CBM#30: Reino das formigas - Críticas ~ TMJ do meu jeitoTMJ do Meu Jeito

sexta-feira, 8 de abril de 2016

CBM#30: Reino das formigas - Críticas

 
Sabe aquele tipo de tarefa que a gente não está com vontade de fazer, mas acaba tendo que fazer mesmo assim? Pois é. Assim tem sido eu com as críticas da CBM ultimamente. Não é que a história desse mês tenha sido ruim, mas sei lá, não me empolgou muito.

Quer dizer, o Chico participa de um experimento maluco, é encolhido e vai passar um tempo com as formigas. Até me lembrou um pouco aquele filme Lucas, um intruso no formigueiro. Só que o filme foi bem melhor. Já a história...

Para começar eu já achei estranho as formigas parecerem com as pessoas que o Chico conhece. Tipo assim... formiga devia ter cabelo? Tá, deixa quieto. O restante, pelo menos uma parte, foi assim meio clichê. Formigas desconfiando do Chico, o conselheiro traíra tentando manipular a rainha contra ele já que suas intenções reais são de dominar/destruor/whatever, o Chico acaba ganhando a confiança das formigas com o tempo, ajuda a vencer uma guerra, fica amigo delas e volta para casa feliz da vida. Fim.

Mas para não dizer que eu não gostei da história, vou dar um ponto extra pela reviravolta do prof Ernano que parecia bem intencionado no início e depois mostrou que também era outro traidor. Essa parte até que me surpreendeu.

Se bem que eu achei bem estranho ele querer dominar o mundo usando insetos. Tipo assim, como ele pretendia derrubar governos e dominar países só usando insetos? Como força de combate não serviriam para alguma coisa porque poderiam ser mortos com inseticidas. A não ser que ele usasse o controle sobre os insetos para causar crises, devorar colheitas, talvez espalhar doenças (no caso dos mosquitos), coisas do gênero. Aí até que poderia ser. Ainda assim seria inviável colocar um chip nas costas de cada inserto porque a quantidade é grande demais, enorme. Mesmo que os próprios insetos aprendessem a fazer implante uns nos outros, isso ia levar muito tempo.

E não ficou muito claro como ele fez aliança com os cupins. Será que encolheu a si mesmo e falou com eles? Propôs algum acordo? Essa parte eu devo ter perdido.

Também achei legal as alianças dos insetos tipo o tal pacto das cinco sombras e a aliança da terra embora não tenha achado assim muito bacana dividir os insetos entre bons e maus. Quer dizer, quem decide quais são bons e quais não são? Insetos não são bons e nem maus, são apenas o que são e cumprem seu papel na natureza. Os humanos é que prejudicam o equilíbrio e avacalham com tudo.

E também gostei da parte da guerra porque teve muita ação, dinamismo, luta e também adorei terem colocado um exército de formigas fêmeas. Acontece o seguinte: na verdade, num formigueiro todas as formigas são fêmeas. Os machos só existem para copular com a rainha e mais nada. Todo o resto do trabalho é feito pelas fêmeas, desde procurar comida até defender o formigueiro (houve sim um errinho ao colocar os equivalentes do primo Zeca e Zé Lelé das formigas porque machos não deveriam ser operários, mas entendo que foi necessário para a história).

Normalmente teriam representado essas formigas-soldado como machos, ignorando que na realidade são fêmeas. Então fico feliz que o roteirista não tenha sido contaminado pelo machismo nessa hora e tenha representado as formigas guerreiras do jeito certo. gostei também da rainha forte e independente que sabe se cuidar porque também já foi guerreira.

Apesar de não ter me empolgado, confesso que gostei de algumas coisas da história e achei legal o lance educativo de mostrar como é a sociedade das formigas (ainda que de um jeito bem fantasioso), exaltar sua organização e trabalho em equipe, passando a mensagem de que também podíamos aprender uma coisa ou duas com os insetos.

A próxima edição vai acontecer na praia. Legal, eu acho. O preview não revelou muita coisa e até o momento não vejo grandes promessas para essa história. Talvez alguma intriga, alguma coisa que ameace o ecossistema da praia, talvez alguém querendo prejudicar o tal do projeto ambiental.

Histórias assim costumam sempre ter um empresário ganancioso que quer acabar com quaisquer projetos ambientais porque prejudicam seu negócio de alguma forma. Pode ser uma construtora querendo fazer um hotel/parque aquático/resort em alguma reserva, ou uma empresa que pratica a pesca predatória, alguém querendo lucrar mesmo que isso prejudique o meio ambiente, algo assim. Não me parece muito promissor, a não ser que o tal empresário ganancioso seja aquele vilão trevoso que apareceu na ed. dos zumbis infectados. Aí sim pode ser uma história legal.

No resto, acho que vamos ver o Vespa disputando a atenção da Fran, Genesinho se exibindo feito idiota, Bombeta endoidando o cabeção com as garotas na praia, talvez o Chico salve a vida de alguém prestes a afogar, ou então um concurso de surf... coisas do gênero. Vamos ver como vai ficar essa edição e tentarei não demorar muito com a crítica.

Antes que me esqueça, eu já li a TMJ 92, mas a crítica vai sair só no dia quinze porque tem spoilers e não quero estragar a leitura de ninguém. 




Para mais opiniões, confiram o vídeo do Canal Opinião Turma da Mônica Jovem:


0 comentários:

Postar um comentário