O Emerson está transformando o Cebola em vilão? ~ TMJ do meu jeitoTMJ do Meu Jeito

sábado, 28 de março de 2015

O Emerson está transformando o Cebola em vilão?

Depois do meu post anterior O Cebola é um vilão? surgiu outro questionamento de que o Emerson é quem está vilanizando o personagem. Bem... eu sei que as histórias do Emerson não são unanimidade. Tem leitor que adora, tem leitor que detesta. Mas no geral todos ficam satisfeitos porque também temos as histórias da Petra e do Cassaro, que trazem variedade.

E querem saber de uma coisa? Eu adoro as histórias do Emerson. Também tem uma quantidade enorme de fãs que adoram e a movimentação do facebook dele prova isso muito bem. Dentro do que é proposto, as histórias dele são ótimas. Podem não ser perfeitas, isentas de defeitos e furos porque isso é muito difícil. Mas dentro do possível, elas são sim muito boas.


“Ain, mas o Emerson está transformando o Cebola em vilão.”

Eu já expliquei em post anterior que a idéia de que a MSP está transformando o Cebola em vilão simplesmente não faz sentido. Na saga dele eu digo a mesma coisa.

“Ain, mas na ed. 79 o Cebola destrói o futuro.”

Na ed. 48 também e ninguém ficou de mimimi-mómómó por causa disso. Nesse caso foi pior porque ele fez isso sem usar máscara nenhuma.

No meu post anterior eu expliquei isso muito bem explicadinho, mas vou tentar detalhar mais aqui:

As máscaras da Berenice fizeram com que os espíritos perdessem o lado humano, os sentimentos e a empatia pelas pessoas. Uma pequena explicação que pode ser meio chatinha, mas a meu ver é necessária.

A mente humana é dividida em Id, Ego e Superego. ID vocês conhecem. O Superego representa os valores e normas sociais. É nele onde estão os conceitos de certo e errado, moral e imoral que a gente vai aprendendo ao longo da vida. Quando fazemos algo errado, o Superego nos pune com o remorso e peso na consciência. Ele também procura inibir os impulsos do ID e nos levar a um ideal de perfeição. Já o ego meio tenta conciliar as duas coisas, mas explicar isso aqui é desnecessário.

Saindo um pouco da psicologia e entrando num campo mais transcendental, dizem que também temos um eu superior. É meio difícil definir o que significa. Dizem que é o nosso “Ser Maior”, a verdadeira Luz que cada um “é” ou “deveria ser”. Também chamam de Cristo interno e é nele onde fica nossa sabedoria, capacidade de amar, ter empatia, compaixão, solidariedade e nos empurra em direção ao crescimento tanto pessoal como espiritual. Claro que isso vai depender das crenças de cada um, porque a existência do eu superior está ligada a existência da alma e nem todos acreditam nisso.

Pois bem. Com base nessa explicação, o que aconteceu com a turma quando eles colocaram as mascaras da Berenice? NA MINHA OPINIAO PESSOAL (que não é infalível e pode não estar correta), essas máscaras bloquearam o superego deles (aquele que nos deixa de acordo com os conceitos de certo e errado dados pela nossa sociedade). Em um sentido mais espiritualista, essas máscaras também bloquearam o eu superior deles, tirando os sentimentos de compaixão, empatia e amor ao próximo.

Isso aconteceu com a Mônica, Cascão e até com a meiga e doce Magali. Então era de se esperar que acontecesse com o Cebola também. Isso explica, inclusive, por que ele mandou um exército para eliminar a Mônica e as outras garotas. Essa parte do Cebola, sem o superego e o eu superior, não tinha mais nenhum sentimento por ela.

Uma vez que a máscara bloqueou seu superego e o eu superior dele, então não havia mais nada que pudesse detê-lo. Todos nós temos um lado sombrio ou o ID. Só que esse lado não nos domina totalmente por causa do nosso superego. No caso daqueles que colocaram a máscara da Berenice, o superego (e certamente o eu superior) foi bloqueado. Sem ética, sem empatia, sem consciência moral, sem compaixão. Está dando para acompanhar até aqui? Alguma dificuldade? Não? Beleza.

Aquele Cebola malvado do futuro era apenas o lado sombrio dele que, sem o superego avaliar o que era certo ou errado, estava livre para se manifestar sem nenhum tipo de limite ou controle. E sem o eu superior, também não havia compaixão nem empatia pelas pessoas a quem ele prejudicava. É como se o ID dele tivesse ficado livre para agir, sobrando apenas uma criatura que agia somente visando seus interesses sem nenhum tipo de consciência pelo próximo. Basicamente, um psicopata.

Conclusão: aquele vilão futuro não era o Cebola em sua totalidade. Era apenas o seu lado sombrio e ganancioso agindo livremente sem nenhuma consciência para controlá-lo. Está aí a minha explicação para a suposta “vilania” do Cebola nas histórias do Emerson.

Quando falaram dos defeitos dele em Umbra, falaram desse lado sombrio, o ID, coisa que todo mundo tem e o Cebola não é exceção. Mas isso não quer dizer que ele estava sendo vilanizado ou colocado como um sujeito perverso e totalmente distante da luz. Alguém precisava dizer a verdade para ele, fazê-lo cair na real e perceber seus defeitos de uma forma mais profunda e consciente. 

O mais engraçado é que nas ed. 51, 52 e 63 o Emerson fez o Cebola ter uma personalidade bacana. E mesmo em Umbra, ele mostrou ter consciência dos seus atos, chorou, se arrependeu, entendeu que tinha feito coisa errada e até se sacrificou para salvar o mundo da Berenice. Mas isso ninguém viu, né? Ou no máximo apontam apenas como uma contradição, como se uma pessoa fosse somente boa ou má, nunca as duas coisas.

É como dizem por aí: temos luz e trevas dentro de nós. O Cebola tem trevas dentro dele sim (Mônica, Cascão e Magali também tem), mas isso não o transforma em vilão porque ele escolheu seguir a luz, escolheu arrepender, ter consciência dos seus atos e pensar nas outras pessoas. Sabe, as vezes acontece de um personagem fazer algo errado e arrepender sinceramente. Meldels, isso não é coisa do outro mundo, não tem nada de sobrenatural, estranho, absurdo ou contraditório. O Emerson não é o primeiro roteirista da história da humanidade a fazer esse tipo de coisa.

Se é intenção da MSP fazer o Cebola trilhar um caminho para a melhora e evolução, então nada mais
normal do que mostrar o lado ruim dele primeiro. É preciso que a pessoa tenha consciência desse lado sombrio e do que pode acontecer caso ele se manifeste sem controle. Se não tivermos consciência desse lado, não seremos capaz de controlá-lo. A pessoa deve conhecer esse lado, entender, se harmonizar com ele. Só assim ela poderá romper com essas sombras e evoluir.

