TMJ#81: Circo Macabro, fim do show - Críticas ~ TMJ do meu jeitoTMJ do Meu Jeito

sexta-feira, 15 de maio de 2015

TMJ#81: Circo Macabro, fim do show - Críticas




Quem aí já leu a ed. 81? Pois é, que saga não? E todo mundo estava esperando a conclusão da história porque muitas perguntas tinham que ser respondidas.

Sem querer ficar me vangloriando, parece que dessa vez minha taxa de acerto foi mais alta do que a média. Quem leu meus palpites já deve ter visto. Então não há exatamente muito que comentar.

Mas é claro que eu não posso deixar de comentar sobre a atuação da Magali, que precisou colocar ordem no barraco e acabar com os chilique do Cebola. Sim, mesmo depois de tudo, ele ainda achava que a vida da Mônica continuava girando ao redor do seu umbigo a ponto de querer fugir de casa só por causa dele. Foi meio tenso vê-la sendo tão dura, mas eu gostei bastante.

E parece que agora ela vai meio que ficar do lado dele, porque viu que ele se arrependeu de verdade e está tentando consertar tudo. Sem falar que por causa do rompimento deles, a amizade ficou comprometida e nesse ponto ela está certa: não pode acabar com uma amizade de muitos anos só por causa de um rolo que não deu certo.

A rotina da Mônica com o DC no circo foi bem mostrada e eu queria mesmo vê-los interagindo com os outros integrantes e até saber da história deles, o que foi legal de se mostrar.

Confesso que no início eu fiquei indignada por eles não terem mostrado sensibilidade e empatia com o sofrimento da Mônica, que tinha sido raptada, afastada dos amigos, família, escola, etc. e insistiam em mantê-la ali mesmo sabendo que ela não queria. Mas então, vendo como eles defendiam o Dante, comecei a achar que aquilo parecia síndrome de Estocolmo. O que é isso? A Wikipédia diz o seguinte:

“Síndrome de Estocolmo (Stockholmssyndromet em sueco) é o nome dado a um estado psicológico particular em que uma pessoa, submetida há um tempo prolongado de intimidação, passa a ter simpatia e até mesmo sentimento de amor ou amizade perante o seu agressor.”

Aí deu para entender o lado deles. Quer dizer, todos foram rejeitados e tiveram problemas para conviver com as pessoas. O Galileu, coitado, foi escorraçado para fora de casa com espingarda e tudo, já o Drakko foi vendido pelos próprios pais e nem tem liberdade para andar na rua sossegado. Cada um tem sua história triste e o circo era o único lugar onde podiam viver em segurança sem serem perseguidos ou hostilizados.

E o Dante sempre procurou lembrá-los disso, deixando bem claro que fora do circo eles não iam ter nenhuma chance. Isso não deixa de ser abuso psicológico e pelo chicote, dá para ver que rolou abuso físico também. Aliás, o Dante tem perfil típico de agressor. Tratava mal os artistas, praticava abuso físico e emocional e ainda agia como se tudo aquilo fosse para o bem deles.

Depois de tanto tempo sofrendo abuso, eles acabaram acreditando que o Dante era sua única esperança e ficaram dependentes dele a ponto de não conseguirem mais pensar com clareza. Quer dizer, o rapto da Mônica e do DC foi totalmente errado, mas dizem que a síndrome de Estocolmo meio que deixa a pessoa sem noção da realidade, elas não percebem que aquela situação é errada e em muitos casos acabam justificando as ações do agressor como se aquilo fosse normal. Em casos de violência doméstica vemos muito isso. Depois de um tempo, o pessoal do circo passou a ver as coisas de outra forma e isso explica eles não terem achado tão ruim e desastroso a Mônica ter deixado sua vida para trás. A Meduzza mesmo achava que isso era o melhor para ela, que no fim era uma coisa boa porque ali ela podia usar seus talentos sem que as pessoas ficassem com medo.

