uma pessoa tirânica e valentona que saía dando coelhadas em todo mundo para ser obedecida e não é exatamente isso que vemos nos gibis. Claro que ela é assim às vezes, mas geralmente ela só bate quando se sente provocada ou quando os moleques aprontam. Tanto que ela só bate neles, não nas outras meninas. Pelo menos não de propósito.

Mas na TMJ ela é desenhada como uma valentona tipo o Tonhão da rua de baixo, que só sabia intimidar os outros para ter tudo do seu jeito. Não há defesa para ela, nenhuma explicação para seus atos. É com isso que eu não concordo.

Pelo menos tudo terminou bem nessa história, por enquanto já que no fim vemos a aparição de outro ID, o do Cebola. E esse parece ser mais perigoso do que o Akanin, porque é mentiroso e manipulador.

Uma coisa diferente que teve nessa edição foram as páginas coloridas, com os ID's sendo mostrados em cores vermelho e azul assim como os balões das suas falas. Teve gente que não gostou porque acham que mangá TEM QUE ser preto e branco. Já eu não sou tão rígida com essas regras e achei bastante legal. Por mim seria tudo colorido, mas colorir alguns detalhes para ressaltar também fica bom.

Mas esse vai ficar para outra crítica porque essa já ficou enorme. Espero que tenham gostado apesar da aula chata de psicologia. Aqui tem um desenho do Akanin. Tem png e quebra-cabeça.


17 comentários:

  1. Nossa,tava esperando á um tempão essa critica,depois dos monstros do ID VC podia fazer a critica do aniversario da marina que é muito boa


    Queria mas sagas assim cheias de mistério,aventura e etc.. Mas a maioria dos fãs da TMJ gostam dessas historias chatas do dia-a-dia,fazer o q né :'(

    ResponderExcluir
  2. Quando terminei de ler sua critica me veio a ideia de uma sequência: Certo dia o monstro ID do Licurgo consegue fugir, logo depois ele cria uma forma de fazer todos os monstros possuírem os corpos de todas as pessoas, mas a Turma acaba não sendo afetada por que seus monstros estão presos em cartas, quando fica sabendo disso o líder ID ordena que todos os possuídos capturem os quatro pra ele. Assim além da Turma ter que fugir de todo mundo ainda precisam achar um jeito de fazer as coisas voltarem ao normal.

    ResponderExcluir
  3. Que bom você estar fazendo crítica de edições antigas o que é muito legal, e concordo sobre colocarem a Mônica como ditadora e tirana, ela não é assim, nunca foi.

    ResponderExcluir
  4. Sinto muita falta das antigas aventuras da turma. Essa edição é uma das q eu mais gosto.

    ResponderExcluir
  5. Acho que se tivesse uma edição como essas hoje em dia eu daria piruetas no ar.

    ResponderExcluir
  6. O título está escrito errado! Está "MonsRtros do ID"

    ResponderExcluir
  7. Fiz uma pequena montagem da parte final dessa saga. o que acha? https://fbcdn-sphotos-h-a.akamaihd.net/hphotos-ak-frc3/t1.0-9/10364217_251553055046960_3772695654606415150_n.jpg

    ResponderExcluir
  8. Monstros do ID são um dos meu favoritos! Sério, sinto falta da época que o Cebola respeitava a Mônica, afe, por que tinham de muda-lo, o antigo estava beeem melhor!
    Como você disse, o ID da Mônica é bem ela, forte e tals.
    Bom, uma outra saga que eu adoro é "o caderno do riso", não sei se você gosta, mais não podia deixar de pedir, vai que rola? Se gostar da ideia, manda a crítica...

    ResponderExcluir
  9. Concordo com você, mallagueta, é Com Os Comentarios A Cima A Tmj Tinha Sagas Tão Legais é Agora (sem Quere Ofende) A Cada Mês Ta Pior Tipo A Desse Mês, a Msp Ta Me Decepicionando Muito nessas Ultimas Edicões Mas Falando Sobre A Critica Mostros Do ID Foi A Primeira Saga Que Eu Lie (a Primeira Edicão Que lie Foi A 34 Foi quando Começei A Ler Tmj) é Uma De Minhas Favoritas, Nesse Tempo O Cebola era Bem legal Com A Mônica Pena Que a Patir Da #34 Trasformaram Ele Num Vilão... Ah Também Não Gosto Do Jeito Que Retratam A Mônica Mas Fazer Oque né?
    Adorei o Seu Desnho Da Akanin Ficou Bem Legal... ah Eu Queria Saber Se Oque Dizem é Verdade Na Edição #71 o Cebola Vai Proculra Um Novo Amor Ou Sei La Oque... espero Que Seja Verdade Assim Veremos como O Puplico Vai Reagir

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sim. Ô amor dele pela Mônica é tão verdadeiro, tão profundo, tão sincero que ele vai tentar esquecê-la se jogando pra cima da primeira garota bonitinha que aparecer.