Claro que a saga dele ainda está no começo e eu não sei quanto tempo vai durar. Muita coisa pode acontecer. Mas fiquem tranqüilos que o Emerson não vai destruir a TMJ e nem levar a MSP a falência. Ele não está estragando nada, está acrescentando, complementando e dando diversidade que a revista precisa. As histórias dele têm humor, emoção, suspense, coisas que nem imaginamos ver nas histórias dos outros roteiristas.

E vamos lembrar de uma coisa: todo roteiro produzido, seja do Emerson ou de qualquer outra pessoa, tem que ser aprovado pelo Maurício. Então saibam que o Maurício leu as histórias dele e viu tudo o que foi feito com o Cebola. E mesmo assim aprovou. Roteirista nenhum publica a história sem aprovação dele, tenham isso em mente.

Tenham em mente também que o Maurício foi responsável pela criação da turma da Mônica, um ícone nacional que faz sucesso há 50 anos. Ele também é responsável pela criação da TMJ, uma revista que chegou a desbancar a DC Comics. Nenhuma lambança ou time sem capitão teria chegado tão longe e acho que o Maurício deve saber uma coisa ou duas sobre história em quadrinhos, certo? É como dizem por aí: avaliamos a árvore pelos seus frutos. 

Com base nisso, eu confio sim no julgamento do Maurício. Claro que ele não é infalível, não é Deus e está sujeito a erros como qualquer ser humano, mas imagino que alguma experiência e capacidade ele deve ter e isso o torna perfeitamente apto a avaliar e aprovar a saga do Emerson. Sem falar que por detrás dele também deve ter uma equipe inteira. Será que são todos burros e incompetentes então?

E não vamos esquecer que foi o Mauricio quem criou o Cebola e por isso deve saber, melhor do que ninguém, o que faz ou não parte da personalidade dele. Se ele aprovou as ed. de Umbra e a 79, podemos concluir que também aprovou a forma como o Cebola foi mostrado.
Ninguém é obrigado a gostar das histórias do Emerson, então sintam-se livres para odiá-las com todas as suas forças. Mas tenham em mente que gosto pessoal não é fato e nem verdade absoluta. Só porque vocês não gostam de algo não significa que seja ruim, fadado ao fracasso, lixo, etc. É apenas algo de que vocês não gostam. Afinal, eu também não gosto de jiló e nem por isso fico achando que é algo ruim, errado, lixo ou que um restaurante pode ir a falência por servir algum prato feito com jiló. É apenas um gosto pessoal meu, mas se aparecer alguém elogiando o jiló e falando maravilhas dele, por mim tudo bem. Posso conviver com isso numa boa.  

46 comentários:

  1. Sua opnião é otima! As histórias do Emerson são um misterio mesmo,mas ele não é capaz de transformar o Cebola num vilão,pois ele só está de arrependendo das mancadas dele é normal nao? ^^

    ResponderExcluir
  2. A questao nao e perseguir e odiar. O Emerson esta acabando com a personalidade de personagens que fazem parte da infancia das pessoas a mais de 50 anos. Ta certo que ele gosta de mexer com o imaginario das pessoas e quebrar tabus e polemizar. Mas por favor tudo tem limite!! Transformar os personagens principais em viloes DESNECESSARIO. Acredito que eu e muitas pessoas leem a tmj a fim de ver e ler coisas divertidas uma continuacao da TM. Se eu quisesse ler terror e fim do mundo ia ler HQ do walking dead!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc leu o post? Pra responder o que vc disse, eu teria que falar novamente tudo o que já falei e acho que meu post já está muito bem detalhado e explicado.

      Excluir
    2. Lili,concordo com vc.

      O problema todo está justamente no Emerson

      E essa separação do Cebola com a Mônica deu a ele a deixa perfeita pra fazer isso que ele está fazendo agora com o Cebola,transformando ele no vilão que vemos agora.

      Destoa completamente dos outros roteiristas que estão mostrando o Cebola que nos habituamos a ver e que está no caminho do amadurecimento tão esperado.

      Excluir
    3. Leia as edições 75,76 e 79,Marcelo.


      Aí vc vai entender.

      Excluir
    4. Vinícius, tudo isso aí que vc falou já está explicado no texto. A Ed. 79 é apenas o relato de um futuro que já foi mudado pelas ações em Umbra. Além do mais, acho que o meu texto já explicou exaustivamente sobre o efeito da máscara sobre quem usa.

      Nas ed. 75 e 76 o Cebola arrependeu. O Cebola chorou. O Cebola pediu perdão pra Mônica. O Cebola se sacrificou pra salvar a humanidade. E mesmo a Monica tendo ficado zangada com ele no fim, ele entendeu a posição dela e não ficou ressentido, porque viu que ela tinha razões pra estar chateada.

      Eu ainda não entendo por que vcs ignorarm tudo isso e se apegam somente ao que Creuzodete e os outros falaram. As ações dele na história deveriam valer mais do que as palavras e opiniões dos outros personagens a respeito dele.

      Excluir
    5. Eu já li, mas realmente a ed. 79 não conta. As eds. de UMBRA, realmente... Não foram vilanices, foram erros que depois foram CORRIGIDOS...

      Excluir
    6. Mally, é o ponto onde insisto que há falta de coerência num mesmo roteirista. O que a Creuzodete disse não pode ser entendido como uma opinião pessoal, mas como a leitura que uma vidente seria capaz de fazer do íntimo de uma pessoa. Com a lista de "credenciais" que ela fez do Cebola, seria impensável que ele sacrificasse sua vida, mesmo que fosse para corrigir uma lambança sua.
      .
      Quanto a chorar e pedir desculpas e compreender a posição da Mônica, foi só o jeito pífio que o Emerson encontrou para encaixar a sua Umbra no momento presente. Para mim não faz o menor sentido, pois os espíritos da Umbra já haviam aparecido e alertado a turma. Mesmo assim todos ficaram. Aí a ocultação deles que o Cebola fez já não tinha a menor relevância.

      Excluir
  3. Oi Mally! adorei post!
    e concordo com td o que vc disse, o Cebola não é vilão, o Emerson é um exelênte roteirista!
    adoro as histórias dele que são 1.000.000.000.000 de vezes melhor que as da Petra!

    e essas imagens que vc colocou do Cê no post ficaram muito lindas (ficou muito gatinho) rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não acho as histórias do Emerson necessariamente melhores que as da Petra. São apenas estilos diferentes. É bom lembrar que ele não tem as mesmas restrições que ela.

      Excluir
    2. Péssimo isso.

      Petra e quem deveria ter mais liberdade pra suas histórias. Ela e muito melhor que o Emerson na minha opinião.

