CBM#25: Zona de Contágio - Críticas ~ TMJ do meu jeitoTMJ do Meu Jeito

domingo, 25 de outubro de 2015

CBM#25: Zona de Contágio - Críticas




E aí, beleza? Hora de fazer a crítica da ed. 25 da CBM. O que acharam da história? Eu adorei.

Foi tensa, movimentada e com algumas referencias a filmes e séries. Aliás, a história foi animada praticamente desde o começo, com o pessoal batendo papo dentro dos carros, tensão entre Rosinha e Chico por causa da Fran (que está se tornando um pé no saco), Zé Lelé se entendendo bem com os rapazes...

E a piada do Jácomo sendo um zumbi que ao invés de cérebro prefere um dogão também foi muito legal e também um prelúdio do que estava por acontecer.

Bem... a história me lembrou a série the walking dead e também o filme guerra mundial Z. Acho que o roteirista pegou elementos dos dois.

A semelhança com TWD vem da jornada do Chico e da Sofia juntos pela estrada tentando fugir dos zumbis e encontrar a Rosinha. A série foca nessa caminhada de sobrevivência, lutando um dia de cada vez para se manter vivo em meio a uma multidão de zumbis que vem de todos os lados.

Mas também vi elementos do filme guerra mundial Z.

 1 – Os zumbis não comem gente. Eles apenas perseguem as vítimas para transmitir o vírus e fazem isso através da mordida. Depois que mordem, vão embora e quando a pessoa já está infectada, eles a ignoram.
2 – A infecção é rápida tal qual acontece no filme. Em TWD pode levar até dias até que a pessoa morra e vire um zumbi. Em guerra mundial Z, é coisa de poucos minutos e dependendo do caso, alguns segundos.
3 – Em determinada parte da história, vemos ampolas onde está escrito Z-Vírus.
4 – Os zumbis são atraídos pelo cheiro do medo das pessoas, enquanto no filme são atraídos por som. O ponto em comum é que alguma coisa os atrai, mas o roteirista deve ter feito diferente para não parecer uma imitação.

As principais semelhanças com o filme são essas. Eu falo sobre esse filme aqui: Guerra Mundial Z quem quiser, pode dar uma olhada.

No filme, o galã acaba resolvendo tudo, então acho que o Chico também irá salvar o dia, como sempre.

Outro detalhe no filme (foi mal o spoiler) é que os zumbis ignoravam pessoas doentes ou muito feridas e no final usaram isso para inventar uma vacina que funcionava como camuflagem que fazia com que a pessoa parecesse estar doente. Mas não acho que vão usar isso na história, seria muita imitação.
Eu gostei muito do andamento, sempre dinâmico e movimentado. De um lado, Chico encontrou uma garotinha assustada no início, mas que depois se mostrou corajosa e de personalidade muito forte. A discussão deles sobre voltar para pegar o ursinho foi muito engraçada. Tipo, o Chico se fez de mandão e segundos depois estava se contorcendo na janela do banheiro para pegar o ursinho. E ainda teve que pedir desculpas para que a Sofia o salvasse.

A menina é meio pentelha, mas ao mesmo tempo é forte, tem personalidade e parece que sabe de alguma coisa, mas sua memória foi bloqueada pelo trauma. Só ficou aquele papel que o Chico tinha achado na mochila dele com o desenho dela com os pais e aquele olho misterioso.

A propósito, vocês notaram que o desenho da mãe dela tem asas de anjo? E que o tal ursinho aparece entre elas? Isso pode significar que a mãe da Sofia morreu e que o ursinho Bilu foi um presente dela, por isso a Sofia tinha tanto apego por ele.

Seu pai pode ser o típico viúvo que perde a esposa e se afunda no trabalho para esquecer a dor, por isso se comprometeu tanto com aquele laboratório. Quando começou a infecção, ele deve ter ajudado a filha escapar na esperança de que a praga fosse contida lá dentro e não saísse para o exterior. Assim ela estaria salva. Mas algo deve ter dado errado e o vírus se espalhou. Ou então ela escapou sozinha, não sei.

Outro detalhe é o tal “olho-que-tudo-vê” que é um dos símbolos dos Ilumminati. Para quem não sabe, Illuminati é o nome de um grupo secreto que tem como objetivo dominar o mundo através da fundação de uma Nova Ordem Mundial. Há várias teorias sobre eles, umas negando, outras comprovando. Quem quiser saber mais, tem muito material pela net afora. Acredita-se que eles são um grupo muito grande e poderoso, que tem muita influência e controla muitas coisas, por isso o tal olho que tudo vê. Outro detalhe é que esse olho é também símbolo da maçonaria, porque eles acreditam que estão sendo sempre vistos por alguém.

Deve ser tipo uma brincadeira com as teorias da conspiração que muita gente acredita. E também um ótimo símbolo para uma corporação poderosa e influente como essa tal de Savert deve ser.

De outro lado, temos Rosinha liderando os rapazes para procurar o Chico. Impressionante como ela foi forte e inteligente, mas ao mesmo tempo usou charme e meiguice para levar o guarda e o motorista do caminhão na conversa. Quem resiste toda aquela seduzência?

