TMJ#66: A Brigada dos Ossos Cruzados (parte 2) - Críticas ~ TMJ do meu jeitoTMJ do Meu Jeito

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

TMJ#66: A Brigada dos Ossos Cruzados (parte 2) - Críticas

Então chega o fim de mais uma saga. Uma saga tão esperada após meses só com mimimi de adolescente (tirando a Ed. 63, claro).

Comparando com as histórias anteriores, essa foi realmente muito boa porque saiu do lugar comum. Eles foram para o espaço, enfrentaram uma vilã para lá de cruel, teve lutas, massacres, muitos tiros, etc.

A história já começou com a Mônica e a Magali quebrando o pau na taverna e dando uma surra nos piratas. Engraçado foi aquela piadinha do sujeito reclamando que não podia dormir sossegado depois de pilhar um planeta honestamente. Mas é folgado, hein? E sabe, a primeira coisa que eu pensei ao ver aquelas garçonetes foi que a roupa delas parecia um pouco com a da D. Morte. Até que achei original.

Em cenas assim, eles sempre mostram as garçonetes de outros planetas, com aparência de alienígena e muitas vezes roupas bem reveladoras. Dessa vez fizeram diferente, como outras partes nessa história. Eles até mostraram algumas coisas que até então são inéditas na TMJ.

Uma delas, claro, foi a Cabeleira Negra cuspindo sangue por causa de uma doença grave e sem cura. Quer dizer, mostraram uma pessoa que estava quase com o pé na cova, era só questão de tempo.

Outra novidade foi terem mostrado o extermínio daquele povo do planeta dos monges. Claro que não mostraram tudo explicitamente, mas deu a entender que muitos estavam sendo mortos. Não, eu não sou sádica para gostar de ver pessoas morrendo, mas confesso que isso é novo na TMJ.

A parte boa começa quando ela resolve destruir o planeta dos monges num ataque descontrolado de fúria. Então a Mônica não agüenta mais ver isso e decide agir. Finalmente uma boa ação com muita luta, drama, suspense, tiro e pancadaria!

E foi impressionante ela estar pilotando aquele robozão sozinha e conseguir controlar numa boa. Viram como ela também é inteligente? Como sempre, o Cebola ficou de mimimi “ain, meu plano, vai estragar, nhenhenhe”. Sempre os planos, sempre! Pois é, se o plano desse errado, como ele ia fazer gracinhas para a Xabéu?

Para dar mais impacto, a Xabéu também aparece para ajudar com outro robô bem diferente. Aí começa o sofrimento para a Mônica que vê o Cebola se derretendo todo para ela. Doloroso foi ouvi-lo falar que sempre estaria com a Xabéu, esquecendo até da presença dela.

Muitas coisas ficam bem tensas nessa história, como o Franja passando aperto por não poder invadir todas as naves e Magali se oferecendo para se sacrificar por todos ligando o sinal anti-quântico. Devo dizer que foi bem dramático mesmo, inclusive as lágrimas dela com o pensamento de que pode ser a última vez que irá ver seus amigos.

E o drama não pára por aí não! quando a coisa fica feia e a Xabéu é atingida, o Cebola vai correndo ajudá-la, fazendo com que a Mônica sofresse mais ainda. Rapaz, foi sinistro mesmo. Será que ele chegou a fazer respiração boca-a-boca nela?

Imagino como deve ficar a cabeça de uma garota ao ver o rapaz de quem gosta se preocupando tanto com outra e nem dando bola para ela. Entendo que isso deu mais drama, mas também confesso que foi de embrulhar meu estômago já tão enjoado do drama desses dois.

O pior é que eu cheguei a ficar com a esperança de que depois disso, a Mônica finalmente fosse tomar vergonha na cara. Sim, sou muito otimista apesar de tudo.

Enquanto isso, Magali se sacrificou para ligar a onda anti-quântica e foi de partir o coração vê-la sendo atingida em cheio. Tem que ter coragem para se sacrificar assim.

Falando em sacrifício, para mostrar que a Mônica não é uma pessoa egoísta e nem vingativa, ao ver que os dois estavam em perigo, ela se colocou na frente deles para receber o tiro. Deve ter sido nessa hora que o Cebola caiu na real. Nessa hora até fiquei surpresa por ele ter deixado a Xabéu de lado para ir até ela.