      Excluir
    3. Cara vc e fã do cebola e da monica ń
      Só o jeito de defender a criatura já dá pra ver mas falando sério se vc e fã deles não importa o q aconteça o q ele faça pise na bola e tals não devia detestar a Petra pois foi ela que separou os dois, acho que vcs q amam o cebola e a Mônica odeiam emerson por isso pelo fato de que ele possa separar os dois sério gente vcs podiam parar com essa mania de moxdc ou moxce e curtir as histórias sem esse drama
      Claro acho q vc tem o direito de ser fã do cebola como quiser mas sério precisa disso????

      Excluir
    4. O Emerson coloca o Cebola praticamente como um herói em Umbra, que aceitou se sacrificar por um tem maior e ainda assim galera insiste em dizer que ele está sendo vilanizado.

      Pelo que eu sei, vilões não choram, não se arrependem, não tem peso na consciência, não reconhecem seus erros e muito menos são capazes de se sacrificarem pelos outros.

      Excluir
    5. Anna,amore não detesto a petra!
      somente gosto mais do Emerson do que dela só isso amore!
      eu falo porque sou fã desde 2009 coleciono!♥♥

      Vilão o Cê nunca foi, porq nunca vi vilão chorar como a Mally disse ! ✿◕‿◕✿

      Excluir
    6. Não falei q o cebola e vilão e sim porque estão fazendo esse drama por causa dele

      Excluir
    7. Ser mostrado com um lado ruim o lado ID como a malagueta disse...entenderam não estou dizendo q ele é um vilão apenas não entendo porque esse drama de ele ser mostrado com esse lado sombrio quer dizer todo mundo sabe que o cebola tem esse lado ganancioso e manipulador então porque o choque com ele num futuro alternativo esse lado ter vindo a tona na forma da máscara

      Excluir
    8. vc não prestou atenção em nada que eu disse né flor???
      exatamente o choque não foi causado só por ele ser mal no futuro, mais eu acho que sim por causa daquelas ultimas páginas!
      A Mô lá casada com o DC!
      Acho que isso que causou esse debate todo! e é só um futuro alternativo msm pode acontecer ou não!!

      Excluir
    9. Acho que não, Krislane. Parece que essa parte de a Mônica casando-se com o DC nem foi comentada. O que achei ridículo nessa é ela falar que se sentia comprometida a ficar com o Cebola por causa DOS OUTROS. Sentia-se pressionada porque diziam que os dois combinavam superbem, que eram o casalzinho prometido... E daí sua birra para com ele, etc e tal.
      NADA A VER. Mônica sentia ciúmes, raiva ao vê-lo de olho comprido para outra moça, mágoa com o jeito dele, tinha o seu coração partido e finalmente desencanou-se quando seu limite foi atingido. Parece que o Emerson é um roteirista de ação, mas não entende muito de justificar romances...

      Agora temos uma coisa: há um ditado que diz que "a ocasião faz o ladrão", certo? ERRADO! A ocasião REVELA o ladrão. Essa jogada toda o Emerson aí, de fazer os há muito tidos e havidos por bonzinhos na TMJ subtamente virarem vilões de uma hora para outra, atribuindo a um mágico poder manipulador do Cebola mascarado... Sei lá o que vem pela frente, mas o Emerson vai ter muito trabalho. Ou não, pois pelo que vi da Umbra, coerência não é o seu forte.

      Excluir
    10. Marcos,novamente me vejo obrigado a concordar com vc.

      Excluir
  4. Concordo com tudo.

    Na UMBRA, o Cebola errou. Pronto. Ele não ia amadurecer de um dia pro outro só porque perdeu a Mônica, né? E, sim, ele é ganancioso e tudo mais que a Creuzô falou. Mas está se esforçando para mudar, tanto que pediu perdão à Mônica (finalmente! o/) quando morreu rapidamente. Se não estivesse mudando, não teria pedido é nada.

    E a ed. 79, não tenho o que falar. É a mesma coisa que usar a ed. 50 para dizer que Mônica e Cebola são predestinados. Se fossem usar a ed. 79 para "ain, o Cebola virou vilão, o Emerson tá transformando ele em vilão", teriam que usar as eds. 75 e 76 dizendo "ain, o Emerson transformou Mônica, Cascão e Magali em vilões". Acho que as pessoas não se tocaram disso ainda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falou tudo cara só Pq ele tá sendo retratado como é ....Oi?
      Não quer dizer q está condenado a ser vilão, pois monica cascao e magali também foram mostrados como maus por causa das máscaras na umbra

      Excluir
  5. Mally: Podem não ser perfeitas, isentas de defeitos e furos porque isso é muito difícil. Mas dentro do possível, elas são sim muito boas.

    Marcos: Exatamente por esses defeitos e furos serem facilmente percebidos e facilmente corrigíveis, bastando chamar mais gente para ver, opinar e revisar, as histórias poderiam ficar ainda melhores...

    Mally: Na ed. 48 também e ninguém ficou de mimimi-mómómó por causa disso. Nesse caso foi pior porque ele fez isso sem usar máscara nenhuma.

    Marcos: Ao que parece o Cebola desta dita edição quis fazer um Mundo melhor e o conseguiu através de nano-robôs que CURAVAM as pessoas. Mas ficou preocupado com o potencial destes robôs agirem independentes e terem seus próprios planos (planos... sempre eles). Essa preocupação, salvo engano, surgiu já na primeira história de ficção científica sobre robôs... Nada se cria, tudo se copia. Pois bem, quis o Cebola inventar um sistema que manteria os nanitas sob controle, mas _ aí vem a licença poética ruim _ fez isso usando uma central "muito parecida com a Mônica", mas que estranhamente só pegou o que havia no Id dela.
    Licença poética sem lógica, sem pé, nem cabeça. Fazer o que, né?

    Mally: aquele vilão futuro não era o Cebola em sua totalidade.

    Marcos: boa proposição a sua, mas se isso acontecia com o Cebola, também acontecia com a Mônica, Magali e Cascão. Não achou estranho eles quererem voltar aos seus corpos e só o Cebola não? E em seus corpos, só a Mônica permaneceu como a Mônica que conhecemos. A Magali ficou pinel com todo o seu poder místico e o Cascão pegou os poderes do Feio e agora também quer dominar o Mundo. E o Franja, o Do Contra, o Quim & Cia Bela, gente que nunca foi famosa pela ganância, navegaram na do Cebola mascarado, a ponto de romper com as garotas que amavam. Alguém tem que dar MUITAS explicações para essa vilanização geral dessa gente boa. Alguém aí chama o Emerson?

    Mally: Quando falaram dos defeitos dele em Umbra, falaram desse lado sombrio, o ID, coisa que todo mundo tem e o Cebola não é exceção.