Afinal, eles gostavam de trabalhar no circo apesar de tudo, pois se viam como artistas. Tanto que até ficaram meio ofendidos quando a Mônica não perguntou por que eles não usavam seus talentos para assaltar bancos porque isso não faz parte da índole deles. E foi bacana ver como eles cuidavam uns dos outros, se importavam e se viam como família. A Mônica foi aceita entre eles com grande facilidade apesar do atrito inicial.

Outra coisa que merece destaque foi o diálogo do DC com o Drakko. Primeiro o lance do jornal foi hilário e até me pegou de surpresa porque eu também pensei que ele ia usar como banheiro, mas nessa hora vemos como ele é fofo, alegre e gentil. Acho que dos quatro é o que foi mais afetado pela tal síndrome porque via o Dante como uma pessoa boa, generosa, que deu abrigo a eles e por isso colaborava com ele de boa vontade.

O bom da conversa entre os dois foi o DC ver que ser normal não é necessariamente uma coisa ruim. Ele podia fazer coisas que para o Drakko eram quase impossíveis, mas seu desejo quase insano de ser diferente em tudo não lhe permitia enxergar isso. Quem sabe, depois dessa, ele não aprende a dar algum valor à normalidade?

O outro lado da moeda foi a Mônica perceber que diferente não quer dizer ruim e aprendeu a ver o pessoal do circo como pessoas e não monstros. Ela passou a simpatizar com eles e em alguns momentos até colaborou e ficou numa boa com tudo apesar de ainda querer escapar.

E o DC, como sempre, continuou meio sem noção. Aquele plano dele, meldels... cheguei a ficar com pena da criatura. Mas vá lá, o que conta é a intenção, eu acho. Nessa edição ele pode não ter feito tanta coisa quanto esperamos, mas teve boa participação e em certo ponto, foi essencial para avisar ao Cebola, Magali e Cascão que a Mônica estava no circo. Acho que sem isso, eles teriam deixado passar batido apesar das evidencias diante deles. Sem falar que pelo menos a aula de código Morse do Licurgo serviu para alguma coisa. E a Magali associando seus balões a salsichas foi bem a cara dela.

Sem falar que eu rachei de rir quando o DC foi obrigado a se vestir de palhaço. Para alguém como ele, que quer ser sempre original, aquele tratamento tão normal foi mesmo um chute no ego.

E por falar em chute, pobre Telepax... Levou um bem no meio da cara no fim do espetáculo bem violento. E ver como um espetáculo assim fez tanto sucesso não deixou de ser preocupante. Parece que as crianças de hoje só querem saber de luta, quebradeira e violência. Bom, pelo menos o Dante teve a inteligência de colocar uma máscara na Mônica, o que fez muito mais sentido.

Ainda assim eu esperava um pouquinho mais dos três no resgate da Mônica, mas acho que ficou bom do jeito que está. E também foi legal ver o Cebola trabalhando junto com o DC para resgatar a Mônica.

Mas é claro que a tentativa de fuga tinha que ter sido frustrada pelo Telepax, né? Senão qual graça a história ia ter? Pois é. Essa parte foi bastante tensa, especialmente porque o Dante queria matar os três para não deixarem nenhum vestígio. Nessa hora, eu achei que ele não foi nem um pouco inteligente.

Primeiro: eles podem ter avisado para alguém que iam ao circo. Seus pais não iam deixá-los sair sem saber para onde estavam indo. Será que não ia ficar muito estranho tantos jovens desaparecendo depois de falarem que iam ao circo do Dante? Pois é.

Segundo: ele poderia ter usado os três para chantagear a Mônica, pelo menos. Tipo, ela promete colaborar e ficar no circo para sempre em troca de deixar os amigos irem embora. Ela não ia recusar de jeito nenhum e seria capaz de manter a palavra apesar de tudo.