Só que ele é capturado pela Cabeleira, que achou que ele era alguém importante (sic). Aí as coisas, que pareciam estar bem encaminhadas, desandam de vez. Magali está muito mal e com dor, Mônica foi abatida, as naves iam se recuperar dentro de algum tempo e Cabeleira estava por cima da carne seca de novo. E agora? Fim?

Mas então algo acontece. Quando a nave pirata suga as relíquias do planeta, a Mônica vai junto. Só não entendi direito o que ela murmurou enquanto estava sendo sugada. Não sei se foi algum problema na impressão, mas não entendi o que quer dizer “Descla...”. E será que ela era mesma ou era nessa hora que o Tesouro estava tomando conta do seu corpo talvez falecido?

Ah, e quem mais achou fofo o Astronauta se preocupando com a Xabéu e um início de clima surgindo entre os dois? Até rolou uns abraços mais para frente! Confesso que torço pelos dois.

Outra surpresa foi ver o Cebola chorando por causa da Mônica, para variar. Geralmente é ela quem chora por ele. Finalmente equilibraram um pouco as coisas! Até fiquei com um pouquinho de pena dele. Bem, um pouquinho só. E devo admitir que minha antipatia até diminuiu um pouco ao ver como ele se mostrou arrependido pela forma como a tratou.

Enquanto isso, na sala do tesouro, alguma coisa estava saindo das pilhagens. Parecia o corpo da Mônica, mas alguma coisa tinha acontecido. Mais suspense, apesar de a gente já ter imaginado que devia ter algo a ver com o tesouro. Afinal, a nave sugou tudo o que o planeta tinha de valioso e a Mônica foi junto, não é?

Até o Cebola percebeu como ela era importante. E nobre também. Enquanto ele só se preocupa consigo mesmo e seus planos, ela se importa com as outras pessoas e até se sacrifica por elas.

Também gostei de ver como ele tomou vergonha e tentou lutar de verdade ao invés de ficar só nos planinhos e enfrentou a Cabeleira cara a cara, apesar de ela ser forte demais para todos eles.

Então, quando tudo estava quase perdido, eis que a Mônica entra de forma dramática e impactante como deve ser numa boa história de ação. Só que não era exatamente a Mônica, apesar de ter o corpo dela. Parecia um ser de energia.

Outra surpresa. Eu imaginava que o tesouro fosse algo assim mais abstrato, mas pelo visto era uma entidade viva e pensante. Algo que de qualquer forma a Cabeleira não ia saber identificar.

O final, com o Tesouro dando lição de moral na cabeleira e explicando o porque ela estava doente, foi mesmo de arrepiar. E ele tem razão, sabiam? Maldade, sentimentos ruins, fazer mal aos outros, tudo isso volta para nós mesmos em forma de doenças e várias outras coisas. Tudo tem retorno nessa vida. Pensem bem nisso.

Quando soube que a cura estava em ter mais compaixão pelas pessoas e reparar o mal que tinha feito, a Cabeleira quase teve um treco e morreu ali mesmo. Mas, como a vontade de viver parece maior do que qualquer outra coisa, parece que ela vai mesmo tentar se redimir.

Se bem que isso não deixa de ser um equivoco. Quer dizer, é bom ela reparar o mal que fez, fazer boas ações, etc. Mas se isso não for sincero, se for com um interesse por detrás, não sei se vai adiantar de muita coisa para ela. o que importa é a mudança de mentalidade, algo que vem de dentro. Mas esse pode ser um bom começo. Afinal, ninguém muda de uma hora para outra.

Quem sabe ela não volta em outra edição e a gente fica sabendo se houve ou não mudança?

No fim, eu pensei que o Tesouro fosse trazer a Mônica de volta, mas parece que dessa vez ela morreu mesmo. Realmente uma coisa inédita! Primeira vez que um personagem chega a morrer de verdade. E nesse caso, nem o Cebola conseguiu bolar um plano para resolver tudo. foi preciso que o Cascão usasse o cérebro (Uia! Ele tem cérebro!) e desse uma boa solução.

Claro que para isso o Cebola teve que passar por um pequeno teste. Desejar conquistar o mundo ou ter a Mônica de volta? Escolher o mundo teria acabado com toda a TMJ, já que a Mônica não ia voltar nunca mais, certo? Então ele a escolheu e também desejou que tudo voltasse ao normal e... tchan! Tudo voltou ao normal mesmo!

Os cinco voltaram ao limoeiro, Magali recuperou dos ferimentos, Mônica “ressuscitou” e tudo ficou numa boa, com Cebola prometendo que não ia perdê-la de vista nunca mais. Bom... pelo menos até outra garota mais bonitinha aparecer, né? Sem querer ser estraga prazeres, mas todos nós sabemos que daqui a umas edições tudo vai se repetir.