    Marcos: Nos meus tempos de bancos escolares, vi um livro de Português que na sua parte literária mostrava a coerência e a incoerência de textos. Apresentava-se um aluno como sendo desbocado, relapso, desatento, burro, etc e tal, mas no texto em que ele expressava seu pensamento, esse saía como o de uma pessoa sensata, lógica e de boa educação. Isso era apresentado como um exemplo de "texto incoerente".
    É a mesma coisa que observei quando o Emerson colocou a Creuzodete listando o egoísmo, orgulho e ganância do Cebola NO MAIS ALTO GRAU. Afinal ela estava falando do Cebola (ego+superego+id) ou só do id dele? Não está claro isso. Aqui o trecho da saga torna-se INCOERENTE. Como eu disse, todos sabemos que o Cebola tem orgulho, vaidade, egoísmo e ganância, tudo isso ligeiramente acima da média, mas ainda assim não o compromete como uma pessoa possível de se conviver.

    Mally: Ou no máximo apontam apenas como uma contradição, como se uma pessoa fosse somente boa ou má, nunca as duas coisas.

    Marcos: A contradição não é essa, Mally, e sim é que o Cebola é apresentado como um ultramegatera egoísta, orgulhoso, corrompido pela ganância e, APESAR DISSO, foi capaz de sacrificar sua vida em vez de pular fora e tentar achar alguma outra solução pro problema sem ter de morrer para isso... Essa de o Cebola ter um lado bom e outro ruim vimos muitas vezes em várias das edições (citei como exemplo o caso do Caderno do Riso). Agora fica sem sentido apresentar um cara com péssimos defeitos muito extremados e agir contra o que se esperaria de uma pessoa portadora deles. É a isso que chamamos INCOERÊNCIA.

    Mally: Sabe, as vezes acontece de um personagem fazer algo errado e arrepender sinceramente.

    Marcos: Exato! É o que estamos vendo com relação ao Cebola e como está tentando se reformar na esperança de reconquistar a Mônica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcos vc já pensou q se o cebola conseguiu dominar o mundo a capacidade de manipulação dele deve ter aumentado a tal ponto de fazer alguém desistir da pessoa que ama

      Excluir
    2. Quem leu a ed. 48 deve lembrar do relato da Monique, onde ela diz que o Cebola ficou centrado demais em ser rico e poderoso a ponto de deixar a Monica de lado.

      E o próprio Cebola do futuro confessou que tinha feito aquilo pra ter CONTROLE sobre a monica original. Logo, não podemos dizer que ele tinha 100% de boas intenções.

      Não achou estranho eles quererem voltar aos seus corpos e só o Cebola não?

      Isso foi muito bem explicado na história: ao ver que a máscara aumentava muito sua inteligência, o Cebola decidiu ficar como estava porque essa era sua passagem pra dominação mundial.

      E em seus corpos, só a Mônica permaneceu como a Mônica que conhecemos. A Magali ficou pinel com todo o seu poder místico e o Cascão pegou os poderes do Feio e agora também quer dominar o Mundo.

      Não temos nenhum detalhe sobre como Magali descobriu seus poderes e nem como o Cascão herdou os do Capitão feio. Essas lacunas serão preenchidas em edições futuras. Sim, dói até a alma não ter o que queremos exatamente agora, mas fazer o quê? O jeito é esperar.

      Afinal ela estava falando do Cebola (ego+superego+id) ou só do id dele?

      Uma vez que nosso lado mais sombrio reside no ID, acho que a resposta está mais do que óbvia. Como falei no texto, o superego trata de nos ajustar a sociedade, nos colocar de acordo com as regras. Que sentido teria a Creuzodete falar desse lado do Cebola?

      Agora fica sem sentido apresentar um cara com péssimos defeitos muito extremados e agir contra o que se esperaria de uma pessoa portadora deles. É a isso que chamamos INCOERÊNCIA.

      Incoerência seria se o Capitão Feio se sacrificasse pelo bem da humanidade.

      Como falei no meu texto MUITO CLARAMENTE, todos temos luz e trevas dentro de nós. O lado que se manifesta depende da nossa escolha. Então não vejo incoerência nenhuma o Cebola, apesar de ter um lado sombrio forte, escolher seguir a luz porque Creuzodete não falou em momento algum que o lado sombrio é o mais forte ou dominante. Ele pode sim ter um lado sombrio forte, mas o lado iluminado pode ser mais forte ainda.

      No caso do exemplo que vc deu, acho que o seu livro não levou em consideração uma coisa muito importante: as pessoas podem fingir ser aquilo que não são. No caso do aluno relapso e grosseiro, isso pode ser uma forma de se proteger, de passar a imagem de valentão.

      Ele ser desbocado, relapso, desatento e burro pode ser apenas um julgamento das pessoas que o olham superficialmente sem saber como ele é por dentro. Sabe, muitas vezes eu me passava por valentona e grosseira na escola pra me proteger porque eu sofria bullying constantemente. Logo, não há incoerência nenhuma um aluno aparentemente "burro" (de acordo com padrões arbitrários, aliás) ser capaz de escrever um bom texto.

      Exato! É o que estamos vendo com relação ao Cebola e como está tentando se reformar na esperança de reconquistar a Mônica..

      E mesmo assim insistem em dizer que o Emerson o está desenhando como um vilão.

      Excluir
    3. O mal dessas sagas futuristas, Mally, é que elas não têm apoio na continuidade. Então essa TMJ 48 retrata uma situação em que Cebola e Mônica nunca romperam quando jovens, chegaram a namorar, mas na idade adulta, Cebola deixou a Mônica de lado para se dedicar à sua ambição. E com isso ela acabou desistindo dele.
      Mas a sua ida ao futuro e o retorno ao passado mudou alguma coisa, pois a Monique, que não era descendente dele, teve um repente de dislalia e caiu a ficha: podia ser coisa de família. Então agora era seria descendente do Cebola também. Seria esse o jogo: por perder a Mônica agora, o Cebola aprendeu a fazer da ambição a sua serva e não senhora? E aí então ele reatará com a Mônica em futuro próximo?

      Mally: Isso foi muito bem explicado na história:

      Marcos: Na verdade NADA foi bem explicado. Quem fez os espíritos voltarem aos corpos foi a Magali e o talvez o Cebola não tivesse como resistir a isso. Mas o pior dessa licença poética é que os corpos já teriam sido comidos em umas duas semanas pelos bichos da terra. Isso se estivesse em estado de morte clínica, mas se foi só um sedativo para fazê-los dormir, então morreriam sufocados minutos após o enterro.

      Mally: Não temos nenhum detalhe...

      Marcos: É... não temos nenhum detalhe de porque Cascão e Magali TAMBÉM SE TORNARAM VILÕES. Tá uma vilania geral por aqui.

      Mally: Uma vez que nosso lado mais sombrio reside no ID, acho que a resposta está mais do que óbvia.