Legal foi que graças a ela, eles conseguiram entrar no laboratório. Uma pena ela ter sido infectada depois, mas acho que foi para dar mais drama a história. Aposto que o Chico vai ficar de coração partido quando ver que ela foi transformada em zumbi. E a cara de zumbi dela ficou realmente muito boa, deu até um medinho!

O laboratório todo destruído já respondeu uma parte do mistério: uma experiência deu errado e o vírus saiu se espalhando para todo lado. Só não sabemos que tipo de experiência era aquela e porque fizeram aquele vírus maluco.

A história acaba com os rapazes contendo a Rosinha para ela não infectar mais ninguém enquanto Chico e Sofia estão presos no carro com uma horda de zumbis ao redor. A próxima edição será a conclusão da saga e mal posso esperar.

Zumbi não é o meu gênero preferido, mas de vez em quando, uma vez ou outra, eu gosto. Eu adorei o filme guerra mundial Z porque saiu um pouco do clichê de zumbis comedores de gente. E por algum tempo também assisti TWD, apesar de ter perdido o interesse lá pela quarta temporada. Sei lá, acabou perdendo a graça.

Mas eu não sei se os infectados dessa história podem ser chamados de zumbis. Normalmente zumbis são mortos que andam e nessa história as pessoas infectadas ainda devem estar vivas e o vírus pode ser curado. Tem que ser assim porque senão a Rosinha vai morrer de vez. E é uma história do Chico Moço, né? Tem que ter final feliz onde tudo se resolve, os infectados são curados, Sofia reencontra seu pai, o laboratório é fechado, a experiência nunca mais será retomada e a turma continua seu caminho para Vila Abobrinha.

Agora, cá entre nós... é impressão minha ou a Rosinha tem andado muito zicada ultimamente? Primeiro ela é esfaqueada na ed. 18, depois passa mais da metade da ed. 21 morrendo. Aí vem a história dos herdeiros da Terra onde ela engole sombra líquida e é levada embora para o planeta Tumba. E agora foi zumbificada.

Querem saber? Eu até que estou gostando. Calma, não sou sádica e não quero o mal da Rosinha. O que eu estou gostando é de vê-la sendo mais atuante e não somente como a personagem bonitinha cuja única função é ser namorada do Chico. Apesar de tudo, ela tem se mostrado forte, ativa e inteligente ao longo das edições e estou adorando ver isso. Eu sei que o foco das histórias é o Chico, mas acho que ela merece mais protagonismo também.  

Sei que não devia estar falando assim, mas a diferença entre ela e a Fran até agora é gritante. Rosinha é forte e corajosa enquanto Fran é fraca, chorona e mimizenta. Mas até que seria bom se as duas deixassem essa briguinha por causa do Chico de lado e se tornassem amigas. Mulher não tem que ficar estapeando uma com a outra por causa de homem. Elas precisam entender que não compensa perder a dignidade nem mesmo por um rapaz como o Chico.  

Bom, essa foi a crítica e confesso que fiquei surpresa porque escrevi mais do que a média da maioria das histórias. Mas foi porque eu realmente gostei da edição, aí acabo tendo mais coisas para falar. Também gostei muito da capa da edição porque ficou bem aquela coisa de terror, especialmente com o Chico de roupa suja com manchas que parecem sangue. Assustador, não? A capa da ed. 26 também ficou ótima e gostei bastante do Chico e da Rosinha querendo ficar juntos, mas sendo separados por causa da praga Zumbi. O desenho até lembra um pouco aquela pintura "a criação de Adão", de Michelangelo. A diferença é que na capa os braços deles estão entrelaçados, mas ainda tem aquela pegada meio barroca. Geralmente vemos as pessoas sendo carregadas por anjos nas pinturas, só que nesse caso são zumbis. A cena até poderia ser romântica por causa da expressão deles e o céu de crepúsculo ao fundo, com o sol brilhando entre as nuvens de fim de tarde.

E vocês repararam que um dos zumbis tem cabelo rosa? Ela meio que parece Atena, mas também pode ser Diana ou a enfermeira bonitinha da TMJ 87. Huahuahua!

Aproveitando o lance dos zumbis, refiz essa imagem do DC todo estropiado da TMJ 86, só que zumbificado e segurando um tomate na mão. Sim, gente. É um tomate. Por quê? Simples: é o DC. Zumbi comedor de carne humana ou cérebro é clichê e nós sabemos que ele odeia os clichês e pretende ser do contra até o final. Então virou um zumbi comedor de tomates, verduras e hortaliças. Sinistro, não? 


 Essas foram as críticas desse mês. Não deixem de conferir a crítica do Canal Opinião Turma da Mônica Jovem. É sempre bom ver pontos de vista diferentes:


9 comentários:

  1. Mally, levei sustinho com o cabeçalho do blog! hahaha

    Sobre a edição, eu gostei muuuuuito mesmo. Tô mega ansiosa pela segunda parte.
    Agora, não querendo ser chata mas já sendo, a Sofia não disse que tinha apenas dez anos? Então por que raios desenharam ela com seios em algumas partes? MSP desaprendeu a desenhar crianças? #Desabafei

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito da edição e da sua critica. Espero que a segunda parte seja boa. A capa ficou muito legal. Acho que logo, logo vao lançar a segunda parte, porque da ultima vez, do lançada antes da edição da TMJ. Também estou ansioso pela TMJ #87. A capa ficou bem legal. Um abraço.