      Excluir
    2. Oque você Falou Ta Certo Mallagueta, Mas é engraçado Como Você Defendeu A Mônica Na Edição Anterio é Ta Detonando O Cebola Nessa Ate Porque Direitos iguais Certo?
      Ah Agora Eu Me Lembrei Que Você postou Uma Vez Que A MSP é Machista Então você é Oque Feminista... Desculpa Mas Eu Só Falor A Verdade Termos Que Ver O Lado Dele Nessa Historia, Alem Do Da Mônica.
      Na Minha Opinião Eu Faria O Mesmo A Mônica Ñ Ta Feliz Com O Dc, Então ele Tem O Direito De Se Feliz Também. No Meu Comentario Ai Em Cima Falei Que Retratam A Mônica Como Uma Valentona Concordando Com Você, Mas Ninguem Falar Como Eles Mostram O Cebola um Egoista ambicioso, Sim Ele É Assim Mesmo Mas As caracteristicas Boas Deles Que Eu Via Muito Na TM Faz Um Tempo que não Vejo

      Excluir
    3. Todos já defendem o Cebola, rayane. Todos. É por isso que eu não me importo em defendê-lo. Ele já tem quem o defenda, mas a monica não. Por isso eu equilibro as coisas.

      E sim, sou feminista com muito orgulho. Lembre-se que é por causa do feminismo que vc tem direito de ir a escola, vai poder trabalhar no futuro, escolher com quem vai casar, quando e se quer ter filhos, ter direito a propriedade, etc. Se dependesse somente do nosso sistema machista, vc ainda seria uma cidadã de segunda classe propriedade do seu pai e posteriormente do marido.

      Não vou aqui fazer uma dissertação completa sobre o que é o feminismo, mas saiba que não é o oposto de machismo. Nós defendemos DIREITOS IGUAIS, não a supremacia sobre os homens. É diferente.

      E olha, em momento algum eu vi a Mônica triste e infeliz com o DC. Ela pode estar tendo probleminhas de adaptação, mas infeliz ela não está.

      Eles retratam a monica como uma valentona no passado, na infância. O Cebola é retratado como um egoista no presente, agora. Tem diferença aí.

      Agora, eu não sou de criticar o portuguesa de ninguém, mas o seu... digamos... prejudicou um pouco a compreensão do texto. Em várias partes, não consegui entender o que vc quis falar.

      Excluir
    4. Tudo bem não falo mais nada, sinceramente, achei que você fosse diferente, mas acho que me enganei parti pra ortografia imoral né não?
      Vou lhe contar uma historia, Minha amiga estava junto comigo entrando em seu blog, enguanto eu falava no telefone ela via nossa conversa, quando derepente ela grita "nossa! A mallagueta falou do seu português ou melhor da sua portuguesa hahaha" não entedi nada, porem quando olhei não puder acredita eu havia ter defendido de alguns amigos a alguns dias é passei a te admira, mas essa admirição, Infelizmente, acabou! Sim eu adoro critica as pessoas é meu "jeito" mas oque você escreveu passou de uma critica é foi para algo pior...
      Ah sobre oque vc falou sobre o feminismo, vc como uma pessoa culta deveria ter notado do que se tratava; digamos que foi um modo de se expressa para um melhor entendimento do que eu retratava,(uma dupla expressão saca?). Eu sei oque é o feminismo e o qual tão ele é importante para nós mulheres.
      Ps: O outro comentário fiz as presas, pois tinha encontro marcado com minhas amigas, não o revisei nem lhe ajustei a minha escrita formal, talvez, porque estava sem tempo é sou muito oculpada, confesso que o erro foi meu. Ah você deveria ter revisado o comentário antes é apenas um aviso para você não erra como eu, espero que aprenda algo com oque lhe escrevo!

      Excluir
    5. Eu sou contra criticar o portugues como uma forma de desmerecer ou invalidar o que a pessoa escreveu, isso sim é golpe baixo e falta de argumentos. Só que em momento algum eu fiz isso. Apenas te falei da dificuldade que tive em entender partes do seu post e isso é verdade.

      Pergunte a qualquer leitor desse blog se alguma vez já critiquei o portugues deles. A resposta certamente será não, porque pra mim, o importante é o texto estar compreensível. Se consigo entender tudo, nem falo nada dos erros porque eu tb erro.

      Sobre o feminismo, do jeito que vc escreveu pareceu que vc o estava colocando como equivalente do machismo. Não tenho condições de saber o que vc pensa, só posso me basear no que vc escreve.

      Agora, não me parece muito maduro vc apelar desse jeito só porque eu fiz uma pequena observação sobre o seu portugues. Sinto muito, mas não foi pra tanto.

      Já me corrigiram muitas vezes ao longo da minha vida, muitas vezes de forma grosseira e eu procurei levar numa boa. Isso vai te acontecer tb ao longo da sua vida e se vc for reagir sempre desse jeito, então vai ter muitos problemas.

      Lembre-se de que só seus verdadeiros amigos te avisam quando sua cara está suja. Espero que vc tb aprenda alguma coisa com o que escrevo. Eu tb sou muito ocupada, porque além de trabalhar, tb estudo e tenho uma casa pra cuidar.

      Excluir