LT#57 - Um passo a frente de todos. Segunda parte ~ TMJ do meu jeitoTMJ do Meu Jeito

sábado, 8 de fevereiro de 2014

LT#57 - Um passo a frente de todos. Segunda parte

Antes que começar a ler esse artigo, eu recomendo a leitura da primeira parte ou vocês vão boiar legal.
No artigo anterior eu defini o estado laico. O oposto disso é o estado teocrático, onde uma religião dominante define e interfere nas leis. Por exemplo: se a religião dominante proíbe alguma coisa, então isso é lei e todos devem seguir.

“Ah, mas e se eu for de uma religião diferente?”

Não interessa. Vai seguir do mesmo jeito porque é lei e você não tem que querer nada. Aliás, em um estado teocrático a liberdade de credo não existe ou é super controlada. Agora, num estado laico só segue a lei religiosa quem pertence a essa religião. Quem não pertence (ou mesmo quem pertence, mas não concorda), tem a opção de não seguir.

Pegaram o espírito da coisa? Num estado laico, nenhuma religião, crença ou filosofia é favorecida nem discriminada. Isso quer dizer que todos têm o mesmo direito e um não pode se sobrepor ao outro. A liberdade de um termina onde começa a liberdade do outro.

Tá. Mas o que isso tem a ver com os homossexuais? Pois bem. Como disse antes, um dos maiores argumentos contra é de que a religião proíbe. E por causa desse argumento, as pessoas acham que os homossexuais não devem ter os mesmos direitos que os heteros. Não podem ser mostrados na mídia, trocar afeto em público, casar, adotar filhos, etc.

Por causa de convicções religiosas, essas pessoas se acham no direito de impor suas crenças ao resto da sociedade e interferir na vida das outras. Sim, porque a partir do momento em que você diz que um grupo de pessoas não pode ter os mesmos direitos que os demais cidadãos, você está sim interferindo na vida delas.

Então, quando alguns leitores falaram que não deveriam ter mostrado o beijo entre Fábio e Edgar, eles disseram, ainda que indiretamente, que os homossexuais não têm o mesmo direito a visibilidade que os heteros têm. Afinal, vários casais heteros já se beijaram na Lulu Teen e ninguém falou nada. Mas um casal homo se beijou e muitos acharam ruim.

Mas ora, nossa constituição garante igualdade para todos e a laicidade do estado diz que uma religião não tem o direito de interferir na esfera pública ou de impor suas crenças ao restante da população.

Logo, se sua religião proíbe a homossexualidade, é direito seu acreditar que é errado. Mas você não tem o direito de impor essa crença aos outros, de interferir nas leis, na esfera pública ou de achar que as outras pessoas devem ter seus direitos violados só por causa das suas crenças.

Certa vez eu ouvi a seguinte frase: fé é que nem saliva. É bom ter, mas cada um que guarde para si. Ou então só compartilhe com quem estiver interessado.

Ninguém está querendo mudar os dogmas das religiões e nem seus livros sagrados. Porém, essas religiões também não têm o direito de interferir na vida das pessoas que não compartilham da mesma opinião.


Logo, eu não achei errado eles terem mostrado um beijo gay porque a editora da Lulu Teen tem pleno direito de publicar o conteúdo que quiser contanto que não inflija às leis e respeite a faixa etária da revista.

“Ah, mas isso me ofende, ofende minha religião, não concordo, não quero ver!”

Se for olhar aquilo que ofende as religiões, então nada poderia ser feito ou publicado, porque cada grupo religioso tem suas regras e se for para atender a um, tem que atender a todos. Isso sem falar dos ateus ou das pessoas que não tem religião nenhuma. E aí? Como faz? Será que sua religião é melhor do que as outras e portanto deve se sobrepor aos direitos de toda a população?

