Cinderela às avessas - capítulo 32: A Gata Borralheira desmascara a bruxa malvada ~ TMJ do meu jeitoTMJ do Meu Jeito

domingo, 2 de fevereiro de 2014

Cinderela às avessas - capítulo 32: A Gata Borralheira desmascara a bruxa malvada

Ler no Nyah
Ler no AnimeSpirit




A Gata Borralheira desmascara a bruxa malvada

Com a deixa, Cebola projetou a apresentação no grande telão do palco, mostrando um lugar vazio com aparência mal cuidada. Carmem apontou para a imagem e disse.

- Essa é a instituição do Criança Feliz! É pra essa instituição falsa que os Aguiar estão pedindo suas doações!

Outra imagem foi mostrada com o interior da casa.

- Essa instituição é falsa! Esses dois são uma fraude! Eles estão enganando todo mundo para roubar seu dinheiro!

Um murmúrio ecoou pela platéia, que mal acreditava no que ouvia. Rebeca levantou-se rapidamente e tentou subir ao palco. Mônica parou no seu caminho e a impediu.

- Senta aí, dona, e deixa ela terminar!
- Saia da minha frente sua dentuça! – Afonso também bradou e levou empurrão que o fez voar alguns metros de distância, indo cair em cima de algumas mesas.
- Já falei que daqui ninguém passa!

Carmem continuou falando.

- Eles são bandidos procurados pelo Brasil inteiro por aplicarem golpes nas pessoas! Essas máquinas de cartão de crédito estão adulteradas! Se passarem seus cartões nelas, serão todos clonados!
- Sua mentirosa! Nossa instituição te ajudou por todos esses anos e é assim que você agradece? – Rebeca gritou desesperada para reverter aquela situação.
- Mentira! Vocês nunca me ajudaram em nada! Eu comecei a trabalhar nessa casa no fim de novembro e vou dizer uma coisa: isso aqui é o inferno na Terra! Gente, esses dois são uns avarentos! Eles colocam correntes na geladeira e na despensa pra ninguém comer nada!

Ela foi falando sobre os absurdos que acontecia naquela casa enquanto várias pessoas expressavam sua indignação contra aquele casal de vigaristas.

- Eles nos tratam como escravos e regulam até a comida que a gente come! Nós trabalhamos feito loucos e eles só nos maltratam! Acham mesmo que pessoas assim são capazes de fazer caridade? Claro que não!

Todos começaram a vaiar os dois, que viam apavorados seu plano cair por terra. As imagens mostradas no telão, mais o depoimento de Carmem, não deixavam nenhuma dúvida de que eles eram uma farsa.

- Sua imbecil! Poderia ter se dado muito bem, agora vai pagar muito caro por nos trair! – Afonso falou ameaçador. – Vamos atrás de você e te pegar!

Vários convidados começaram a cercá-los liderados pelo casal Frufru.

- Se você encostar um dedo nessa moça, terá que se ver conosco! – Sr. Frufru falou tirando o terno e se preparando para a briga.
- Seus impostores! Confiamos em vocês! – Sra. Frufru disse indignada. – Vamos chamar a polícia, isso não pode ficar assim!

Cebola, Cascão e as garotas cercaram Carmem prontos para protegê-la. Ninguém ia agredi-la de forma alguma. Vendo que tudo estava perdido, o casal decidiu fugir dali o quanto antes. Foi quando se depararam com vários policiais entrando na festa. Um deles segurava um documento. Era um mandado de prisão.

- José silva e Marta Ribeiro, vocês dois estão presos por fraude, estelionato, extorsão e... parem agora mesmo!

Os dois tentaram correr o mais rápido possível em direção a garagem. Se conseguissem pegar o carro, poderiam fugir para bem longe.

(Carmem) – Eles estão fugindo!
- Ah, não mesmo! Nem pensar! – Monica pegou seu coelho, fez mira e o atirou com toda força. Rebeca foi atingida em cheio e arremessada contra Afonso que ia logo a frente. Os dois capotaram no chão atordoados com a pancada. Isso deu tempo para que os policiais os alcançassem.

Eles foram algemados e levados para a viatura aos gritos e berros. Rebeca, ou melhor, Marta gritava feito louca fazendo várias ameaças. Carmem só lhe deu um tchauzinho e até mandou um beijo com todo cinismo. Aqueles dois estavam recebendo o que mereciam.

Vários repórteres se juntaram para tirar fotos do grande fiasco daquela noite.

(Cebola) - Ô Mônica, como é que você trouxe o coelho sem eu ver?
- Haha, tenho cá meus truques.
(Cascuda) – Carmem, você arrasou com eles!
(Magali) – Nunca mais eles vão roubar alguém de novo!
(Cascão) – Mandou bem, foi sinistro demais!
- Obrigada, gente! Bom que tudo deu certo. Foi muita coincidência a polícia aparecer justo essa noite!
(Cebola) – Ainda bem que o Franja denunciou esses dois antes!
- Ai que babado! Tirei muitas fotos e gravei tudinho pro meu blog!

Todos pularam de susto quando se depararam com Denise segurando seu celular e rindo feito maluca.

(Mônica) – Denise? Como foi que você entrou aqui, mulher?
- A louca! Achou mesmo que iam me deixar de fora? Nunca! Ninguém segura Denise glamorosa, ninguém! Hahaha, agora vou ali ver os gatinhos da Super Zoom!

