TMJ#94 - Dentuça, eu?: Palpites ~ TMJ do meu jeitoTMJ do Meu Jeito

sábado, 21 de maio de 2016

TMJ#94 - Dentuça, eu?: Palpites


Já saiu a capa da ed. 94 e... er... bem...

A sinopse falou o seguinte:

Para se curar de uma estranha doença, Mônica se vê em um difícil dilema: para curar-se, precisará aceitar um tratamento que modificará totalmente a sua aparência.

Confesso que eu tenho uma tendência a levar as coisas meio que literalmente. Se me falarem que uma pessoa ficou doente, vou imaginar algo como gripe, sarampo, dengue, zica, whatever... Jamais vou pensar que ela só precisa colocar aparelho nos dentes. Mas entendo que quem faz a sinopse das edições coloca de um jeito que chame a atenção dos leitores, então no fim acabo entendendo.

E quando uma pessoa fala em “modificar totalmente a aparência”, eu entendo que será uma mudança radical que envolve não só os cabelos (cor, textura, tamanho, etc.) como também a mudança nas feições, cor dos olhos, traços, coisas assim. Logo, fiquei meio surpresa quando a capa da ed. saiu e vi a Mônica usando aparelhos.

Então tive que parar e pensar por alguns minutos. Beleza. Pois bem. Embora eu não ache que colocar aparelhos seja uma mudança total na aparência, concordo que ainda assim é uma grande mudança. Será que ela vai ficar sem os dentões? Isso sim mudaria bastante o rosto dela, talvez a ponto de deixá-la meio que irreconhecível já que os dentes são tipo uma característica nela que se destaca.

Ao que parece, o enredo vai ser tipo: Mônica descobre que precisa usar aparelhos (já era tempo!), mas acha ruim porque aparelhos não são muito bonitos e podem destacar ainda mais os dentes dela. Pelo que sei, adolescentes costumam ficar um tanto resistentes quando precisam de aparelhos.

Aí a história vai girar ao redor da sua resistência e conflito. Por um lado, imagino que ela pode querer dentes normais. Por outro, pode se sentir mal por usar aparelhos e também por perder essa característica marcante. Talvez ela sinta como se perder os dentões a fizesse perder sua identidade e ninguém quer isso, certo?

Quanto aos amigos, imagino que uns vão apoiar, outros vão dizer que não precisa, ainda tem aqueles que lhe dirão para fazer o que o coração mandar, essas coisas. Fico pensando em como o DC vai reagir quando souber que ela não será mais dentuça. Aí vamos ver se o sentimento dele é verdadeiro ou se ele a vê apenas como uma peça exótica.

Sim, gente, eu ainda tenho essa cisma do DC, é por isso que nunca fui “Docônica”. Quer dizer, ele ama a Mônica pela pessoa que ela é ou só está atraído pelo fato de ela ser diferente? O que aconteceria se ela perdesse uma das características que a tornam diferente? Sem os dentões, ela meio que vai ficar uma garota comum.

Já o Cebola... bem... apesar de ter aprendido a respeitá-lo um pouquinho mais por causa da ed. passada, confesso que ainda fico meio ressabiada quando se trata dele. Ele sempre chamou a Mônica de dentuça quando criança e fico pensando se esse passado vai voltar a tona de alguma forma. Se bem que a Petra falou que vamos nos surpreender não só com ele, como também com o tema da edição. Meldels!
 
Ele vai lembrar essa época? Sentir algum remorso? Pedir desculpas? Pelas mudanças que venho observando, é provável que ele tente falar ou fazer algo para que ela se sinta melhor consigo mesma e só aceite colocar os aparelhos se realmente quiser, não só para agradar aos outros.

De qualquer forma, eu imagino que Cebola e DC terão opiniões conflitantes sobre esse assunto. Pode ser que o DC seja contra ela usar aparelhos e o Cebola seja a favor ou então diga que essa decisão deveria ser somente dela e de mais ninguém. Vai ser interessante ver como os dois irão lidar com esse assunto, pode ser uma forma de disputar pela atenção da Mônica.

Será que vai rolar conflito entre os dois? Ciúme? Briga? Desconfianças? O Cebola vai tentar xavecar a Mônica ou será que aprendeu a aceitar o namoro dela? Se bem que é capaz de ele não conseguir aceitar nunca, no máximo se conformar e ficar de tocaia esperando uma chance. O DC fez isso e deu certo, né?

A Petra falou no seu Ask que a história vai ser bem tensa, então quer dizer que vai boa. Sim, eu gosto de histórias tensas. Também gosto com treta, gritaria, barraco, explosão, tiro, porrada e bomba, mas isso não vem ao caso agora. 

E pensando bem, eu gostei de essa tal mudança radical ser somente usar aparelhos. E olhando sob a perspectiva de alguém da idade da Mônica, isso é sim uma grande mudança na aparência. Sem falar que se fosse qualquer outro tipo de mudança, ia surgir outro problema: ela não pode mudar de cara numa história e do nada aparecer com a mesma cara no mês seguinte. Isso aconteceu na ed. 61 quando ela cortou os cabelos e achei muito uó.

Só falta saber se ela vai colocar ou não os aparelhos. Ou será algo obrigatório? Se for um problema que pode piorar com o tempo, ela vai ter que por aparelhos de qualquer jeito. Se for opcional, a decisão vai ficar na mão dela: mudar ou continuar como sempre foi?