Por exemplo, tem religião que não permite a transfusão de sangue. Suponham que mostrem na Lulu Teen, ou TMJ, um personagem fazendo uma transfusão e esse grupo religioso fique ofendido, diga que não podem mostrar isso nas revistas, é ofensivo para eles, etc. Vocês iam aceitar isso?

Claro que para vocês seria um grande absurdo, porque sabemos que transfusão de sangue salva muitas vidas, mas para esse grupo religioso é uma questão importante, um tabu para eles da mesma forma que a homossexualidade pode ser para muitos de vocês.

Agora, já pensaram se esse grupo resolvesse interferir nas leis impedindo que as pessoas doassem e recebessem sangue ou que fizessem campanhas na mídia incentivando as doações? Ah, pois é!

Felizmente eles não podem fazer isso porque vivemos num estado laico. Se o fiel dessa religião não quiser receber sangue, problema dele, mas não pode de jeito nenhum impedir que outra pessoa receba. E de jeito nenhum vocês concordariam se esse grupo tentasse impedir os outros de receberem uma transfusão.

Usei esse pequeno exemplo para mostrar que a religião não deve interferir na vida as outras pessoas que não compartilham das suas crenças. Então, se você é contra porque sua religião proíbe, tudo bem. O estado laico te dá o direito de ter suas crenças. Mas isso é sua vida particular, suas escolhas. O mundo ao seu redor não tem que se ajustar a isso.

“Ah, mas quando é a maioria, eles têm direito de interferir sim!”

Não, não tem. O estado laico não é para a maioria. É para todos. Se fosse para a maioria, se chamaria estado teocrático ou ditadura mesmo.

“Ah, mas por que estão dando preferência aos homossexuais?”

Não se trata de dar preferência e sim de garantir que todos tenham seus direitos assegurados. Se duas pessoas do mesmo sexo se relacionarem, isso não vai ter nenhum impacto na SUA vida. Mas proibi-las de ficarem juntas só por causa da religião vai ter impacto na vida delas porque irá desrespeitá-las em seus direitos.

Bem, não vou me alongar demais porque já dei muita coisa para vocês pensarem. Como foi falado no início, esse texto não foi para fazê-los mudar de opinião ou achar a homossexualidade correta. Foi para que refletissem um pouco e entendessem que apesar de todos terem liberdade de crença e pensamento, essa liberdade termina onde começa a do outro. De jeito nenhum uma pessoa pode impedir que a outra viva a vida dela e tenha suas crenças só porque ela não concorda com seu jeito de ser e viver.

Se a pessoa não está infligindo nenhuma lei, machucando, ferindo, ofendendo ou prejudicando os outros, então ela é livre para viver a vida dela.



8 comentários:

  1. Homossexualidade nem deveria ser polêmico; fala sério, eles estão na deles, sem fazer nada, estão felizes, então pronto. Todo mundo merece ser feliz.
    Eu, hein. Pregam paz e união e mal convivem com o próximo pacificamente (¬_¬)
    Respeito as crenças de todos, mesmo que eu seja irreligiosa e mais pro lado da ciência, mas tem uns religiosos que realmente passam dos limites, poxa :|

    ResponderExcluir
  2. Na verdade, Mallagueta, eu não entendo porque a homossexualidade gera tanta polêmica. Como disse a Ana, quem é homossexual que viva na dele, sendo feliz, eu respeitando seu espaço e ele respeitando o meu, pois o direito de um termina onde começa o direito do outro.
    Sobre esse negócio da Bíblia proibir o relacionamento homossexual... O trecho que diz que eles são aberrações está no Velho Testamento. No Novo Testamento há uma parte que diz: "Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos depende toda a lei e os profetas". Então acho que os cristãos não sobre nenhuma das exigências do Velho Testamento (os próprios religiosos dizem isso). Não concorda que, se todos cuidassem das próprias vidas, o mundo não seria bem melhor?