      Marcos: Pode estar óbvia para você, mas não para um leitor comum, que nada sabe de Psicologia e ainda mais com nossos jovens e crianças cada vez mais emburrecidos pelo método Paulo Freire de Educação.
      Desculpe-me, Mally, mas não tem o que salve a lambança por aqui. Ao carregar tanto nas tintas, o Emerson fez aquilo que tenho dito: um gêmeo maligno do Cebola. Minha queixa é que em tudo que vemos anteriormente da TMJ, NADA indica que o Cebola teria aqueles defeitos nos níveis pintados. Ele é uma pessoa cujos defeitos aparecem, mas ainda assim o tornam uma pessoa capaz de conviver em sociedade. O lance da máscara aí, parece-me chupado do Jornada nas Estrelas. Há um capítulo na série clássica onde é encontrada à deriva uma nave da Terra, onde dentro havia um grupo de humanos geneticamente modificados para serem mais fortes e inteligentes... mas o efeito colateral foi um aumento nas ambições.

      Mally: Incoerência seria se o Capitão Feio se sacrificasse pelo bem da humanidade.

      Marcos: Não me consta que NENHUM dos vilões da TMJ teve algum momento de seu cotidiano mostrado. Nem o Toni, nem o Feio, nem nenhum outro foi visto em alguma história no dia a dia normal, como vemos usualmente nos protagonistas. Daí então não sabemos se eles só têm lado sombrio e nenhuma luz...

      Mally: as pessoas podem fingir ser aquilo que não são.

      Marcos: Quando um texto é narrado em terceira pessoa (é o caso das histórias em quadrinho), o autor sabe e pode dizer as características do personagem. Narrado em primeira pessoa, é através da fala e atos do personagem que os leitores compõe a sua personalidade. Então o Emerson ao narrar o que a Creuzodete pintou do Cebola, gera uma incoerência nos seus atos, já que ela não falou que todo aquele lado sombrio dele esbarrava na dignidade que tinha formada em seu superego. Compreendeu?

      Excluir
    4. Continuando a resposta:

      Mally: Logo, não há incoerência nenhuma um aluno aparentemente "burro" (de acordo com padrões arbitrários, aliás) ser capaz de escrever um bom texto.

      Marcos: aproveitando esse seu texto, vou ilustrar o motivo da ruína do nosso sistema de ensino. Está na palavra INCLUSÃO. Agora a moda é incluir os incompetentes. Assim para que os alunos "burros" não se sintam desvalorizados, então passa-se tudo por decreto e os potencialmente inteligentes ficam lá ouvindo música ou jogando paciência, pois já ouviram duas dúzias de vezes o professor falar a mesma coisa, já que o aluno retardado mental não consegue entender nada. Mas o retardado tem que estar ali junto dos outros, pois colocá-lo numa classe para burros é descriminação, humilhação, desvalorização, EXCLUSÃO. E o Método Paulo Freire é contra isso.
      Vamos na contramão dos países que formaram gênios, pois os alunos inteligentes eram aproveitados e estimulados ao máximo e que se danem aqueles que só têm potencial para serem grandes gênios intelectuais esquerdistas, cujo requisito fundamental é o excesso de burrice.

      Mally: E mesmo assim insistem em dizer que o Emerson o está desenhando como um vilão.

      Marcos: Tá difícil, Mally. O Emerson parece estar retratando uma realidade alternativa e tentando encaixá-la na nossa, mas não leva jeito para a coisa. Fez a Umbra numa época em que o Cebola e Mônica estavam de boa. Quando foi pro prelo, estavam rompidos e não soube o que fazer quanto a isso. Inventou que por causa do trabalho de escola, Mônica resolveu dar uma trégua na briga, mas isso não justifica ela se mostrar tão de boa como se mostrou. Para repor o rompimento, inventou que o Cebola escondeu a informação sobre os Filhos da Umbra, pois pretendia filmá-los e ficar famoso... Que piada! Não havia motivo algum para ele esconder essa informação e os Filhos da Umbra apareceram e mandaram picar a mula, pois um deles ia morrer se ficassem. E mesmo assim, TODOS ficaram. A suposta omissão do Cebola tornou-se irrelevante diante disso.
      Emerson mais perdido que cachorro que caiu da mudança.

      Excluir
    5. Anna: Marcos vc já pensou q se o cebola conseguiu dominar o mundo a capacidade de manipulação dele deve ter aumentado a tal ponto de fazer alguém desistir da pessoa que ama.

      Marcos: IMPROVÁVEL Anna. Para isso seria preciso que a dita pessoa tivesse mais amor a bufunfa, poder, orgulho, fanatismo, etc e tal, do que amor por alguém.
      Fica uma coisa estranha: Franja e Do Contra descartaram suas namoradas, mas a troco de quê? Quim virou um ciborg assassino e sem coração. Agora o Xaveco e as moças não navegaram nessa manipulação. Qual foi o milagre?

      Excluir
    6. Marcos,tirando a parte do Paulo Freire,concordo com vc.

      Excluir
    7. E na edição 48,os personagens futuristas sequer jogam ou esfregam no Cebola tudo de ruim que ele fez e nem o tratam com ódio,desprezo e rancor.

      E tampouco o tratam abertamente como vilão ou jogam isso de maneira mais aberta ou dissimulada,bem diferente do que os diálogos da Creuzodete e principalmente do Xavecao nas edições 75 e 76 mostraram.

      Excluir
    8. Veja mais do Paulo Freire aqui: http://religiaoeveneno.org/discussion/2767/um-retrato-da-nossa-educacao/p3#Comment_70250

      Excluir
  6. Continuando:

    Mally: Se é intenção da MSP fazer o Cebola trilhar um caminho para a melhora e evolução, então nada mais normal do que mostrar o lado ruim dele primeiro.

    Marcos: Nada a ver, Mally. A única coisa que fez o Cebola repensar o seu lado ruim foi a perda da Mônica. Para ir ao encontro do seu pensamento, a saga Umbra e suas continuações deveriam ter vindo antes dos Jogos Mortíferos.

    Mally: Mas fiquem tranqüilos que o Emerson não vai destruir a TMJ e nem levar a MSP a falência.

    Marcos: Tudo tem o seu começo, meio e fim. Há momentos em que editoras e personagens entram em decadência, ficam por baixo, podendo sumir, reaparecer ou se reerguerem quando nova gente talentosa aparecem para lhes dar nova vida. A minha queixa com o Emerson é a sua falta de flexibilidade para lidar com as mudanças de rumo, mesmo tendo tendo de sobra para isso. A saga Umbra é um exemplo típico disso. Foi concebida antes do rompimento Mônica-Cebola, mas no seu grosso transcorre como ele não tivesse acontecido. O clima entre ambos é todo legal e doce. Eu, pouco depois de lê-la, já tinha pensado num ajuste para o momento atual. E três meses depois já tinha outra proposta mais azeitada. Se eu, que não sou roteirista, consegui isso, por que o Emerson não conseguiria?

