Nostalgia: Ed. 09 - O príncipe perfeito ~ TMJ do meu jeitoTMJ do Meu Jeito

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Nostalgia: Ed. 09 - O príncipe perfeito




Meldels, parece que finalmente saiu a animação da TMJ. Quando vi, nem acreditei. Pensei que fosse só o anúncio, sei lá. Então eu resolvi fazer uma crítica da ed. 9 – o príncipe perfeito, antes de comentar a animação.

Essa história foi bem lá no início da TMJ, edição 9. Bem antiga mesmo, né? Até os traços eram diferentes.

Tudo começou quando a escola resolveu fazer uma apresentação de Romeu e Julieta. Como queria ser a Julieta, Mônica resolveu fazer o teste junto com o Cebola, que como era de se esperar, chegou atrasado porque estava jogando. Sim, Cebola fazendo cebolice desde sempre. Por causa disso, a Carmem ficou com o papel de Julieta enquanto a Mônica terminou furiosa com as mancadas do Cebola, desejando que ele fosse diferente.

Nessa edição a gente já vê que o relacionamento entre eles sempre foi complicado e sem nenhuma perspectiva de melhorar. A Magali já tinha percebido isso há bastante tempo: que o Cebola era vacilão por natureza, então a Mônica tinha que aceitar ou pular fora.

Afinal, o relacionamento entre os dois estava meio que no início, talvez saindo da fase em que ela dava coelhadas para começar a adolescência. Então ele ainda devia ter algum medo dela, sei lá.

Por causa desse incidente, os dois se afastaram. Mônica porque ficou chateada e ao tentar fazer as pazes, ele fugiu. E ele por medo, já que ainda vivia com a cabeça no passado e não percebeu que ela tinha crescido.

Então aparece o Toni, um garoto aparentemente perfeito em todos os aspectos. Ótimo aluno, excelente atleta, se dava bem com todo mundo e era gentil com a Mônica. Engraçado o Cebola ter ficado tão desconfortável com essa última parte. Acho que a cabeça dele não conseguia entender que era possível um rapaz não ter medo da Mônica. Sim, ainda ia levar muito, mas muito tempo até que ele enxergasse que a Mônica tinha crescido e superado muitos defeitos.

E, claro, ele estava com ciúmes. Aos poucos os sentimentos deles estavam sendo definidos e fortalecendo, superando as brigas da infância e gradualmente saindo da fase de amizade para entrar na de eterna enrolação.

Bom, confesso que eu realmente fiquei meio que com o pé atrás com o Toni quando li essa história. Não por suspeitar da perfeição dele em si, mas por saber que quando algo é bom demais para ser verdade em uma história, geralmente é. Estava só esperando a hora em que o Toni ia revelar sua verdadeira face.

Mas até que foi engraçado ver o Cebola tomando meio que um susto ao ver que era possível a Mônica se interessar por outro rapaz e tentando fazer algo para mostrar que ele não era tão perfeito assim só para ver se ela o deixava de lado. Claro que os planos foram meio infantis, mas vá lá. Valeu a intenção.  

As coisas entre eles ficaram bem tensas em determinado momento quando ele chegou atrasado e acabou sendo substituído pelo Toni. Nessa hora, a Mônica foi bem dura com ele e eu achei que foi merecido. Sim, ele precisava cair na real. E tem uma frase dela que eu achei ótima e acho que agora vemos o quanto ela faz sentido:

“E se ele não mostra interesse, não pode ficar chateado por ser substituído.”

Seria algum tipo de profecia? Quem sabe?

Numa reviravolta (bem esperada, eu diria), Mônica acabou ficando com o papel de Julieta e Toni de Romeu. E Cebola com cara de quem chupou limão. Só que no fim da peça o Toni acabou se revelando e então descobrimos que ele não era um personagem novo e sim o primeiro a retornar dos gibis (além da turma): o Tonhão da rua de baixo. Sim, eu nem imaginava isso.

Ele queria se vingar da Mônica pelas surras que tinha levado (outro rancoroso), mas seu plano falhou porque Cebola descobriu tudo. Então o Toni se dá mal, Mônica faz as pazes com o Cebola e tudo termina bem.

