Memorizando o hiragana e o katakana ~ TMJ do meu jeitoTMJ do Meu Jeito

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Memorizando o hiragana e o katakana


No artigo anterior eu falei que o primeiro passo para aprender o japonês é aprendendo o alfabeto e até fiz algumas comparações com o nosso para mostrar que o hiragana e katakana não são tão complicados quanto parecem. Muita gente pode discordar, mas a meu ver esses dois alfabetos (e a forma de combinar as letras para formar os sons) me pareceu até mais simples do que o nosso. Eles só assustam porque a escrita é diferente da nossa.

Agora vou ensinar como decorar os dois alfabetos. No início vai parecer trabalhoso, mas com o tempo vão achar até fácil e divertido. Nós vamos decorar os novos símbolos usando mnemônicos. Mas o que é isso? É pra comer ou pra passar no cabelo? Nenhum dos dois.

Mnemônicos são técnicas que usamos para nos ajudar a memorizar as coisas. Simples assim. Isso tem a ver como o nosso cérebro funciona. De um jeito simplificado, é assim:

Você viu uma nova informação. Seu cérebro vai pegar isso e comparar com o que já tem dentro dele. Quanto mais parecido for, mais fácil ele vai memorizar. Mas se for muito diferente, aí vai ser difícil. Sabe aquele brinquedo de encaixar blocos em buracos com formatos diversos que as criancinhas usam? É por aí. Quando seu cérebro pega a nova informação, ele vai procurar pelo buraco onde ela possa se encaixar melhor. Quanto mais o formato da nova informação for parecido com os que já existem no nosso cérebro, mais fácil vai ser o encaixe e a memorização.

Agora imagine o seguinte: a nova informação tem a forma de estrela, só que no seu cérebro não tem nada parecido. É uma informação totalmente nova e ele ainda não conhece o formato dela. Vai ficar difícil assimilar, não vai? É aí que entram os mnemônicos.

Usando um mnemônico, você vai “juntar” essa informação nova com outra que você já conhece. Com o tempo seu cérebro vai decorar o novo formato e armazená-lo. Vou dar um exemplo para vocês entenderem.

Imaginem esse hiragana: a pronuncia dele é ku. Conseguem lembrar de uma palavra em português que comece com esse som cuja imagem possa ser encaixada nesse hiragana? Vou dar uma dica: lembram da TMJ 99 quando o Silencioso virou um cuco? Pois é. Junte o hiragana com o desenho de um cuco e pronto! 


Agora ficou fácil, não ficou? Por que? Primeiro, porque nosso cérebro já sabe o que é um cuco. O hiragana ku meio que tem o formato de um bico aberto, aí só tivemos que juntar as duas coisas. Segundo, porque a informação é inusitada, divertida. Eu mencionei a TMJ 99 exatamente porque tem mais impacto para vocês. É um outro segredo dos mnemônicos: quando for aprender uma nova informação, tentem associá-la com algo divertido, absurdo, maluco, etc. Sejam criativos e usem bastante a imaginação. Nosso cérebro tem mais facilidade para decorar coisas absurdas e diferentes do que coisas normais.

Mais um exemplo: (hi) – esse hiragana se pronuncia como ri em “risada”. Captaram a referencia? Imaginem a bruxa Viviane se tornando o cavalo da Fome e morrendo de rir na cara da turma. 

Também tem esse aqui: (no). Nesse caso, imaginem uma corda dando um nó. Eu sei que os sons são um pouco diferentes, mas ajuda a decorar. Claro que alguns outros vão ser um pouco mais desafiadores. Nem sempre vocês vão achar palavras que comecem com o som do hiragana que dê para usar a imagem delas.

O som também pode estar no meio da palavra, mas é importante que ele seja ressaltado na hora de decorar. Tipo o hiragana (tem som de ri como em peRIquito). Acho que não tem em portugues nenhuma palavra que comece com esse som, então eu usei a palavra periquito para memorizá-lo.


Ou esse aqui (mu). Pensem na vaca Mimosa do Chico fazendo “muuuu”. 
 

Querem mais um? Que tal esse: (o)? Pensando bem, esse hiragana me lembra um pouco a marca de IOR. Sei que precisa certa imaginação para ver isso, mas se colocarem dois traços na diagonal dá para ficar quase parecido. É tipo uma cruz no formato da marca de IOR fincada no chão daquele cemitério dos filhos de Umbra, que fica atrás da porta vermelha que sobrou da casa queimada da Berenice. Aposto que ao usar essas associações, vocês vão lembrar dessa letra com muito mais facilidade. Reparem que nesse caso, a imagem que usamos não começa com a letra "o", mas tem ela no meio. Isso vai acontecer várias vezes porque nem sempre vamos encontrar a imagem certa que começa com o som que queremos aprender.

É esse o objetivo dos mnemônicos, associar uma coisa nova e desconhecida com outra que nos é familiar (mas que ao mesmo tempo seja divertida/maluca) e assim tornar mais fácil para que nossos cérebros consigam aprender.

Com o hiragana e katakana é a mesma coisa, só precisa de um pouco mais de empenho. Criem suas próprias imagens. Eu criei as minhas, mas muitas delas não vão fazer sentido para vocês. É importante que vocês mesmos criem essas imagens porque vão decorando a letra durante o processo.

Imprimam os dois alfabetos de forma que fiquem com um bom tamanho e desenhem em cima delas com canetinha. Vão fazendo as imagens que vocês consigam decorar. A idéia é quando vocês verem o hiragana ou katakana, vão logo lembrar da imagem e conseguirão decorá-los.

Vocês podem ir aprendendo esses alfabetos escrevendo e escrevendo numa folha até decorar. Fazer isso ajuda e eu aconselho. Mas tem outras ferramentas legais também.

Eu uso esses dois apps (para Android) aqui:  Hiragana - Learn Japanese e Katakana - Learn Japanese com eles, posso aprender os dois alfabetos e tem até recurso para a gente ir desenhando com o dedo. Está em inglês, mas isso não atrapalha na hora de usar. Os dois apps tem os seguintes recursos:

Choose the hiragana – escolha o hiragana. É de múltipla escolha. Ele dá o som e apresenta quatro opções para escolher. 
Write in romanji – escreva em romanji. Mostra o caractere em hiragana ou katakana e a gente tem que transcrever em romanji. 


Nota: romanji é quando escrevemos palavras japonesas usando as letras do nosso alfabeto. Por exemplo, gato em japonês é 猫. Mas como saber a pronúncia? Através do romanji "neko".

Write the hiragana – escreva o hiragana. É o que eu mais uso. Nele ouvimos o som e temos que escrever o hiragana com o dedo. 

 
No início tem o caractere bem clarinho para a gente ver como é. É só acompanhar o desenho com o dedo, mas tem a ordem certa. Depois mostram só os pontinhos como referencia e por último a tela vazia. É um pouquinho só difícil porque a ordem dos traços é levada em conta e qualquer desvio com o dedo atrapalha tudo. Mas com o tempo a gente acostuma e fica bem legal. Mesmo já tendo aprendido os dois alfabetos, ainda uso bastante para manter tudo fresquinho na memória. 

Aqui tem uns vídeos que eu fiz enquanto resolvia os exercícios. Esse é o app para o hiragana, mas o katakana funciona da mesma forma. O primeiro mostra a resolução das questões de múltipla escolha. O segundo mostra o exercício de escrever os romanjis para cada hiragana. O terceiro é o recurso de escrever o hiragana com o dedo na tela. Para usar esse app, tem que ser com touchscreen.




0 comentários:

Postar um comentário