Terceiro: Tudo bem que foi uma decisão no calor do momento e por isso não dava para refletir muito, mas tentar fazer com que os três esquecessem dela não ia adiantar nada porque ela tem pais, parentes, amigos, professores, etc. Será que ele ia mandar apagar a memória de todo mundo também? E o que as pessoas iam pensar quando aqueles três aparecessem com aquela amnésia repentina?

Bem, acho que teria sido mais inteligente se o Telepax tivesse feito com eles o mesmo que fizeram com os policiais. Teria sido mais fácil. Depois, mais descansado, ele poderia fazer com que a Mônica esquecesse o passado. Teria sido mais fácil porque era uma pessoa só e ela não ia oferecer resistência como aconteceu com os amigos dela.

Só estou falando isso por falar mesmo, porque se o Dante tivesse feito assim, toda a história teria sido comprometida. Foi necessário ele ter forçado o Telepax ao máximo, o que causou sua morte. Aliás, bem diferente eles terem mostrado a morte de uma pessoa assim, de forma tão explícita. No caso da Sofia, como falei antes, foi num futuro que acabou sendo alterado. A do Telepax aconteceu bem na frente de todos, sem nenhum rodeio e de forma definitiva.

Triste, mas ao mesmo tempo deu um choque de realidade nos outros artistas e eles perceberam que no fim o Dante era um monstro egoísta que só importava consigo mesmo. Com isso, deixaram de colaborar, libertaram todo mundo e... bem... se entenderam com ele seja lá o que isso queira dizer. É bem capaz que eles tenham dado um jeito de matá-lo e acho que foi merecido. Assim puderam assumir o circo e usá-lo como espaço para outras pessoas como eles.

E o final foi feliz, ainda bem. Parece que dessa vez a Mônica e o Cebola fizeram as pazes e se acertaram como amigos. pode ser o primeiro passo da reconciliação deles, não sei. Tem que ser devagar, aos poucos para não parecer que um foi jogado para cima do outro sem mais, nem menos. Primeiro eles voltaram a ser amigos e pode ser que o Cebola comece a respeitar mais o espaço dela e não ficar pegando tanto no pé como fazia antes.

Apesar de ainda acreditar que os dois ficarão juntos no final, seria importante o Cebola passar um tempo sozinho para poder se reencontrar, se entender e colocar os pensamentos e sentimentos em ordem. Assim ele saberá se a ama de verdade ou se é só apego. Será um bom processo de amadurecimento para ele.

Quanto a Mônica e o DC, já imaginava que eles não iam terminar. Ver como o namorado se esforçou para avisar aos amigos e salvá-la deve ter feito com que ela o perdoasse e tudo ficou numa boa novamente. Melhor assim, eles terminarem por causa de um único deslize não ia ficar muito legal. O fim, se acontecer, deve acontecer naturalmente também. Com o tempo ambos podem perceber que não tem nada a ver um com o outro, o sentimento pode ir se transformando novamente em amizade e eles acabam terminando de forma amigável, sem brigas ou mágoas.

E pela primeira vez, vemos o DC com ciúme do Cebola. Será que isso vai render alguma treta no futuro? Como ele vai lidar com esse sentimento sem estar acostumado com ele? E será que ele vai ter mesmo razões para ficar com ciúmes? Mistéeeerio!

No geral, eu gostei da história e fiquei satisfeita com o final apesar de ter ficado com pena do pobre Telepax. Mas foi necessário, né... é o que chamam de perdas aceitáveis.

E tenho uma boa notícia: agora que já sei o final dessa história, poderei retornar a continuação de universo em desequilíbrio. Ainda bem que a Mônica não terminou com o DC, senão eu ia ter que mudar muitas coisas na história. A capa já está pronta, mas preciso terminar a história antes de começar a publicar. Vocês sabem, se eu publicar antes de acabar, pode acontecer de me dar aquelas crises de falta de criatividade e deixar tudo parado no meio. Então é melhor esperar mais um pouquinho e ser capaz de dar uma história completa a vocês.