    Mally: Nenhuma lambança ou time sem capitão teria chegado tão longe e acho que o Maurício deve saber uma coisa ou duas sobre história em quadrinhos, certo?

    Marcos: Sendo essa uma direta para mim, vou defender o meu peixe. Lambanças na Umbra não faltaram e já falei delas. Por time sem capitão, eu entendo a falta de costuras entre as histórias. Então Mônica e Cebola romperam e deixaram de se falar. Aí o Emerson, incapaz de lidar com essa situação, inventa que voltaram a se falar e se darem MUITO bem só por causa de um trabalho de escola e voltam à última forma quando ficam sabendo que ir a Sococó foi um plano do Cebola para ficar famoso filmando fantasmas... Minhas cachorras inventariam razões melhores. Aí vamos para uma Academia de Ninjas, onde Cebola e Mônica voltam a se falar e aparentemente a se darem bem, mas no final acaba com a Mônica com cara de bacia por ter sido injusta com o Cebola. E aí vamos para as Férias na Praia, onde ao invés da Mônica se mostrar envergonhada ao ver o Cebola, ela está é com raiva por ele estar seguindo-a com sua cara de cachorro abandonado... É aí que está faltando um capitão no time, Mally, alguém que COSTURE as histórias.

    Mally: Ninguém é obrigado a gostar das histórias do Emerson, então sintam-se livres para odiá-las com todas as suas forças.

    Marcos: Olha, eu até GOSTEI das histórias do Emerson. Foram ótimas as da TMJ 51, 52 e 63. Mas uma boa história pode ficar prejudicada por erros grosseiros e apresentação confusa, descasada, licenças poéticas ruins, implausíveis, etc e tal. Que foi o caso da Umbra e dessa sequência.

    É isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A única coisa que fez o Cebola repensar o seu lado ruim foi a perda da Mônica. Para ir ao encontro do seu pensamento, a saga Umbra e suas continuações deveriam ter vindo antes dos Jogos Mortíferos.

      A perda da Monica foi o início de tudo, o gatilho da mudança. Só que nem tudo nele se trata somente da Mônica. A ed. 37, um mundo diferente, mostra uma realidade paralela onde tem um Cebola ambicioso que chantageava a turma inteira pra ter controle de tudo. E naquele mundo a MOnica tinha se mudado do bairro quando criança, então ele passou a infância inteira longe dela.

      E ele só mudou seu jeito de ser quando o restante da turma o confrontou com seus defeitos. Mais uma vez, nada a ver com a Monica.

      Logo, em Umbra é normal que ele fosse confrontado com seus defeitos sem que isso tivesse nada a ver com a Monica. O universo dele não tem que girar ao redor do umbigo dela.

      Sobre suas queixas das histórias do Emerson, eu simplesmente não vejo nelas nada tão grave a ponto de levar a TMJ à destruição. Lembre-se de que o roteiro é analisado não só pelo Maurício como tb pela filha dele e deve ter mais uma equipe inteira por detrás disso. Lembre-se de que o Maurício construiu um império inteiro com a TM, logo deve saber mais dessas coisas do que nós dois juntos.


      Excluir
    2. Mally, TMJ 37 é ponto fora da curva. Uma realidade alternativa onde o Cebola cresceu sem a Mônica a partir dos 7 anos. É coisa que não nos interessa para o momento de agora.

      Na Umbra, muito prejudicada pelos seus pontos falhos, o Cebola NÃO FOI confrontado com seus defeitos: simplesmente tentou remediar o que causou pela sua arrogância.

      Não estou dizendo que a falta de competência do Emerson em tornar suas histórias RECENTES mais apresentáveis vá destruir a TMJ. Há outros roteiristas mais talentosos para contrabalançar isso.

      O Maurício e a Mônica não estão mostrando competência à altura para analisar e aprovar os ditos roteiros, pois se estivessem, não teriam passados tantos erros e coisas sem nexo. Aí é como eu disse: tem de haver um trabalho em equipe e catar essas falhas.

      Você deveria ver o filme Pirates of Silicon Valley, que conta como surgiram a Apple e a Microsoft. Bill Gates, quando tomou conhecimento da interface gráfica no computador Lisa, da Apple, decidiu fazer coisa igual e para tanto foi à Apple oferecer seus serviços e assim conseguiu protótipos do MacIntosh. Com base nele, criou uma interface gráfica em cima do DOS e foi justamente num momento de glória para Steve Jobs que este descobriu que fora enganado. Gates teria comentado ao pegar aqueles protótipos que Jobs via o que acreditava e não a realidade e se não tomasse cuidado, arruinaria todo o seu império. Bem, o futuro mostrou que ele se recuperou e até conseguiu superar a Microsoft pouco antes de morrer.

      No caso do império do Maurício, ele não é nada comparável ao caso acima. Ninguém pode usar os personagens que ele criou sem pagar os direitos e certamente nenhuma editora conseguiria publicar nada com esses personagens, mesmo pagando. Aí é que está a real força dele. Por isso é pouco provável que esse império vá ruir tão cedo, mas isso não é desculpa para falta de cuidado com o que publica.

      É isso.

      Excluir
  7. Não sei de onde as pessoas tiram que o Emerson está tentando transformar o Cebola em vilão, sério mesmo, fico me perguntando as vezes. Pra quem lê e acompanha todas as edições sabe que o Cebola não é vilão nem aqui nem na China, vai me dizer que vilão se arrepende,chora, pede desculpas, reconhece seu erro, tem remorso??? Gente acho que estão esquecendo a definição de vilão. O Cebola tem sentimentos, sempre que faz um burrada, ele se arrepende, ele reconhece, ele pede perdão, se sacrifica pra tentar resolver, e vamos lá quem nunca errou?
    Gente as edições do Emerson traz emoções, situações fora do Limoeiro, explora vários personagens, lógico que acontecem coisas que não são reais mais estamos falando de uma revista de quadrinhos né?!
    Adolescente passam por aventuras, situações novas, descobrem amores, ficam em dúvida sobre quem gostar, separa namoro, reata namoro, são adolescentes gente, adolescentes tem trocas constantes de humor, passam por varias situações, e tem gente quer que todas as edições girem em torno deles se divertindo no Limoeiro. Eles não são mais a TM, são a TMJ, passam por dúvidas, por estresses, defendem o mundo, fazem cagadas, se arrependem, amam, quebram corações, isso é adolescência, não entendo mesmo mesmo o pessoal querendo que eles retratem só aventuras corriqueiras, deles acordando, saindo pro shopping, alguma coisinha ali alguma coisinha aqui e pronto final da revista. É lógicoooooo que é muito legal uma edição mostrando eles indo ao shopping, romancinho, ciuminho, indo a praia, rindo, zuando, mais gente também é muito legal edições emocionantes, com aventuras, com personagens se destacando, e gente sempre tem humor no meio, eu racho o bico no meio de tudo pegando fogo a denise tirando sarro. Gente o Emerson é muito bom, e o Cebola não é e nunca foi um vilão, e muito menos estõ transformando ele em tal.
    E para aqueles que dizem que a separação da Mo e do Ce ajudou pra transformar o Cebola em vilão, pior ainda, o Cebola percebeu que está perdendo a Monica e está lutando para reconquista-la, reconhecendo seus erros e se arrependendo pelo que fez, que vilão faria isso gente?
    Se ele não está com a Mô (eu super mega torço por eles juntos) é porque no momento ele não mereceu, e alguém está fazendo bem pra ela, bem que ele não estava fazendo no momento. Ueh gente, até parece que todo mundo no mundo namorou só uma vez na vida.
    Bom essa é minha opinião respeito a de todos :)