Será que ela quer isso mesmo? Eu sei que a Mônica sempre se incomoda quando a chamam de dentuça, mas ela pensa dessa forma de si mesma? Ela se acha dentuça? É algo que a incomoda e que ela gostaria de mudar?

Eu lembro de uma história dos gibis , acho que o nome é “Marina, você me pinta?”. A Mônica pede para que Marina faça um desenho dela, deixando-a numa situação ruim porque isso foi logo depois de ela declarar que não era dentuça. 

Então a Marina ficou num dilema: se colocasse os dentes, a Mônica ia ficar zangada. Se não colocasse, o desenho não ia ficar parecido. Solução: ela desenhou a Mônica num vestido tipo de princesa com um leque sobre a boca de forma a esconder os dentes. A Mônica amou e todos ficaram felizes. 

Também tem a ed. 42, “Torneio de games” onde depois de incentivar o Cebola a não ter medo de um avatar de jogo só porque tinha a aparência dela e no final chama o avatar de dentuça. Isso mostra que ela não se acha dentuça, o que pode ser um problema porque todos a vêem dessa forma. 
 
Será que os outros personagens é vão ficar apontando esse “defeito” nela? Pessoas como Toni Carmem seriam capazes disso, mas talvez os amigos tentem dar algum toque de forma mais sutil para não ofendê-la, o que vai ser bem difícil. Pode rolar muita briga nessa edição.

Eu lembro da ed. 37 onde ela usava aparelhos e disse que estava tentando mudar pelos amigos, coisas assim. Aliás, eu sempre me perguntei por que ela nunca usou aparelhos. Entendo que é para manter sua característica principal, já que nos gibis ela é dentuça e tirar isso pode meio que descaracterizar a personagem.

Porém, na vida real, as pessoas usam aparelhos quando precisam (e podem). Fica meio estranho ela insistir em não usar só para se manter dentuça igual na infância. Viram o conflito que tá rolando? Usar ou não usar aparelhos? Ela deve mudar como uma pessoa da vida real faria ou preservar os dentes para que os leitores continuem associando a Mônica adolescente com a Mônica dos gibis?

O que eu penso? Que ela deveria sim usar aparelhos. Eu usaria. Não só por questões de estética mas também de conforto. Será que aqueles dentes não incomodam? Quer dizer, é algo que aparece até quando ela está com a boca fechada, isso não é lá muito higiênico para começo de conversa.

E aí? Ela vai usar os aparelhos ou chegará a conclusão de que não precisa deles já que seus dentes não são um problema e ela não quer mudar só para agradar os outros?

Caso ela use, vai ser durante a história inteira ou ela vai tirar no final porque incomodam muito e ela acha desnecessário? E os aparelhos vão conseguir ajeitar os dentes dela ou não vão dar resultado nenhum e ela chegará a conclusão de que é assim mesmo e vai deixar como está?

Outra alternativa possível é os dentes dela ficarem iguais ao das outras pessoas, o que seria um tanto estranho. Não para mim, eu não faço questão. Mas muitos leitores podem estranhar. Se isso acontecer, a mudança será permanente ou ela vai terminar a história com os dentes de um jeito e começar a ed. 95 com eles como sempre foram?

Caso os dentes dela mudem, como o DC vai lidar com essa mudança? Será o início do desencanto ou o sentimento dele irá persistir? Afinal, muitas coisas podem acontecer desde o diagnóstico até a decisão final dela. 

Se por acaso houver a intenção de fazer a Mônica se reconciliar com o Cebola no futuro, primeiro vão ter que dar um jeito no namoro dela com o DC. Só que isso precisa ser feito aos poucos. Seria essa edição o “começo do fim”? Onde as coisas começam a se desgastar porque DC tem suas preferências e não costuma ceder muito?

Ao mesmo tempo que pode ser o início do fim com o DC, também pode ser o início da reconciliação com o Cebola. Sim, sei que estou viajando demais, de repente nem vai acontecer nada, mas esse lance dos aparelhos pode ser uma boa chance caso o Cebola saiba aproveitar.

Sabe, é nessas horas que eu lamento de a TMJ ser mensal porque temos que esperar um longo tempo entre uma história e outra. Eu só vou poder ler a ed. 94 no mês que vem (ai que dor!) e confesso que estou bem ansiosa para ler a história e ver o que vai acontecer.

Quanto a capa, fiquei surpresa ao ver a Mônica de aparelhos e achei que ficou muito bonita. A expressão do Cebola saiu assim meio debochada, acho que deve ser por isso que o pessoal ficou meio desconfiado com ele. Já o DC parece bem intrigado e fazendo bico. Será que ele está imaginando como seria beijar a boca da Mônica com aparelhos? Ou será que ele não gostou da mudança? Mistéeeerio!

E vocês? O que acham que vai acontecer? Tem algum bom chute aí? Ler a história é bom, mas acho que a espera e expectativa também dão um temperinho a mais. 

Hoje tem png do rosto da Mônica que eu refiz usando referencias da ed. 93 e quebra-cabeças. Divirtam-se!

Para mais palpites, confiram o vídeo do Canal Opinião Turma da Mônica Jovem:

0 comentários:

Postar um comentário