    ResponderExcluir
  3. Apesar de não ser muito fã dessas histórias de terror, devo admitir que foi uma edição ótima e estou mais que ansiosa para a próxima.
    Tô gostando muito da personalidade do Chico ultimamente, e da Rosinha também. E o Zé Lelé sempre engraçadíssimo.
    Ah! Não sei se alguém já percebeu, pode ser só coincidência, mas o nome da corporação "Savert" ao contrário fica "Trevas" (Medo) :/

    ResponderExcluir
  4. Tipo, quando eu li "Savert" na hora eu fiquei assim: "Ué, mas essa companhia já não tinha sido derrotada no Chico Bento Moço 23?" O.o

    Eu gostei da história apesar de não ter conseguido me envolver nela, não gostei do "ritmo" que ela teve... :/ :P

    ResponderExcluir
  5. Gostei muito da história, sem dúvida uma das melhores do Chico Moço ultimamente! Gostei tanto que acabei lendo duas vezes, e na segunda vez que li acabei percebendo algumas coisas e formulei uma teoria sobre a garotinha, Sofia.
    Não sei se você percebeu, talvez tenha notado e deixado pra comentar nos palpites, mas eu fiquei com a impressão de que a Sofia é algum tipo de fantasma. Pensei nisso pelos seguintes motivos:
    1 - Quando o Chico a encontra, ela estava jogada no meio da estrada, sozinha e vulnerável. Dá pra ver que tem vários infectados na área (o Chico encontra um logo depois) mas nenhum deles parece tentar atacar ela. Aliás, no decorrer de toda a história, nós não vemos os zumbis atacando diretamente ELA, só o Chico.
    2 - Na parte em que eles entram na lojinha de posto de gasolina, o atendente demonstra não estar enxergando a Sofia. Tanto que ele fica confuso sempre que o Chico menciona a menina ou dialoga com ela.
    3 - Ela não tem nenhuma memória do que aconteceu a ela ou aos pais. Quando o Chico pergunta, ela só diz que se lembra de uma "luz" e mais nada... E a luz normalmente é associada à morte ou à passagem de espíritos para o outro lado.
    4 - Na parte em que ela puxa o Chico da janela, ela diz que é bem forte, e o Chico reafirma isso, comentando que ela é mesmo forte pra uma menina de 10 anos. Não sei, talvez seja alguma espécie de força sobrenatural fantasmagórica, quem sabe?
    Acho que seria interessante se ela fosse um fantasma. Não sei se ela está morta, ou se talvez está em alguma espécie de coma em algum lugar, mas faria sentido, pois o Chico já mostrou ter habilidade de ver e se comunicar com espíritos. Só fica a dúvida de, se ela é mesmo um fantasma, onde está o corpo dela? Provavelmente não estava caído naquela estrada, senão o Chico teria visto.
    Outra coisa que achei interessante foi o desenho dos pais dela. Não sei se você reparou, mas a mãe tinha duas asinhas desenhadas nas costas, como se fosse um anjo, o que me leva a pensar que talvez ela esteja morta. E o pai dela foi desenhado com uma roupa que lembrava um jaleco de laboratório. É provável que ele seja um cientista, e esteja envolvido com o projeto do Z- Vírus.
    Teoria Maluca Mode ON: Talvez a mãe dela estivesse doente, talvez com uma doença terminal ou algo do tipo, e o pai dela estava desenvolvendo um vírus que pudesse ajudar a erradicar essa doença, mas acabou saindo do controle e gerando aquela multidão de zumbis. Tá, improvável, mas vai que, né?
    Em resumo, essas são minhas teorias sobre a história. Não sei se estão certas, mas foi bem divertido fazê-las. Espero que eles continuem fazendo histórias em sagas na CBM, são bem mais elaboradas e dão mais ansiedade de comprar a revista no mês seguinte!
    P.S.:Adoro suas críticas, Acompanho todas, mas essa é a primeira vez que faço um comentário. Por favor, mantenha esse blog pra sempre!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Teoria interessante sobre a Sofia e até faz sentido. Os zumbis não a terem atacado até que pode ter explicação, mas o dono do posto não vê-la é estranho.

      Confesso que o lance do dono da loja ter ficado confuso quando o Chico falou da menina ficou estranho mesmo, embora seja uma reviravolta esquisita a sofia ser um fantasma.

      Sobre a mãe dela ter asas de anjo, já tinha reparado sim e falei sobre isso na crítica, mas vou ver se desenvolvo mais sua teoria sobre ela ser um fantasma. Acho que merece um olhar mais atento.

      Excluir
  6. Isso daí é The Last of us (parece rsrs xD). Só falta aparecer os vagalumes e os caçadores rsrs

    ResponderExcluir