Não deixem de conferir o vídeo do Canal Opinião Turma da Mônica Jovem:

25 comentários:

  1. Muito boa a critica, concordo! Ah ressalto aquela parte que o Telepax tentou apagar a Monica da memória deles, e o Cebola lembra dos momentos com ela, e coloca seu sentimento pra fora, bloqueando a possibilidade de apaga-la da sua mente, eu chorei largada emocionada. Gostei mtoooo da história, e do desfecho. Como sempre digo sou Cebonica, mais também acho que o Cebola precisa se reencontrar, colocar seus pensamentos em ordem, e amadurecer. ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tb achei fofo todos resistindo contra o Telepax, apesar de isso ter custado a vida dele. E tb gostei do desfecho, que foi muito bom.

      Excluir
  2. Alguém sabe onde posso ler a revista online?? Nao acho em lugar algum...

    ResponderExcluir
  3. So queria saber como foi a Monica reencontrando os pais .. Fora isso, a saga foi ótima 😄

    ResponderExcluir
  4. Para falar a verdade, eu gostei bastante dessa saga. A Magali está se impondo mais e sendo mais durona, o que talvez possa afetar a personalidade dela no futuro... Quem sabe?
    E gostei da amizade da Mônica e do Cebola ter voltado ao "normal".
    DC descobrindo o sentimento do ciúmes foi sensacional... E a cara do coitado quando Cebola e Mô se abraçaram? Só faltava se beijarem na frente dele.
    P.S: Cascão merecia uma participação maior.
    E aí Mally? Concorda?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece que estão tentando rebaixar o Cascão a personagem secundário. Só mesmo o Emerson pra dar algum destaque pra ele no futuro, porque pelo visto nós ainda vamos ter que engolir muita história com Mônica-DC-Cebola.

      Excluir
    2. Lembrando lá a história do vulcão do Cascão, a Marina o fez entender a coisa: faça o que quer fazer e tenha em mente que alguém sempre não vai gostar, mas não e por isso que devemos deixar de fazer.
      As coisas são meio io-io: tem época em que um personagem aparece mais e noutras aparece menos. O Cascão também teve os seus momentos, mas exigir que se faça uma distribuição equilibrada de histórias entre eles já fica complicado, não?

      Excluir
  5. Ótima crítica! E... pera... eu li continuação de Universo em Desequilíbrio? o/ o/ o/ o/ o/

    ResponderExcluir
  6. eu li e nao gostei pq o tellepax morre

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ô xará do DC... Fiz um curso sobre técnicas modernas de elaboração de um romance e entre elas, para dar algum chamamento ou quebra de expectativa, estava o lance do "mate algum personagem". Isso cria emoção, sentimento, empatia. E no caso da história aqui, conforme a Mally colocou, a morte do Tellepax foi necessária para quebrar entre os outros a empatia forçada com o Dante. Caiu a máscara. Resultado, o Dante foi pro Inferno e pelo jeito não vai ter nenhum Virgílio esperando por ele.

      Excluir
  7. Bem, deu aquela minha hipótese número 1 - Mônica perdoaria o DC e o namoro continua. Eu apostava nessa pois nós temos nossos momentos de raiva, de perder a cabeça, mas quando a poeira assenta e a adrenalina baixa, aí então o cérebro começa a funcionar mais legal. O deslize do DC foi mal, mas ele no fim se esforçou para consertar a lambança, aliando-se inclusive ao... Cebola.
    E a hipótese número 2 ficou com uns 10%. Mônica não reatou com o Cebola, mas decidiu retomar a amizade. Alguma coisa me diz que o Cebola vai grudar como carrapata (é isso mesmo: quem se agarra para sugar sangue é a carrapta, a fêmea) em cima da Magali para saber o que fazer para não dar a menor pisada na titica junto à Mônica. Ele tem uma ideia do que não pode fazer, mas sabe que vai precisar de muita cautela para não melar o pouco que conseguiu agora.