    ResponderExcluir
  3. Eu não tenho nada contra, se eles decidem isso, quem vai contrariar. Isso não vai mudar nada, Lulu Teen vai continuar sendo boa

    ResponderExcluir
  4. Concordo, mas também não entendo o porque de tanta polêmica... Aff! Uma pessoa pode fazer e ser o que quiser, se não estiver machucando, ferindo ou infligindo alguma lei. Não acho certo tanta coisa assim. É como um casal hétero, o encontro de duas almas, nada mais. Será que isso é anormal? Não.

    As pessoas dizem cada vez mais que devem amar ao próximo, fazem movimentos a favor da paz, mas não conseguem conviver com os outros só por diferenças assim? Essa discriminação está totalmente errada.

    Respeito todas as religiões, mas não acho que deveriam usá-la como motivos de intervir no modo de vida do outro que não mantém essa crença. Como você disse, o Brasil é um país laico.

    Ainda bem que cada dia mais as pessoas se aceitam. Claro que ainda existe preconceito, racismo e discriminação, mas em menor escala... Isso ocorre devagar, mas ocorre :)!

    E sabia que a Petra Leão está interessada em usar o Caio na revista da Tina? Ele também é gay e acho que seria um bom passo.

    ResponderExcluir
  5. Turma da Mônica Jovem, sim, segundo a Petra o Caio aparecerá na nova revista da Tina, que a propósito terá uma abordagem mais adulta e diferente das revistas anteriores que eram mais "cômicas".

    ResponderExcluir
  6. Não vejo nada de errado na homossexualidade.Povo mais escroto que acha errado a pessoa amar e ser feliz.
    Mas gente,alguém sabe onde eu acho pra ler Turma da Mônica Jovem e Lulu Teen online?

    ResponderExcluir
  7. Eu concordo plenamente com tudo.
    E quando você disse que se fossemos pensar nas coisas que incomoda uma religião, tudo incomodaria. Tudo seria desrespeitoso...
    É que nem: Todos estamos acostumados em ver "Macumba" como algo negativo e as pessoas até usam a palavra como piada e zoam os outros como "Vou fazer uma macumba pra você" como se fosse algo ruim, mas nem sabem ao certo o que é ou do que estão falando, muitos acham que macumba é como "Magia-negra" e quem pratica são os espíritas, mas não sabem que o verdadeiro significado da palavra "Macumba" é "Um instrumento de origem africana", até onde eu sei, o espiritismos, (exemplo: candoblé e umbanda), não tem nada haver com macumba. Eles julgam todas as outras religiões que não fazem as "coisas de Deus" ou "As coisas certas" ou até "Coisas do bem" , isso porque, a religião brasileira que é a cristã (Não que todos sejam cristões, mas a maioria é) impõe o que é certo e errado, desde que Brasil é Brasil. Estamos falando de algo que vem desde a época que Pedro Alvares Cabral "descobriu" aqui, quando trouxe o catolicismo.
    No meu ponto de vista, homosexualidade, nos últimos anos é algo muito comentado e discutido, muitas pessoas se sentem incomodadas com isso, quando na verdade, não deveria ter todo esse "aue" quanto a homesexualidade, porque ela deveria ser considerada certa, normal.
    Mas esse "aue" todo, só acontece exatamente porque eles querem direitos iguais, eles querem poder andar de mãos dadas e se beijar em publico a vontade igual uma mulher e um homem fazem, e quanto mais as pessoas defensoras da homosexualidade falam, mais os religiosos e as "pessoas de direita" vão criticar e mais e mais as pessoas que defendem as causas dos direitos iguais vão defender e mais e mais o assunto vai aparecer na midia, parecendo que eles tem preferências, quando na verdade não é preferência, é só um modo de mostrar que isso é algo tão normal quanto a heterosexualidade.

    ResponderExcluir
  8. casais gays são mais fofos que casais heteros e também são mais shippaveis ( palavra que eu acabei de inventar )

    ResponderExcluir