    ResponderExcluir
  8. Quer saber? Aqui vai minha última tentativa de convencer essa pessoal que o Emerson não tá transformando o Cebola em vilão.

    Primeiro, vamos entrar na mente dele.

    Até a ed. 67, ele achava que a Mônica ia esperar por ele, era ganancioso (demais), ambicioso, com devaneios de conquistar (leia-se “melhorar”) o mundo. Aí, vamos lá... BUM. Ele perde a Mônica e nota seus defeitos. Resolve mudar, mas um passo de cada vez. Ao ver Docônica junto, o Cebola às vezes não se aguenta e começa a soltar seus veneninhos (como vemos na ed. 77), o que prova que ele ainda pode errar. Ele é HUMANO.

    “Minha ex-namorada tá namorando com ele, se não fossem meus erros ela ainda poderia estar comigo... É, vou tentar melhorar.” Passam-se as eds. 70 a 73. “Nossa, o prof. mandou um documentário e eu vou fazer com meus amigos? E com a Mônica? AI, QUE MASSA! Sobre o que poderíamos fazer?” Aí o doido vê na internet qualquer coisa sobre os Filhos de Umbra em Sococó da Ema. “Gente, nós poderíamos fazer sobre essa lenda da Jumenta, enfrentar os fantasmas... eu podia ficar famoso! o/ Mas... e se a turma não quiser? Ain... vou ter que mentir pra eles...? Tá, tá, ok, só uma mentirinha de nada. Eles podem até gostar de enfrentar esses tais fantasmas.” Vendo por esse lado, eu não achei nada demais nele ter mentido pra turma. Sim, ele errou, mas eu tô falando da contradição...

    Aí, vamos lá... a Creuzô disse que o Cebola tinha o coração corrompido pela ganância, e tals, e tals... Convenhamos que ela exagerou, mas ninguém muda da noite pro dia e ele está num processo de amadurecimento, é normal que cicatrizes dos erros ainda persistam. Aí vem a Menina do Lago.

    “Putz, é tudo culpa minha... :P O que eu faço? A Jumenta vai devorar minhas tripas e a do resto do mundo!!” Aí vem o Porta-Voz dizendo que não conseguiu usar toda a força vital contra a Jumentina. “Pera... Eu também tenho a marca!! Eu posso ajudar! Mas, pera... aí eu morro... Hum... Bom, melhor só eu do que eu e o mundo, né? Isso, vou me sacrificar pelo mundo! o/”

    Quanto à ed. 79, pequenos gafanhotos, ele tava sob o efeito da máscara. “Ain, mas ele quis ficar e a turma quis voltar!” Os Guardiões devem ter cansado de ser espíritos (ok que eles tinham amado, mas, gente, o mundo é volúvel), e sem a Bisa Berê resolveram voltar mesmo, achando que quem sabe continuariam a ser maus (na mentalidade tola deles, como o Cebola fez o favor de lembrar na ed. 76). Só que o Cebola tinha uma mente enorme com a máscara e pensou... “Nada disso! Sem essa máscara, minha inteligência vai por água abaixo e eu volto a ser aquele cara bobão que quer mudar e ser melhor... Melhor é dominar o mundo com essa minha inteligência e meu poder de manipulação! o/”

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pedrozo: Ao ver Docônica junto, o Cebola às vezes não se aguenta e começa a soltar seus veneninhos (como vemos na ed. 77), o que prova que ele ainda pode errar. Ele é HUMANO.

      Marcos: Pedrozo, isso se chama falta de costura entre as histórias devido à falta de flexibilidade dos roteiristas (Emerson principalmente) e falta de senso de oportunidade dos mandantes da MSP em escolher que história entra agora. Essa Academia de Ninjas era para vir bem depois. Não era o momento. Cebola e Mônica estão rompidos e NÃO DEVIAM SE FALAR. Mas o Emerson não soube o que fazer quanto a isso e fez a Umbra como se fosse coisa antes do rompimento e a termina com Mônica e Cebola não se falando mais (e por uma bobagem muito implausível). Aí entra essa Academia onde Mônica e Cebola voltam a se falar. Termina com a Mônica chorando por ter acusado o Cebola de ter planejado algo que não planejou. Aí começa Férias na Praia e a Mônica entra brava no quarto da Denise e se queixa que o Cebola ficava no pé dela, olhando-a com aquela cara de cachorro abandonado, com cara de picolé de chuchu. Em vez de brava, a Mônica deveria é estar com vergonha do que fez na história anterior. Alguém entende esse salseiro?

      Pedrozo: “Nossa, o prof. mandou um documentário e eu vou fazer com meus amigos? E com a Mônica? AI, QUE MASSA! Sobre o que poderíamos fazer?”

      Marcos: Mais uma lambança do Emerson: por que a Mônica haveria de querer fazer um trabalho de escola com o Cebola quando tinha o DC à sua disposição? E ainda podia se juntar com a Cascuda, com a Magali e fazer um grupo de peso. Deixasse o Cebola se virar com o Cascão ou no máximo com o Xaveco, Jerê ou Titi...

      Pedrozo: Aí o doido vê na internet qualquer coisa sobre os Filhos de Umbra em Sococó da Ema. “Gente, nós poderíamos fazer sobre essa lenda da Jumenta, enfrentar os fantasmas... eu podia ficar famoso!

      Marcos: Peraí: onde é dito que os tais fantasmas eram perigosos? Depois de levar uma do Xavecão no queixo, Cebola diz que NÃO SABIA QUE ERA PERIGOSO. Na verdade o perigo não estava nos fantasmas e sim na Berenice...

      Pedrozo: Mas... e se a turma não quiser? Ain... vou ter que mentir pra eles...? Tá, tá, ok, só uma mentirinha de nada. Eles podem até gostar de enfrentar esses tais fantasmas.” Vendo por esse lado, eu não achei nada demais nele ter mentido pra turma. Sim, ele errou, mas eu tô falando da contradição...