Acho até que esse drama dos dois pode ser dividido em 6 fases:

Fascinação: Cebola fica babando pela outra garota, ignorando os ciúmes da Mônica.
Distanciamento: por pensar só na outra garota, ele deixa a Mônica de lado sem se importar com os sentimentos dela.
Ciúme e sofrimento: a Mônica sofre, sente ciúmes e até briga, mas não adianta nada.
Conformidade: ela resolve não lutar mais e deixar de lado. Nesse momento até pensamos que ela tomou vergonha.
Caindo na real: alguma coisa acontece e Cebola acaba voltando para ela.
Reconciliação: ela perdoa, os dois fazem as pazes e tudo fica bem.

Depois de algumas edições, o ciclo recomeça...

Agora, para ser sincera esse final ficou meio... Dragon Ball, quando eles faziam um desejo para as esferas do dragão, todos ressuscitavam e tudo ficava bem. Uma solução mágica, mirabolante, mas ainda assim foi boa e convincente.

Bom, agora que essa fase acabou, mês que vem temos uma história centrada na Magali e no Cascão. Será que vai rolar alguma coisa? Será? Falarei mais disso quando lançar meus palpites sobre a Ed. 67. Aguardem!

14 comentários:

  1. Você ficou em dúvida do que a Mônica tinha dito certo? Deve ter imprimido mal na sua revista, na verdade ela diz "Cebola..."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aff, preferia ter ficado na dúvida mesmo. O cara age como um traste o tempo inteiro e ela ainda fica pensando nele?

      Excluir
    2. O meu também está mal imprimido, e aqui entre nós, mesmo prestes a morrer ela pensa nesse traste que só "Vai namorá-la se derrotar ela", a Mônica tem que acordar, ela chora fica triste e o Cebola sempre sai na mesmice.

      Excluir
  2. Mallagueta, se você leu online esta edição pode me enviar por email?? É que eu procuro e não encontrp em site nenhum, se der o meu email é esse: lulu.neinda@gmail.com.

    ResponderExcluir
  3. Mallagueta, também não estou encontrando a revista, se leu online, pode me mandar o link por favor? Obrigada, Cora. coraliine92@gmail.com

    ResponderExcluir
  4. Quando vi a última cena da revista quase vomitei. Sempre termina numa promessa vazia que não vai mudar nada.
    E a Magali? Eu acho que a Magali merecia muito mais ter o desejo para ela do que o Cebola, porque afinal ela estava disposta a se sacrificar pelos outros, só que o autor da história esquece dela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dá náusea porque a gente sabe que daqui a algumas edições, o Cebola vai fazer tudo de novo. Já cansei disso.

      Excluir
  5. Gosto muito das suas críticas e como você, Mallagueta, também tenho esperanças de que um dia a Mônica desencane do Cebola de uma vez e faça a fila andar. E sabe por que ele a trata assim? Por que ele sabe que ela sempre vai perdoar e relevar todas as mancadas que ele der e que ela vai continuar esperando por ele. Muitos podem até achar que é amor demais, mas eu penso que, o amor-próprio tem que vir em primeiro lugar, pois se você se ama, outras pessoas poderão te amar também. Enquanto ela continuar se martirizando por causa dele ele vai brincar com os sentimentos dela. Eu só espero que, depois dessa edição, ele realmente tenha dado mais valor a ela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente, não tenho o seu otimismo. Eu tb pensei, no fim da ed. 52, que o Cebola ia tomar vergonha na cara e olha o que ele aprontou na 54. Não acho que a ela vá desencanar porque é o drama deles que faz vender revistas.

      Sem falar que toda vez que a Monica tenta por a fila pra andar, acaba sempre quebrando a cara no final. Se for pra ser assim, melhor deixar quieto mesmo.

      Excluir
  6. Mallagueta eu percebi que não é nem a primeira vez e nem a segunda que Mônica controla um robô, é a terceira. A primeira foi na edição 3, que ela controla o Coelho de Ferro

    ResponderExcluir
  7. mallagueta se você leu online poderia me mandar o link
    não encontro em lugar nenhum .desde ja agradeço adoro o seu blog
    o e-mail e lsamuelsa@gmail.com.

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Não sei onde ler.. Pode me ajudar, por favor ? :T

    ResponderExcluir