O que eu gostei na história foram os diálogos. A conversa da Mônica com o Toni sobre a palhaçada que ele tinha feito, de que não era necessário tudo aquilo porque só bastava conversar, foi muito boa. Acho que ela devia ter falado algo parecido com o Cebola também para ver se ele refletia um pouco sobre essa neura em derrotá-la.

Sem falar que ela sempre reconheceu seus defeitos quando questionou se merecia um príncipe perfeito, já que ela tinha muitas falhas e não podia exigir perfeição de ninguém. Já o Cebola mostrou muita maturidade ao criticar a atitude do Toni. Afinal, ele também levou coelhada a vida inteira e não partiu para a vingança como o Toni tinha feito. Se bem que ficou com aquela eterna neura em derrotá-la e isso causou sofrimento para ambos, mas é outra história.

E foi interessante o que o Cebola tinha falado com o Toni sobre confundir os sentimentos, só que isso acabou trazendo um efeito colateral que ia lhe dar dor de cabeça no futuro: no fim, Toni descobriu que gostava da Mônica.

O Toni começou como um Zé ruela fingido que só queria derrotar a Mônica. Eu achei que ele nunca mais fosse aparecer, mas depois foi aparecendo em outras edições. No início era só um vacilão, mas aos poucos foi se consolidando como vilão, cafajeste, machista, tosco, grosso, etc. etc. etc. A personalidade dele mudou um pouco, ele deixou de lado o lance de príncipe perfeito e foi aceitando sua fama de mau.

A relação dele com os estudos também mudou muito já que na ed. 9 ele era excelente aluno e na 86 tinha a maior preguiça de estudar e estava sempre enrolando. Ninguém na sala, tirando o DC, queria fazer trabalho com ele.

Nessa história vemos que o relacionamento da Mônica com o Cebola vai caminhando aos poucos, um vai tomando mais consciência do que sente pelo outro mas nenhum dos dois toma uma atitude. Mônica espera que ele faça alguma coisa, mas o Cebola ainda tem aquela neura por causa do passado e não consegue superar (acho que até hoje não conseguiu).

Lembram quando a Mônica disse que se o Cebola não tinha interesse, não podia importar em ser substituído? Engraçado que na época a gente achava que ela estava meio que falando do Toni, tipo substituir o Cebola por ele, que mostrava mais interesse e comprometimento. Mas...

Agora fico pensando com meus botões... será que naquela época eles já não tinham planos de fazer a Mônica desistir do Cebola e ficar com o DC? No início, eu pensei que o namoro da Mônica com o DC fosse apenas porque todo mundo já estava de saco cheio do eterno chove e não molha do Cebola, mas não queriam decidir as coisas tão cedo. Afinal, eles só tinham duas alternativas: continuar com a eterna enrolação (e desagradar os fãs até que ninguém agüentasse mais e parasse de comprar a revista) ou dar um jeito de reatar o namoro deles. Só que nenhuma das duas alternativas era viável.

A primeira por motivos óbvios e a segunda porque é o eterno drama deles que, em parte, faz com que os leitores continuem comprando revistas. Se o drama acabar, o que sobra? Daí decidiram fazer com que a Mônica desistisse do Cebola e ficasse com o DC e assim ganhariam mais tempo.

Só que lendo essa frase fiquei pensando se eles já não tinham isso em mente desde o início. Afinal, o sentimento do DC não surgiu da noite para o dia. Apesar de não ter recebido o devido destaque, já que o DC só mostrava gostar da Mônica uma vez na vida e outra na morte, dá para ver que já era um sentimento mais antigo. Talvez não tanto quanto o do Cebola, mas ainda assim já tinha bastante tempo.

A gente pensava que era só para fazer triangulo amoroso, mas quem sabe eles já não tinham a intenção de juntar os dois? É só uma teoria, não sei. Pode ser que tenham decidido isso de repente, já que o Emerson tinha sido pego de surpresa e acabou tendo que mudar algumas coisas de Umbra. Ainda assim é para se pensar.

Bom, eu resolvi fazer a crítica por causa da animação da TMJ que finalmente saiu (eu pensei que ia ser para 2020, por aí).

Não vou falar muita coisa porque acho que é o primeiro episódio e espero que vá melhorando com o tempo porque esse ficou bem ruinzinho e sei que podia ter sido melhor.