      Marcos: Essa mentira não tinha a menor razão de ser. Pra começar, eles acreditariam tão depressa que eram fantasmas de verdade? Se iam documentar uma festa folclórica, no que é mais lógico crer: que eram fantasmas de verdade ou gente caricaturada que davam sustos nos turistas?
      Na remota possibilidade de o Cebola acreditar que seriam fantasmas de verdade e, pior ainda, que ficaria famoso por filmá-los (quem ficou famoso por filmar fantasmas, só teve a fama de passar ridículo), então deixaria a Mônica fora dessa, pois ela tem medo de coisa sobrenatural. Aliás foi por não atinar para isso que ela se encheu dele.

      Pedrozo: Convenhamos que ela exagerou, mas ninguém muda da noite pro dia e ele está num processo de amadurecimento,

      Marcos: Olha, a verdade é que NUNCA vi o Cebola em história alguma antes dessa última mostrar-se como a Creuzodete o pintou. Alguma coisa está errada. Que o Cebola teria aqueles defeitos evidentes, todo mundo sabia, mas nunca ultrapassou o nível do companheirismo e preocupação com os amigos. Nunca passou por cima deles sem se importar, pensando apenas no que ganharia de poder ou domínio. O máximo do que vi foi no Caderno do Riso.

      Pedrozo: Bom, melhor só eu do que eu e o mundo, né? Isso, vou me sacrificar pelo mundo! o/

      Marcos: Um Cebola pintado pela Creuzodete faria isso? Emerson se perdeu. Gastou muito papel e tinta à toa e faltou explicar essa contradição.

      E quanto à 79, vai ver que foi só um gesto de desespero do Emerson em mostrar o material que tinha e como faltava papel, o jeito foi jogar de qualquer jeito...

      Excluir
  9. ID, que saudade do ID, era tudo mais fácil na época dos monstros do ID (e não falo isso só por que sou CexMo), eles complicaram demais as histórias, desde a edição 50 eles já estão sem saber o que fazer, essa é a verdade, e só piorou a partir dai. (Leia-se, eles arrastaram Mônica e Cebola com a história do casamento, e agora estão arrastando Mônica e Do Contra com a história desse namoro...)
    Histórias de aventura são boas? São. Lutinhas são boas? São. Terror é bom? É. Mas eles estão focando muito nesse tipo de coisa, TMJ está se tornando como qualquer Mangá japones.
    Na minha opinião, o Cebola não está sendo retratado como vilão, ele está sendo tratado como o personagem dramático e cheio de mimimi. Cebola não é um vilão, é um coitadinho. Um pobre sofredor que tenta provar algo pra Mônica, pra si mesmo ou sei lá o que.
    O Emerson está transformando o Cebola em vilão? Não, está transformando ele em uma criança mimada (assim como os outros roteiristas) , que segue sempre o mesmo círculo vicioso: Faz algo dito ruim (mais ou menos ruim, ou muito ruim, algumas vezes), insiste no erro, percebe que fez uma burrada, se arrepende, paga de herói, vira um pobre sofredor, e quando a gente acha que vai começar a melhorar, duas edições depois começa tudo de novo.
    E OUTRA: É Turma da MÔNICA Jovem, mas o que mais se vê é Cebola e Denise (não que eu não adore eles), daqui a pouco esses dois vão formar um casal e mandar a Mô pro time dos personagens secundário.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meewy, focando demais nisso COMO? As histórias da Petra são cotidianas, e só vemos as do Emerson poucas vezes ao ano. Essa mega saga foi uma excessão, se você não percebeu. E além do mais, a revista é/era um mangá. A menos que fosse shoujo, aquele romancinho não é mangá, além de ser chato pra caramba. Eu amo romance, mas enjoa.
      Além do mais, Cebola está passanso por um processo importante e por isso aparece mais. Podemos dizer que o destaque dele é necessário. E a Denise só aparece assim, importante, nas histórias do Emerson.

      Excluir
    2. Meewy eu realmente não intendo esse foco excessivo no Cebola ,mas na Denise é e Xaveco é justamente por que ele são os coadjuvantes dos coadjuvantes,muitas vezes esquecem que eles fazem parte da Turma da Mônica, e roteiristas como o Emerson tentam mudar isso,como você pode perceber que só agora na edição 79 que nós vimos a primeira aparição do Humberto.

      Excluir
  10. Oi, Mally! Gostei do seu texto. Eu não acho que o Cebola seja um vilão, apesar de tudo. Mas já que estamos falando desse assunto...O que achou da fala da Denise na última página da 79? Ela teria se tornado uma vilã depois que ficou presa na "Casa Fora Do Tempo"? Não deixa de ser uma teoria, hein?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talvez por ter ficado presa na casa fora do tempo, ela pode ter visto o futuro onde a serpente chegou e detonou com tudo. Depois de ver isso, ela pode ter perdido toda a esperança no futuro e agora não liga pra mais nada.

      Excluir
  11. Devo ser a única maluca... Mas até que iria preferir o Cebola como vilão. É verdade que o Emerson não está transformando-o... E também acho que o próprio Maurício não iria permitir tal coisa. Estou empolgada com TMJ justamente por conta dessas ultimas aventuras, cheia de poderes, lutas e fantasia;as pessoas não deviam se importar com essas "mudanças" ou com o "lado ruim" deles. Afinal, boas histórias possuem bons conflitos, não é mesmo? E vamos combinar: a maioria dos conflitos, mesmo nas histórias focadas em romance, o Cebola é quem causa! Ele é problemático! (costumo dizer isso). Seria legal se ele piorasse e virasse um vilão (sei que muitos fãs me matariam por isso hahaha). Belo post!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se já tem gente reclamando só por apontarem os defeitos do Cebola nas histórias, se ele for transformado em vilão de verdade esse pessoal vai acabar se matando de vez. Melhor deixar como está mesmo.

      Excluir
    2. Sabe, Camila, aí já seria uma adulteração do personagem. Ele deixar de ser aquilo que nos acostumamos a ver durante as séries clássica e TMJ. O Cebola usualmente tem combatido vilões e agora vai virar um? Fica algo completamente estranho e é isso que não estou gostando muito na forma de como o Emerson está colocando a coisa.
      Vamos ver o que ele tem a nos dizer. Vai que por exemplo não seja o espírito do Cebola que está dentro da máscara, mas sim o espírito da filha da Berenice? Mesmo assim ficou absurdo o Quim, Franja, Cascão, Magali, Do Contra & Cia Bela virarem todos bandidos por conta de uma suposta manipulação. Por que a Mônica, o Xaveco e a maioria das garotas não embarcaram nessa? Qual a receita desta imunidade?

      Excluir