Denise correu atrás dos rapazes da banda, que tinham encontrado Marcos caído no meio de alguns arbustos. Ela tirou muitas fotos, pediu autógrafos de todos e até conseguiu uma pequena entrevista para seu blog. A escola inteirinha ia babar de inveja!

(Cascão) – Agora que tá tudo acabado, vou ali bater um rango que eu tô cheio de fome! Será que sobrou daquela comida gostosa?
(Magali) – Ai, eu também vou querer!
(Mônica) – Até eu vou comer um pouco, viu?
(Cebola) – E o peso? Eeeei! É só brincadeira, bate em mim não!

Eles se afastaram, deixando Cascuda e Carmem sozinhas. Os convidados foram se dispersando, revoltados com aquela farsa e ao mesmo tempo aliviados por não terem dado seu dinheiro a dois vigaristas.

- Puxa, estou orgulhosa de você!
- Obrigada.
- E agora, o que vai fazer?

Quando ia responder, Marlene chegou toda empolgada seguida por Cassandra e Rafael.

- Vocês não vão acreditar! O dono de um restaurante que vai abrir na cidade adorou minha comida e vou ter uma entrevista com ele amanhã! Posso virar chefe de cozinha!
(Carmem) – Gente, que maravilha!
- Isso não é tudo! – Rafael falou mal contendo a emoção. – O dono da gravadora viu nosso show e adorou!

Cassandra também estava muito feliz e emocionada.

- Ele quer nos contratar e disse que vamos fazer muito sucesso! Vai até nos dar um bom adiantamento!
- É incrível! A gente esteve perto o tempo inteiro e nem percebemos que juntos somos muito melhores! – ele falou abraçando a namorada e lhe dando um grande beijo na frente de todos.
(Carmem) – Agora vocês não vão ter que trabalhar mais nesse campo de concentração!
(Marlene) – Não mesmo! Vou agora juntar minhas coisas porque não quero ficar nessa casa horrível nem mais um dia!
- É mesmo, vamos juntar nossas coisas também! – Cassandra sugeriu.
- Com o adiantamento que vão nos dar, poderemos ficar numa pensão até arrumarmos um lugar definitivo.

Os três se afastaram dali mais felizes que nunca. Suas vidas tinham dado uma grande guinada e dali para frente tudo ia dar certo. Cascuda estranhou aquela seqüência de acontecimentos.

- Como é que tudo foi dar tão certo assim nessa noite?
- Ué, milagres acontecem!
- Milagres... não, espera! Isso não pode ser... Carmem, a tal estrela apareceu de novo pra você?
- Apareceu essa noite. Não é demais?
- Demais? Você poderia ter desejado voltar a sua antiga vida e gastou seu desejo! Por quê?

Ela deu um sorriso e falou com a voz tranqüila.

- Eles precisavam mais do que eu.
- Ah, amiga... você fez isso por eles? Abriu mão do seu único desejo?
- Tá tudo bem, sério! Lembra do que a Ramona falou? Só dá pra pedir o que nosso coração quer. Eu não teria conseguido pedir outra coisa e tô muito feliz com isso.

Cascuda lhe deu um abraço afetuoso e falou comovida.

- Puxa, isso foi tão legal! Obrigada pelo que fez pro meu primo! Agora a carreira dele vai decolar junto com a Cassandra!
- De nada, amiga.
- Não se preocupe, vou fazer de tudo pra te ajudar, viu? Você não vai ficar na mão.
- Quem sabe a Marlene não me arruma um trabalho no restaurante? Eu limpo o chão como ninguém!

Apesar das lágrimas, Cascuda acabou sorrindo. Quem podia imaginar que Carmem seria capaz de tamanho gesto de generosidade? Mesmo sabendo que era sua única chance de reencontrar seus pais, ela abriu mão para ajudar outras pessoas.

- Melhor você ir lá pra casa. Vou conversar com meus pais pra eles te deixarem ficar por um tempo. Também vamos ver se dá pra você voltar a estudar. Quer dizer, não vai dar pra ser no colégio do Limoeiro porque é particular, mas podemos arrumar uma escola pública.

As duas estavam indo embora quando encontraram um casal elegantemente vestido. Eram os Frufrus. Carmem sorriu para eles achando que só queriam cumprimentá-la por sua coragem. Por isso ela quase caiu de susto quando sua mãe lhe falou lhe dando um abraço afetuoso.

- Ah, filhinha! Estamos tão orgulhosos de você!
- Quanta coragem! Você desmascarou aqueles vigaristas e evitou que todos fossem enganados!

Ela ficou totalmente muda e os olhava sem acreditar. Foi com muito custo que conseguiu balbuciar algumas palavras.

- V-vocês e-estão me reconhecendo? De verdade?

6 comentários:

  1. Adorei! E uma coisa: esse é o penúltimo capítulo? Que pena que vai acabar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda não, esse é o antepenúltimo capítulo, a Fanfic acaba no Capítulo 34! :D

      Excluir
  2. O.o - Ok,ok... Fiquei muito surpreso! Ao extremo... #IMPRESSIONADO

    ResponderExcluir
  3. Ei Mallagueta, adorei o capítulo, realmente foi uma bonita reviravolta haha...
    Eu vim te perguntar se você já viu o "Na próxima edição" da revista 66, e queria saber o que acha sobre isso, pode escrever uma resenha com sua opnião? Obrigada.
    Bjos, Cora

    ResponderExcluir
  4. Que fanfic incrível ! acompanho desde o dia em que estreou

    ResponderExcluir