A história foi dividida em várias partes e eles alteraram algumas coisas, cortaram outras e mudaram a seqüência de alguns acontecimentos, o que eu achei uma pena. Mas entendo que para televisão tem que adaptar alguma coisa mesmo. Pelo menos as vozes ficaram boas.

Agora, fico imaginando se algum dia farão a animação de sombras do passado, Umbra ou festa na praia. Será que vão fazer com herdeiros da Terra também? Mal posso esperar! Ou então a estranha história de Sarah, a saga do circo macabro... tem muita história boa que eu gostaria de ver sendo animada, espero que eles façam com todas, mas estou com algumas dúvidas, afinal eles começaram na ed. 9 e pularam as outras não sei porque. Deviam começar desde o início mesmo. Vamos ver como a animação evolui. Tomara que dêem continuidade. 

Para finalizar,  tem duas imagens que eu tinha feito com a capa a um tempo atrás. Eu adaptei a capa com o Cebola e o DC, não sei se alguém se lembra. Aqui tem a imagem com o DC. Os pngs estão na galeria.


Aqui também tem a crítica feita pelo Canal Opinião Turma da Mônica Jovem:


8 comentários:

  1. Essa edição é demais! *-* Tudo flui muito bem, assim como todas as edições costumavam ser. Onde você lê as edições, Mally?

    ResponderExcluir
  2. As vezes pego emprestada, leio nas livrarias ou dou sorte achando na internet. É bem difícil.

    ResponderExcluir
  3. Foi péssimo, considerando que foi anunciado há 7 anos. A animação foi ruim, mas nenhum dos desenhos da MSP atualmente têm uma animação muito fluida mesmo. Não gostei de dividir em partes, é como se tivessem poucos episódios feitos e quisessem economizar.

    O cabelo da Magali foi horrível, um amontoado de fios flutuando sem movimento. Tem o que ali, cimento? Só assim pra ficar tão firme. E as caras estranhas dos personagens, as roupas não condizentes com os estilos... Nem vou entrar no mérito de que não teve tempo para desenvolver ninguém por causa da pressa. Não vejo esperanças de evolução, vou focar nos gibis.

    Pra não falar que eu reclamo muito, algo que eu amei foi a dublagem, combinou bastante com os personagens. Só acho que a voz da Magali foi uma tentativa de forçar uma fofura nela que não existia na turminha clássica, mas eles tentam forçar desde o início da TMJ. Consigo pensar em dubladoras que não têm a voz "fofa" e combinariam mesmo assim.

    Não consigo me identificar com a Magali Jovem como eu me identificava com a clássica, mas sempre me identifiquei mais com a Mônica mesmo, então vou relevar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade a animação tem que melhorar acho que esse episodio foi mais um teste eu espero

      Excluir
  4. Estava com saudade das resenhas de nostalgia. Queria uma do Tesouro Verde, que tem os personagens de Osamu Tesuka.

    ResponderExcluir
  5. Eu também acredito na teoria de terem planejado desde o inicio que a Mônica poderia arranjar outro namorado e ficar de fora , e ainda sendo o DC , que ja na história dele começou a mostrar a quimica entre ele e a Mônica , e vi a animação e achei bem bacana , adorei as vozes era como imaginava , incrivel , no mais engraçado que apoiando a teoria de ser o DC o namorado , em muitas partes a Mônica fala e até o Toni na animação "você não tem que fazer/querer ser como todo mundo , você é diferente e tudo mais" realmente se entende a referencia , haja Capitão America pra caça-las , alias em falando de planejamento , então com certeza o namoro não durara muito , afinal no crossover "encontro de dois mundos" da-se a entender que a Mônica e DC ja tão separados al´me de que no final no Fala Mauricio , ele da a entender que a história se passa num futuro proximo

    ResponderExcluir
  6. Outra coisa que imaginei : revendo o video , falam que essa aventura foi a 1º escrita pela Petra no TMJ , séra que a animação vai adaptar somente os episódios dela , e no maximo os do Emerson ?

    ResponderExcluir
  7. As melhores cenas do mangá foram tiradas da animação ¬¬

    Sem contar o cabelo da mônica, na edição 9 ele era curtinho, mas fizeram ele como se estivesse como atualmente.

    ResponderExcluir