    E o ciúme do DC. Claro, como no começo ele disse: sabia que não podia confiar no Cebola, mas que podia confiar na Mônica. Explica-se (precisa?): ela NADA queria mais com ele, portanto Cebola não representava nenhuma ameaça. Podia até se dar ao luxo de vê-la passar um feriado com o rival, pois este estava neutralizado. Mas agora as coisas mudaram. Mônica retomou a amizade e daí para pular para outras coisas são só mais uns pulos. Acendeu a luz amarela.

    Pois é, Lari. Um abraço até com direito a lágrimas nos olhos de ambos... Seria legal ver a cara do DC no mesmo quadro! Mas boa mesmo seria um abraço entre os dois no final, quando Mônica repetia o que disse a Magali.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcos, também pensei no Cebola pedindo dicas pra Maga, não pensei grudando como carrapata, mais pedindo dicas, ajuda pra reconquistar a Monica. (O que eu vou amarrrr por torcer por MoxCe) rs

      Excluir
  8. Gente, que diferença de uma edição pra outra hein.
    Achei a primeira parte péssima e a segunda maravilhosa, antes a Mô e o DC estavam muito chatos e agora tudo voltou ao normal, aliás normal é uma palavra que mexeu bastante com o DC né, agora ele sabe o que realmente sgnifica ser diferente, espero que ele leve isso para o resto da vida porque essa forma dele de ser diferente às vezes irrita.
    Adorei o puxão de orelha da Magali no Cebola, ele está melhorando, só falta deixar de pensar que é o centro do universo, apesar disso gostei da participação dele na edição, se fosse assim sempre eu não teria nada contra.
    Gostei muito do final também, estava claro que a relação MôDC não ia acabar agora, mas deixou uma pontinha solta pra desenvolver esse rolo no futuro (mas nada de drama de casal, por favor).
    Fiquei triste com a morte do Tellepax, ele não merecia aquilo. O Dante foi um dos vilões que eu mais odiei não só por ter causado aquela morte mas também por ser um aproveitador, quando a Magali disse que a entrevista ia lhe render muito dinheiro ficou claro que ele só pensava no bolso, estava pouco se lichando pros artistas.
    Espero que os novos donos do circo aparecam em outras edições, gostei deles não só pelos poderes de cada um mas também por representar as pessoas diferentes, as minorias que sofrem tanto por preconceito, acho que esse é um assunto que a TMJ deveria abordar com mais frequência.
    Mês passado eu disse que só ia relevar a história Circo Macabro se a continuação fosse incrível, e aconteceu, adorei.

    ResponderExcluir
  9. Talvez, Incompreensivelmente, estejamos diante de um processo de amadurecimento duplo. O do Cebola temos visto já há algum tempo. E agora começou o do DC, que fazia do contrário a sua filosofia de vida. Mas vida é uma coisa e filosofia é outra. Talvez ele esteja vendo que sim, podemos ser contrários e diferentes, mas há situações do normal do qual não temos como fugir.
    Coração não pode ser dirigido pelo cérebro. Se antes não tinha motivos para ter ciúmes de ver o Cebola junto da Mônica, já que sabia que ele ia levar um fora na certa (confirmado: TMJ 80 pág. 9), agora o cenário mudou. Mônica e Cebola voltaram a ser amigos e amigos se conversam, brincam, fazem coisas juntas com prazer... Finalmente a Mônica conseguiu involuntariamente o que desejava: que o DC sentisse um pouco de ciúme por ela. E pela cara que fez no último quadro, parece que descobriu que há coisas normais contra as quais não tem como contrariar.

    Petra mandou legal. Gostei bem da coisa.

