Aprendendo japonês ~ TMJ do meu jeitoTMJ do Meu Jeito

domingo, 4 de dezembro de 2016

Aprendendo japonês


Um projeto pessoal

Sei que tenho andado muito tempo longe do blog, mas acontece que tenho andado muito empenhada em realizar tipo um sonho antigo meu: aprender japonês. Mas por que japonês? Bem...

Desde pequena a cultura japonesa sempre fez parte da minha vida de uma forma ou de outra. Os desenhos mais antigos de que eu me lembro de ter assistido eram animes. Tenho contato com eles desde, sei lá, 5 ou seis anos. Lembro que os assistia quando estava no jardim de infância e pré-primário na extinta Rede Manchete, com televisão preto e branco.
Na época eu nem fazia idéia do que estava assistindo, mas gostava assim mesmo. Piratas do espaço era um deles e também patrulha estelar. Me lembro de várias cenas e dos nomes de alguns personagens. Também adorava “Super Aventuras”, que na verdade era uma série que apresentava diversos contos, muitos conhecidos por nós como “o quebra-nozes”, “Romeu e Julieta”, “o gato de botas” e “Chapeuzinho Vermelho”. Sério, eu lembro que a música de encerramento ficou na minha cabeça durante muitos anos e quando finalmente pude ouvi-la de novo no Youtube, tive a alegria de ver que era quase exatamente como me lembrava.

Don Drácula era outro desenho que eu amava e várias vezes quase chorei de tão triste que era o final de alguns episódios. Vale a pena ver, são poucos episódios (infelizmente).

Me lembro também de ver Dartagnan e os Três Mosqueteiros, que também era um anime só que ao invés de humanos, eram cães. Se bem que me lembro de um ratinho amigo do Dartagnan e de uma gata que era malvada, acho que se chamava Milady.

Bem, acho que já deu para entender. Tenho contato com animes desde criança embora atualmente não esteja acompanhando por falta de tempo e também porque são tantas opções que fico sem saber o que escolher.

Na época eu não sabia o que era anime e não fazia a menor idéia da existência do Japão, mas notava que tinha alguma coisa diferente naqueles desenhos que não tinha nos outros. Só não sabia explicar e também não gastava lá muito tempo pensando nisso. Só queria assistir e me divertir mesmo.

Ah, claro, também não posso me esquecer das séries porque foi com elas que passei a ter um pouco mais de contato com o Japão e sua cultura, inclusive vendo um pouco da sua escrita apesar de não entender nada. O primeiro de todos foi Spectreman.

Depois fui tendo contato com outras como Changeman, Jaspion, Flashman, Jiraya, Cybercops, Jiban, Black Kamen Rider, Lion Man e Spielvan.

Nota: Lion Man era um samurai que na hora de lutar se transformava e ganhava uma cabeça de leão tosca de doer, mas na época eu nem percebia. Olhando hoje eu me acabo de rir com a máscara que deram para o coitado.

Nota n. 2: sabem a Rita Repulsa, dos Power Rangers? Pois é. Ela também já participou de dois seriados, Jiraya e Spielvan. Foi a única coisa que me fez acompanhar Power Rangers por um tempo, senão eu nem teria dado atenção a série.

E também tem um livro que eu li a muitos anos chamado Shogun (é um camalhaço enorme, mas vale a pena). Vi ali minhas primeiras palavras em japonês como água, por favor, obrigado e compreendo/não compreendo. Desde então eu sempre procurava acompanhar o que podia do Japão.

Também assisti outros animes, claro, mas não vou me estender muito aqui. Eu vinha adiando esse sonho há bastante tempo, mas agora resolvi que quero aprender e comecei a estudar. De vez em quando vou postando meus progressos e impressões sobre a linguagem. Por enquanto estou engatinhando.

Só consegui decorar o hiragana e katakana, sei um kanji aqui e ali e estou começando a aprender a gramática e também algumas palavras, então ainda é meio cedo para falar alguma coisa, com o tempo vou dizer mais.

Eu gosto do Japão, apesar de não idolatrar cegamente. Sei que tem problemas como em qualquer outro país, mas também tem uma cultura rica e interessante que vale a pena dar uma olhada.


0 comentários:

Postar um comentário