    Quanto a Magali, ela é comparável a um porta-aviões classe Nimitz. Magali é doce, meiga, fofa, frágil e delicada... quando não está de serviço. O porta-aviões é um navio de guerra estranho: se não pode operar seus aviões, é a belonave mais indefesa e inútil que existe. Mas se puder operá-los, é a belonave mais poderosa que existe. E estou vendo a Magali assim. Parece a menos determinante do grupo, a mais fraquinha, etc e tal, mas quando a situação exige, ela toma as rédeas da liderança de forma mais direta e incisiva que a própria Mônica. E mostra seu lado feroz. A orelha do Cebola deve estar ardendo até agora e não foi só por causa do puxão...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei se o do contra está amadurecendo(para mim,não está pois e só ver a cara dele quando a Magali fala para ele que ciúme e normal e que ele não está acostumado a isso,pois se trata de algo normal,o que para ele e simplesmente abominável)

      Mas o que vejo mesmo e o Cebola amadurecendo cada dia mais, e questão de tempo pra Mônica e Cebola reatarem o namoro,pois o do contra deu mostras de não reagir muito bem a reaproximacao deles como o episódio mostrou bem.

      Excluir
    2. Torço demaissssss pelo amadurecimento do Cebola *-*

      Excluir
    3. Vinicius como vc sabe q ele n estava apenas surpreso por sentir algo tão normal

      Excluir
    4. Eu li a história,Anna...

      E vi como o do contra reagiu muito mal quando viu Cebola e Mônica juntos,ele não digeriu bem a reaproximacao deles,já temendo que possa de fato perder a Mônica pro Cebola..

      Excluir
    5. Fora que o do contra Tm ojeriza por coisas normais...

      Excluir
  10. VOCE VAI VOLTAR COM UNIVERSO EM DESEQUILIBRIO??? CARA, TO SEM PALAVRAS!!! AMO AQUELA FANFIC!!

    Ia até responder sua critica mas fiquei tão mexido com essa noticia que até escapulhiu aqui. Obrigado por retormar essa fanfic , você é demais !!!

    ResponderExcluir
  11. Tb amooooooo aquela fanfic *------* To ansiosa ♡

    ResponderExcluir
  12. Bom adorei a história e citando algumas coisas que gostei mais :
    idéia de ciclo : interessante que foi justo a Magali que faz o Cebola a realidade depois de saber que ela sumiu e a culpa por achar que foi ele que a fez fugir , isso sem fala da frase "não pode uma amizade de uma vida acabar por causa de um rolo que não deu certo" que ela diz que no final a Monica também cita dando a entender que a Magali de fato tava tentando fazer os dois voltarem , afinal indiretamente ela foi responsavel por eles terminarem ao fazer aquele plano e ficando aquele clima estranho , então legal ela ser a responsavel indiretamente pela volta deles .
    pessoal do circo : realmente era aquilo que se imaginava , os artistas de fato eram usados pelo Dante (esse sim o monstro) e mostraram que eles só queriam uma vida normal e a morte do telepax realmente enxergar quem Dante era e deu fim nele , muito bom legal o desenvolvimento .
    Do Contra enciumado : agora que o bicho vai pegar , antes ele praticamente esnobava o Cebola ja que tinha certeza que a Monica nunca voltaria pra ele , até na edição 77 mostra ele falando que não vai conseguir ela assim , realmente se sentindo ali ... agora o jogo mudou e isso pode se tornar um problema afinal na edição 36 ele ficou o tempo todo tentando jogar a Monica contra o Cebola quando começaram a se entender , duvido nada que agora ele vai realmente pegar no pé dela e quem sabe manipular pros 2 brigarem de novo ... e isso pode ocorrer por que ele ainda não ta amadurecido , não ocorreu situações que o testa-se como vai ocorrer agora , e por mais contra que seja ele tem muita mais em comum com o Cebola do que se pensa , até citou "plano infalivel" como demontrativo do lado normal ainda imaturo que se equipara ao rival ... enfim é isso .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é. Até que seria interessante ver o DC com ciume de vez em quando, mas acho que não deveriam ficar muito em cima disso. Tantas histórias e personagens pra explorar e eles ficam só no drama desse triangulo amoroso, é chato.

      Excluir
    2. Concordo , queria ver mais o Cascão e a Magali também , até a Irene sumiu depois do fora do Cebola entre varios outros

      Excluir